🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-03-11T14:47:20-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Vida dura

Magazine Luiza (MGLU3) e Via (VIIA3) na berlinda: JP Morgan corta preços-alvo e mostra cautela com o e-commerce

Para o banco, Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3) vão sofrer com o ambiente macro deteriorado no país, com vendas menores

9 de março de 2022
17:45 - atualizado às 14:47
Montagem mostrando, ao lado esquerdo, o Baianinho das Casas Bahia, rede pertencente à Via (VIIA3); ao lado direito, aparece a Lu, mascote do Magazine Luiza (MGLU3)
Via (VIIA3) e Magazine LUiza (MGLU3) disputam até no front dos mascotes digitais - Imagem: Casas Bahia / Magazine Luiza / Shutterstock, com intervenção de Andrei Morais

Não é novidade que as coisas não estão exatamente boas para o setor de e-commerce: empresas como Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3) sofreram com quedas violentas na bolsa nos últimos meses, pressionadas pelos juros mais altos, consumo em desaceleração e concorrência de players internacionais.

Esse cenário negativo acaba de ganhar mais um elemento, com o JP Morgan reduzindo suas projeções e preços-alvo para as companhias e suas ações.

Em relatório publicado nesta quarta-feira (9), o banco americano já deixa clara a sua postura logo no título: "Assumindo uma postura conservadora e cortando estimativas em meio a um cenário macro mais desafiador". A má fase das empresas de e-commerce na bolsa não parece que vai terminar tão cedo.

Para se ter uma ideia, a equipe de analistas comandada por Jospeh Giordano diminuiu as previsões para o volume total de vendas (GMV, na sigla em inglês) do Magazine Luiza em 2022 em cerca de 14%; para a Via, a redução foi ainda maior, na ordem de 18% — e a dona das Casas Bahia e do Ponto Frio ainda precisa lidar com um nível de alavancagem mais alto e dívidas vencendo no curto prazo.

Como resultado, o JP Morgan cortou o preço-alvo de MGLU3, ao fim de 2022, de R$ 18,00 para R$ 9,00 — uma redução brusca, mas que ainda implica num potencial de valorização de 48% em relação ao fechamento de ontem (8), de R$ 6,08. As ações do Magazine Luiza continuam com recomendação de compra, sendo eleitas as melhores escolhas dentro do setor.

No caso da Via, a avaliação é bem mais negativa. O banco americano agora prevê que a companhia dará prejuízo em 2022, considerando a Selic mais alta e as provisões para os inúmeros processos trabalhistas, conforme revelado no balanço do terceiro trimestre. E, em resposta a esse cenário, o JP Morgan retirou seu preço-alvo para VIIA3, mantendo a recomendação neutra para os papéis.

Por fim, a Americanas foi a empresa que sofreu as menores revisões por parte do JP Morgan: o preço-alvo de AMER3 foi cortado de R$ 36 para R$ 32. Ainda assim, levando em conta a cotação de ontem, de R$ 27,01, a alta implícita é bem inferior à do Magalu, de 18% — e, por isso, os papéis também têm recomendação neutra.

Em um ano, a queda das ações de Americanas (AMER3), Via (VIIA3) e Magazine Luiza (MGLU3) supera os 50%

VEJA TAMBÉM: Com queda de 74% no ano, ação do Magazine Luiza (MGLU3) pode subir até 200% | Entenda a análise de Rogério Araújo

Magazine Luiza, Via e Americanas: vida dura

"O ambiente macroeconômico no Brasil permanece desafiador, e a combinação de inflação alta, desemprego e baixo crescimento do PIB está afastando os consumidores do setor de bens duráveis", escrevem os analistas do JP Morgan.

"E, apesar de o e-commerce continuar crescendo, embora com menos intensidade, o ambiente desfavorável provavelmente vai afetar as lojas físicas, particularmente as com tíquete médio mais alto, como as da Via (VIIA3) e do Magazine Luiza (MGLU3)".

Nesse sentido, o fato de a Americanas (AMER3) depender menos das lojas físicas, somado ao tíquete médio menor de suas unidades presenciais, torna-a menos exposta às dificuldades macroeconômicas do setor de bens duráveis.

Desta maneira, a Americanas deve ter o maior crescimento de vendas totais no ano, com uma expansão de cerca de 30%; Magazine Luiza e Via vêm em sequência, com 20% e 10%, respectivamente.

O mau momento do segmento de e-commerce no Brasil, no entanto, tem ocorrido em linha com o visto no restante do mundo: segundo levantamento do JP Morgan, os múltiplos EV/vendas dos players brasileiros retornaram aos níveis do começo de 2019, num movimento semelhante ao visto lá fora.

"E, ao olharmos o valuation relativo dos players brasileiros, MGLU em 1,2 vezes EV/vendas para 2022 parece exageradamente barato", escrevem os analistas.

As ações do Magazine Luiza ainda são negociadas com um prêmio de cerca de 20% em relação aos pares, mas esse patamar está abaixo da média histórica; ao mesmo tempo, VIIA3 e AMER3 estão acima de suas respectivas médias de EV/vendas.

MGLU3, VIIA3 e AMER3: desconfiança do mercado

Antes um dos setores preferidos dos bancos e casas de análise, o e-commerce agora lida com a desconfiança do mercado. As ações do Magazine Luiza (MGLU3), por exemplo, contam atualmente com 14 recomendações, sendo 10 de compra e quatro neutras, segundo dados do TradeMap — num passado não tão distante, era praticamente consenso que o Magalu era uma das ações a se ter na carteira, independente do nível de preço.

Já a Via (VIIA3) lida com uma cautela ainda maior: apenas uma recomendação de compra, nove neutras e quatro de venda. Por fim, Americanas (AMER3) tem oito recomendações de compra e sete neutras.

Veja abaixo uma tabela com recomendações, preços-alvos e múltiplos das três empresas:

EmpresaCódigoRecomendaçõesCotação (8/3) (R$)Preço-alvo médioPotencial de altaEV/Ebitda
Magazine LuizaMGLU310 de compra, 4 de venda6,0815,71158%23,53
ViaVIIA31 de compra, 9 neutras, 4 de venda3,4310,1194%38,6
AmericanasAMER38 de compra, 7 neutras27,0153,2697%14,5
Dados: TradeMap

Nosso colunista especializado em ações, Ruy Hungria, avalia que MGLU3 é a favorita de se ter na carteira. Você pode saber mais pelo post que fizemos no nosso Instagram. Confira abaixo e aproveite para seguir a gente (basta clicar aqui). Lá entregamos para você insights de investimentos, análises de mercado, apurações exclusivas importantes para o seu bolso e dicas de carreira e empreendedorismo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

‘Pane’ nas exchanges, os limites para a Rússia e a queda do Ibovespa; confira os destaques do dia

Os corredores do mercado financeiro estavam mais silenciosos do que o habitual nesta segunda-feira (04).  Nos Estados Unidos, as bolsas em Wall Street ficaram fechadas devido ao feriado do Dia da Independência americana, mas parece que boa parte dos investidores brasileiros também deu uma esticadinha no fim de semana.  Sem Nova York e com o […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa cai abaixo dos 99 mil pontos em dia de baixa liquidez; dólar e juros sobem com petróleo

Sem Wall Street, o Ibovespa teve um dia de movimentação limitada. Apesar da alta do petróleo, o índice não conseguiu se consolidar em alta

ELEIÇÕES 2022

Quem é Maria Luiza Ribeiro Viotti, a primeira mulher a comandar o Itamaraty se Lula vencer as eleições?

A indicação de uma mulher para o Itamaraty contemplaria o movimento feminino na diplomacia, que ganhou força política no Congresso e foi incentivado por Amorim no passado; o Brasil nunca teve uma chanceler

QUEREM PARAR O RUSSO

Todos contra Putin: O assunto da vez da reunião dos líderes do G7? Impor limites à Rússia

Dessa vez, a ideia central é a de impor um “teto” no preço dos combustíveis russos — a proposta foi trazida à pauta pelo presidente americano, Joe Biden

TECNOLOGIA EM FOCO

Em busca de inovação: Petrobras (PETR4) lança oportunidades para aquisição de soluções de startups e empresas de tecnologia; saiba como funciona

A Petrobras vai investir até R$ 21,2 milhões em empresas de tecnologia e startups de soluções nas áreas de robótica, tecnologias digital e d inspeção

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies