O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-12T20:20:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) não se beneficia da maior inflação em 41 anos nos EUA e segue em queda brusca na semana, mas flerta com os US$ 40 mil; veja reação de outras criptomoedas

Na teoria, uma inflação elevada faria do bitcoin a alternativa perfeita para ser a moeda digital do futuro. Na prática, no entanto, a realidade é outra

12 de abril de 2022
20:20
Bitcoin derrapa no rali do final de ano e criptomoedas acompanham
Imagem: Shutterstock

O bitcoin (BTC) segue em queda nesta terça-feira (12) mesmo após a divulgação da maior taxa de inflação em 41 anos nos EUA. A maior criptomoeda do mundo nada contra a maré dos ativos digitais, que ensaiam uma alta nesta noite. 

Na teoria, uma inflação maior das principais moedas fiduciárias — sem um metal precioso como lastro, como é o caso do dólar ou real — faria do bitcoin a alternativa perfeita para ser a moeda digital do futuro.

O próprio protocolo do BTC torna a moeda deflacionária — em outras palavras, imune à inflação. Mas não é isso que acontece com o bitcoin hoje.

Talvez um dado da inflação dos EUA ajude a entender o comportamento da maior criptomoeda do mundo. 

O índice de preços ao consumidor (CPI, a sigla em inglês) subiu 8,5% nos 12 meses até março. Mas foi o núcleo do CPI, que exclui alimentos e energia, que dominou a atenção dos investidores. Esse indicador subiu apenas 0,3% no mês passado, abaixo da previsão de alta de 0,5%.

Por volta de 20h20, o BTC avançava 0,5%, cotado a US$ 39.935,20. Confira a variação das principais criptomoedas do mundo:

NomePreço24h %7d %
Bitcoin (BTC)US$ 39.935,20+0,50%-12,89%
Ethereum (ETH)US$ 3.017,85+0,76%-12,33%
Tether (USDT)US$ 1,000,00%+0,01%
BNB (BNB)US$ 412,82+4,14%-7,97%
USD Coin (USDC)US$ 0,9998+0,03%-0,03%

Bitcoin (BTC) em queda de braço com o Fed

Assim como no mundo dos heróis, sobreviver a um desafio não é sinônimo de vitória — até porque o próximo adversário pode ser ainda mais forte.

E no caso do bitcoin não é diferente: sobreviver no patamar de US$ 40 mil é fácil, perto do aperto monetário que o banco central norte-americano fará nos próximos meses.

A alta nos juros por lá deve fazer o retorno dos títulos do Tesouro (Treasury, em inglês) aumentar. Somado a isso, um cenário de incerteza pela frente torna esses ativos, tidos como os mais seguros do mundo, mais atraentes para o investidor.

Entretanto, na outra ponta — dos ativos de maior risco —, ações e criptomoedas devem perder recursos para esses títulos. Na mesma linha, a retirada de estímulos do Fed, essencial para a valorização do mercado entre 2020 e 2021, deve aprofundar a queda. 

Papo Cripto #016 — Uma aventura no metaverso além do BTC

Valter Rebelo, analista de criptomoedas da Empiricus e convidado do episódio de hoje do Papo Cripto, comenta suas apostas para o metaverso e fala porque Ethereum (ETH), Immutable X (IMX), Polygon (MATIC) e NFTs são a aposta dele para os próximos anos:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

CVM recua e libera distribuição de dividendos do fundo imobiliário Maxi Renda FII (MXRF11) com base no ‘lucro caixa’ — relembre o caso

A xerife do mercado de capitais reconheceu “a existência de obscuridade e contradição” na decisão original

Superou o trauma? Bitcoin (BTC) segue no patamar de US$ 30 mil; saiba se a maior criptomoeda do mundo sustentará esse nível

BTC terá também que superar os críticos às moedas digitais, que não pouparam esforços para injetar ainda mais medo nesse mercado já extremamente desorientado

CEO do JP Morgan leva cartão vermelho de acionistas e pode ficar sem bônus milionário, entenda a decisão rara

A desaprovação foi a primeira desde que o conselho do banco norte-americano enfrentou um voto negativo sobre compensações desde que as regras foram introduzidas, há mais de uma década

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Hapvida, Magazine Luiza e Nubank tombam, mas Ibovespa fecha o dia no azul; confira os destaques desta terça-feira

O maior apetite ao risco e a expectativa de manutenção no ritmo de alta no juro nos Estados Unidos ajudou o Ibovespa, que teve um dia de ganho

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sustenta alta após susto inicial com Powell; dólar cai abaixo dos R$ 5

O Ibovespa fechou o dia longe das mínimas, mas o dólar caiu 2% com o apetite por risco no exterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies