Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-01-07T17:58:56-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
justificando investimento

Subsidiária da MRV nos EUA realiza primeira venda após incorporação

AHS conclui venda de condomínio com 281 apartamentos em Miami por um VGV de US$ 57 milhões, após polêmica sobre incorporação da empresa

7 de janeiro de 2021
9:51 - atualizado às 17:58
Empreendimento da AHS, empresa dos donos da MRV Engenharia
Empreendimento da AHS, empresa dos donos da MRV Engenharia - Imagem: Reprodução

A construtora mineira MRV Engenharia (MRVE3) anunciou na quarta-feira (6) à noite que a AHS Residential realizou a primeira venda de um empreendimento desde que se tornou uma subsidiária da companhia, no começo do ano passado.

Segundo a companhia, foi concluída, em 30 de dezembro, a venda do empreendimento Deering Groves, localizado em Miami, pelo Valor Geral de Venda (VGV) de US$ 57 milhões, resultando em uma geração de caixa de US$ 21 milhões e lucro bruto de US$ 16,5 milhões. O empreendimento tem 281 apartamentos e foi finalizado em maio de 2019.

Ele fazia parte do grupo de sete empreendimentos em negociação de venda, que totalizavam 1.450 unidades e cerca de US$ 306 milhões de VGV.

A AHS atua no segmento de imóveis multifamiliares nos Estados Unidos e já era controlada pela família Menin, que também é dona da MRV. O modelo de negócios consiste no desenvolvimento completo dos empreendimentos e na venda dos condomínios para fundos de renda imobiliária.

Em entrevista ao site Brazil Journal, o CEO da MRV, Rafael Menin, disse que o plano agora é expandir a atuação da AHS para os estados do Texas e da Geórgia ainda em 2021, depois de consolidar o banco de terrenos.

Sonho americano polêmico

A MRV anunciou a aquisição de 51% da AHS Residential em setembro de 2019, por um valor entre US$ 220 milhões e US$ 225 milhões.

A proposta inicial de incorporação, porém, causou muita polêmica. Na versão original, a empresa brasileira ficaria com 51% na AHS. A família Menin, que tinha 94,5% do capital, seria diluída para 46,3%.

Acionistas minoritários da MRV reclamaram que a estrutura poderia resultar em conflitos de interesse, uma vez que a família Menin se tornaria acionista direta e indireta da AHS, por meio da incorporadora brasileira, além de questões sobre a falta de sinergia entre as operações, afetando o retorno.

Depois de ouvir sugestões, a companhia decidiu refazer a proposta para evitar um potencial conflito de interesses. No novo desenho, a MRV vai incorporar a participação de Rubens Menin na AHS. Ou seja, toda a participação do empresário ocorrerá por meio da MRV.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro sobe após a abertura com boas perspectivas para os balanços e dólar avança hoje

No panorama doméstico, o risco fiscal permanece no radar, enquanto a semana conta com importantes balanços

O melhor do Seu Dinheiro

O Tesouro Direto virou tesouro de tolo? O que mexe com os mercados na semana e outros destaques

O investidor devia estar contente no começo deste ano com o que parecia uma grande oportunidade: investir no Tesouro Direto com um retorno garantido de quase 3,5% ao ano mais a variação da inflação. Naquele momento, as aplicações mais conservadoras de renda fixa estavam com rentabilidade real negativa e o Banco Central indicava que os […]

SEGREDOS DA BOLSA

Esquenta dos mercados: risco fiscal é pano de fundo para semana de Copom, IPCA-15 e balanços domésticos e no exterior

Os próximos dias serão tensos para os investidores, que devem ficar de olho na votação da PEC dos precatórios e medidas do Banco Central contra a inflação

REFORÇANDO O CAIXA

Depois de anunciar emissão de debêntures, 3R Petroleum lança oferta de ações. Entenda o que a empresa pretende fazer com quase R$ 4 bilhões a mais em seu caixa

Empresa de óleo e gás fará ofertas primária e secundária; a previsão é de que o processo de prospecção de investidores interessados se encerre em 4 de novembro

Renda fixa também varia

Terra arrasada no Tesouro Direto: sinônimo de renda fixa, títulos públicos têm perda de até 30% no ano; hora de vender ou de comprar mais?

Tensão nos mercados na última semana jogou juros para cima e preços dos títulos para baixo, mas não é de hoje que o Tesouro Direto sofre com a deterioração fiscal. Entenda o que está acontecendo e o que fazer

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies