Menu
2021-04-22T16:20:45-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
IR 2021

Quais documentos guardar após declarar o IR (e por quanto tempo)

Gastos dedutíveis, rendimentos e outras despesas lançadas na sua declaração de imposto de renda requerem comprovação

26 de abril de 2021
5:30 - atualizado às 16:20
Selo Imposto de Renda 2021 IR
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Antes de começar a declarar o imposto de renda 2021, você precisou separar um monte de papel e comprovante para obter todas as informações necessárias. Mas e agora, o que fazer com todos os documentos e recibos?

  • O Seu Dinheiro preparou junto com a Empiricus um curso para ajudar você a declarar o IR, com 35 vídeos tutoriais, material em texto e uma seção de tira dúvidas. Saiba mais aqui.

A Receita Federal tem até cinco anos para averiguar as informações da sua declaração do imposto de renda 2021. Então, caso haja alguma divergência ou dúvida sobre algum valor declarado, será preciso apresentar toda a documentação comprobatória ao Leão.

A recomendação padrão é que os comprovantes sejam mantidos em segurança por pelo menos cinco anos, cumprindo o prazo técnico legal para contestação, contando a partir do ano seguinte ao do processamento da declaração. Se sua declaração é referente ao imposto de renda 2021, portanto, o prazo começa a contar a partir de janeiro de 2022.

No entanto, os prazos podem variar. As auditorias podem ser feitas muito perto do fim do prazo, o que gera uma notificação posterior. Muitas vezes, se o contribuinte já tiver se desfeito de toda a documentação, não será possível apresentar as informações necessárias à Receita.

Para não correr o risco de se livrar dos documentos comprobatórios do imposto de renda 2021 antes do tempo, o recomendado é manter tudo organizado por pelo menos sete anos.

Quais documentos guardar após enviar a declaração de imposto de renda 2021

  • Informes de rendimentos de empregadores;
  • Comprovantes de recebimento de aposentadorias;
  • Informes de rendimentos de instituições financeiras;
  • Recibos e notas fiscais de serviços de saúde;
  • Recibos e notas fiscais de despesas com educação;
  • Comprovantes de pagamento e/ou recebimento de aluguel;
  • Comprovantes de obras e reformas em imóveis;
  • Comprovantes de pagamento de imposto/DARF;
  • Recibo da declaração do imposto de renda;
  • Escrituras e comprovantes de ganho de capital.

Sobre os comprovantes de obras e reformas de imóveis, uma observação importante: eles devem ser guardados por cinco anos a partir da venda do imóvel reformado, quando esta ocorrer, e não por cinco anos a partir do processamento da declaração.

O mais seguro é guardar cópias físicas e virtuais de toda a documentação, se possível. No caso de comprovantes que sejam recibos bancários, a tinta pode esvanecer, portanto, faça cópias.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

uma bolada

Bradesco paga R$ 5 bilhões em juros sobre capital próprio

Valor representa R$ 0,416 por ação ordinária e R$ 0,458 por ação preferencial, após o desconto do Imposto de Renda

seu dinheiro na sua noite

Dólar abaixo de R$ 5, Selic de volta aos 7% e o investimento da Petz em página de gatinhos

Apesar dos avanços na vacinação e do relaxamento nas medidas de distanciamento social, o fato de ainda estarmos convivendo com o coronavírus e uma elevada mortalidade pela covid-19 faz com que 2021 tenha um sabor de 2020 – parte 2. Assim tem sido, pelo menos para mim. Imagino que também seja assim para todas as […]

atenção, acionista

Weg e Lojas Renner anunciam juros sobre capital próprio; confira valores

Empresa de fabricação e comercialização de motores elétricos paga R$ 86,1 milhões; provento da varejista chega a R$ 88 milhões

Alívio no câmbio

Dólar fica abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez em mais de um ano — e o empurrão veio dos BCs

O dólar à vista terminou o dia em R$ 4,96, ficando abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez desde 10 de junho de 2020. O Ibovespa caiu

Constitucionalidade em xeque

Autonomia do Banco Central: STF retoma julgamento no dia 25, mas recesso pode estender votação até agosto

A lei em análise restringe os poderes do governo federal sobre a autoridade máxima da política monetária do País

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies