🔴 DESCUBRA O ‘SEGREDO’ PARA BUSCAR ATÉ R$ 14 MIL POR MÊS EXTRA – SAIBA MAIS

Rodolfo Amstalden: Tentando alargar a concepção do agora

O calmante de Volpon talvez seja suficiente para mascarar o ataque de nervos de um governo de esquerda moderada, mas não atuará sobre os sintomas de uma esquerda radical, que remete à gestão econômica de Dilma Rousseff

14 de dezembro de 2022
19:14
Pílulas formam cifra de dinheiro
Imagem: Shutterstock

"Quanto mais estreita a sua concepção do agora,
mais tênue você se torna".
(Thomas Pynchon)

O dicionário lista 7 definições possíveis para o adjetivo "tênue".

Entre as mais usadas, estão a (tênue/fina) teia de aranha ou o (tênue/fraco) fio de esperança.

Contudo, aquela definição que mais se encaixa à frase de Thomas Pynchon em "O Arco-Íris da Gravidade" é, para mim, a tênue faculdade das coisas e pessoas que não persistem; que se pretendem eternas, mas acabam se provando fugazes.

Na visão original desse grande romance moderno, a densidade pessoal é uma função diretamente proporcional de quanto tempo útil você carrega consigo.

Indivíduos que conseguem acumular porções generosas de passado (Delta T) — e, mais importante do que isso, que conseguem empregar esse acúmulo em favor das decisões presentes — terão as personalidades mais grossas, mais fortes e mais perenes.

Uma visão mais quântica

Sem prejuízo dessa importante visão, gostaria de propor uma outra, menos newtoniana e mais quântica, que aborda a concepção estreita do agora não apenas a partir de um passado raso, mas também com base em um presente determinístico.

Presente determinístico é aquele que não admite nuances. Antes do início da Copa, nada poderia ser diferente de uma semifinal entre Brasil e Argentina, que levaria então à grande final entre Brasil e França.

Os torcedores — e, sobretudo, os investidores — que trabalham com uma concepção estrita e estreita do agora são os que mais sofrem, os que mais se sentem revoltados, injustiçados, pois a realidade os traiu, desviando-se da única versão sensata dos fatos.

São torcedores e investidores tênues — e que, portanto, desistem ao menor sinal de que o mundo não se curvou às suas expectativas perfeitamente razoáveis.

Lenha pra queimar

Conforme disse Tony Volpon, "o mercado tem que tomar um calmante e aceitar que é um governo de esquerda".

Essa aceitação se dá através de novos patamares de precificação, punindo os múltiplos e as expectativas de lucro.

Com 10% de queda para o Ibov no último mês, e quedas muito maiores para o IBOV cíclico, estamos justamente nesta fase, ainda com lenha para queimar.

No entanto, convém já ponderar: quais outras nuances nos aguardam em uma próxima fase?

O calmante de Volpon talvez seja suficiente para mascarar o ataque de nervos de um governo de esquerda moderada, mas não atuará sobre os sintomas de uma esquerda radical, que remete à gestão econômica de Dilma Rousseff.

Nesse último caso, o paciente será encaminhado à unidade de terapia intensiva, caso restem vagas disponíveis. Tomará picadas na veia tênue, em busca de um tênue fio de esperança.

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa entra na última semana do primeiro semestre tentando virar o jogo para a segunda metade do ano

24 de junho de 2024 - 8:01

Mercado financeiro terá pela frente uma semana de agenda cheia; ata do Copom, IPCA-15 e Relatório Trimestral de Inflação são os destaques por aqui

Mande sua pergunta!

Minha filha mora com o marido em imóvel que recebi de herança; agora ele quer que eu transfira o bem para ambos, o que fazer?

22 de junho de 2024 - 8:01

Casal quer reformar o imóvel e deseja que leitora passe o bem para o nome deles, mas ela quer proteger sua filha em caso de divórcio

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Após 3 sessões em alta, Ibovespa tenta interromper sequência de quatro semanas no vermelho enquanto investidores tateiam o fundo do poço

21 de junho de 2024 - 7:52

Com o dólar na faixa de R$ 5,46, os mais pessimistas ainda temem que o piso do Ibovespa contenha algum fundo falso, talvez um alçapão

SEXTOU COM O RUY

Chegou a hora de comprar ações? Para quem não tem pressa, a bolsa tem boas oportunidades

21 de junho de 2024 - 6:09

A bolsa voltou para os menores níveis desde novembro de 2023, com sérios receios de que a coisa iria desandar de vez. Mas será que podemos apostar nesse cenário?

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Copom unânime desfaz margem para ruídos e dá fôlego à bolsa — pelo menos em um primeiro momento

20 de junho de 2024 - 7:53

Parece contraditório, mas Ibovespa busca recuperação depois de o Copom ter decidido por unanimidade pela interrupção do ciclo de corte de juros

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: A Nvidia é fruto de hábitos ultrapassados

19 de junho de 2024 - 20:01

Tudo é muito impressionante na história de Nvidia, mas o mais impressionante é o nome por trás da gigante dos chips

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Expectativa com decisão de juros do Copom dá o tom do dia na bolsa, mas feriado nos EUA drena liquidez do mercado

19 de junho de 2024 - 8:05

Analistas esperam manutenção da taxa Selic a 10,50% ao ano, mas decisão de juros será anunciada somente depois do fechamento da bolsa

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: A banalidade do bem, a zona de desinteresse e o elogio do vira-lata

18 de junho de 2024 - 20:15

Três coisas que precisam ser ditas sobre a política monetária de Lula antes do resultado da reunião do Copom.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa busca recuperação com corte dos gastos em pauta e acordo entre Petrobras (PETR4) e Receita

18 de junho de 2024 - 7:54

Ibovespa começa mais um pregão vindo do nível mais baixo de fechamento no ano; indicadores norte-americanos também estão no radar

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

O paradoxo do conservadorismo necessário: para que os juros caiam depois, é preciso mantê-los elevados agora

18 de junho de 2024 - 6:33

Manter os juros altos agora não apenas ajudaria a reancorar as expectativas de inflação, mas também permitiria uma política monetária mais flexível no futuro

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar