🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-03-08T08:01:55-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior operam voláteis de olho na guerra e Ibovespa acompanha reunião para debate do preço dos combustíveis em meio a alta do petróleo

O presidente do BC e os ministros da Economia, Casa Civil e Minas e Energia fazem um encontro para tratar “assuntos governamentais”

8 de março de 2022
7:46 - atualizado às 8:01
Bandeira da Rússia e da Ucrânia com títulos de guerra ao fundo
Confira o que movimenta bolsa, dólar e os mercados hoje. Imagem: Shutterstock

O conflito entre Rússia e Ucrânia já caminha para o seu décimo terceiro dia, com os investidores ainda sem uma perspectiva clara do fim do conflito. Mesmo com as negociações caminhando a passos lentos, as bolsas do exterior operam majoritariamente em alta ou próximas da estabilidade nesta terça-feira (08). 

Com a escalada da tensão, o ouro continua sua trajetória de alta e se consolida no patamar dos US$ 2 mil. Quem se beneficia de um certo reajuste hoje também é o “ouro digital”: o bitcoin (BTC) avança 1,51% pela manhã, negociado na casa dos US$ 38.800.

Petróleo em foco

Desta vez, as sanções econômicas ao gigante do leste-europeu incluem cortes no fornecimento do petróleo, o que fez a commodity avançar durante a madrugada no Brasil. O barril do Brent, usado como referência internacional, voltou a tocar os US$ 130 e é negociado em alta pela manhã. 

E por falar em petróleo, o destaque do último pregão foi a Petrobras (PETR4). Com a renovação dos temores envolvendo a interferência na estatal, a gigante da bolsa brasileira chegou a cair mais de 3%, mesmo com a forte valorização da commodity na última segunda-feira (07). 

Sendo assim, o Ibovespa encerrou a sessão de ontem em queda de 2,52%, a 111.593 pontos. Por sua vez, o dólar à vista encerrou em alta de apenas 0,03%, a R$ 5,0797. 

Saiba tudo que deve movimentar o mercado nesta terça-feira: 

Combustíveis em foco

Os debates em torno do preço da gasolina e derivados voltaram à cena na última segunda-feira (07), quando o presidente da República, Jair Bolsonaro, criticou a política de preços da Petrobras. Daí por diante, a velha história se repete: os acionistas ficam tensos com a interferência e as ações caem

Diversos projetos de lei (PL) devem ir ao plenário do Congresso nesta terça-feira, mas existe pouca chance de que sejam aprovados.

A reunião entre o presidente do BC, Roberto Campos Neto, com os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, da Economia, Paulo Guedes, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, sobre "assuntos governamentais" deve tratar do congelamento de preços. 

Entraves da aprovação

O principal entrave para o congelamento de preços está no conselho de administração da Petrobras, composto principalmente por representantes do mercado financeiro. Além disso, existe uma cláusula do estatuto social da companhia que prevê a punição dos membros em caso de decisões prejudiciais à empresa. 

Somado a isso, vale lembrar que este é um ano de eleição. Ou seja, as pautas no Congresso não devem caminhar com a mesma rapidez e os parlamentares podem não ter interesse em se envolver em pautas sensíveis à economia, visando a reeleição.

Agenda do dia

  • FGV: IGP-DI de fevereiro (8h)
  • Palácio do Planalto: Presidente da República, Jair Bolsonaro, lança três programas voltados ao público feminino em cerimônia (10h)
  • Estados Unidos: Balança comercial de janeiro (10h30)
  • Ministério da Agricultura: Membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) debatem cenário dos fertilizantes no Brasil, diante da guerra entre Rússia e Ucrânia, e soluções para o Plano Safra 2022 com o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Guilherme Bastos (12h)
  • Estados Unidos: Estoques do atacado em janeiro (12h)
  • Banco Central: Presidente do BC, Roberto Campos Neto, se reúne com os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, da Economia, Paulo Guedes, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque sobre "assuntos governamentais" (15h)
  • Estados Unidos: Estoques de gasolina, petróleo e destilados (18h30)
  • China: Preços ao consumidor, medido pelo CPI, e ao produtor, medido pelo PPI, em fevereiro (22h30)

Balanços do dia

Após o fechamento:

  • Marfrig
  • Unidas
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O FANTASMA DA RECESSÃO

Ata do Fed manda recado: saiba se os próximos passos do BC dos EUA podem tirar o sono dos investidores

6 de julho de 2022

Na reunião de junho, o banco central norte-americano elevou a taxa de juro em 0,75 ponto percentual, o maior aumento desde 1994, na tentativa de conter uma inflação que não dá tréguas; será que vem mais por aí?

Está vindo aí

Risco de recessão volta a assustar, petróleo amplia perdas e petroleiras lideram quedas do dia; Hypera (HYPE3) e Americanas (AMER3) sobem forte

6 de julho de 2022

Com a queda do petróleo no mercado internacional, papéis de commodities no Brasil têm maiores quedas nesta quarta-feira

MAIS DO QUE UMA VOLTINHA

Multiplan (MULT3), Iguatemi (IGTI11), brMalls (BRML3) ou Aliansce Sonae (ALSO3)? Saiba qual é a queridinha do Itaú BBA

6 de julho de 2022

Papéis das administradoras de shoppings operam em alta nesta quarta-feira (06), embalados pela prévia operacional da Multiplan, que sinalizou que novos recordes estão no caminho da empresa

EXILE ON WALL STREET

Euro(bad)trip: Como a guerra na Ucrânia e a busca por novas fontes de energia para substituir o petróleo russo fizeram o euro despencar

6 de julho de 2022

A moeda única atingiu o seu nível mais baixo em relação ao dólar em 20 anos (próximo do US$ 1), pior que os patamares vistos na crise da dívida no começo dos anos 2010

BOMBOU NAS REDES

Warren Buffett: de entregador de jornal rejeitado por Harvard ao posto de sétimo homem mais rico do mundo; descubra como o megainvestidor conquistou a fortuna de R$ 511 bilhões

6 de julho de 2022

Veja os detalhes da trajetória de Warren Buffett até se tornar o sétimo homem mais rico do mundo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies