Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-23T20:13:02-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
fique de olho

B3, Hypera e BR Properties anunciam dividendos e juros sobre capital próprio

Diferenças entre dividendos e JCP são contábeis e tributárias; veja os valores que cada companhia deve pagar

23 de março de 2021
20:12 - atualizado às 20:13
juros sobre capital próprio
Imagem: Shutterstock

A operadora da bolsa brasileira B3, a companhia farmacêutica Hypera e a empresa de investimentos em imóveis comerciais BR Properties anunciaram nesta terça-feira (23) o pagamento de proventos.

A B3 paga juros sobre capital próprio no valor de R$ 232,5 milhões. São R$ 0,11431680 por ação, em um valor líquido de R$ 0,09716928 por ação, já deduzido o Imposto de Renda na fonte.

Segundo a empresa, o pagamento é feito em 08 de abril de 2021, tendo como base de cálculo a posição acionária de 24 de março.

Já a Hypera paga R$ 194,7 milhões em juros sobre capital próprio. São R$ 0,30881 por ação ordinária, com retenção de imposto de renda na fonte.

No entanto, a data ainda vai ser definida - deve acontecer até o final do exercício social de 2022. A empresa deve usar como base a posição acionária em 26 de março.

Dividendos

ABR Properties anunciou a distribuição de dividendos no valor total de R$23,6 milhões, com base no balanço de 31 de dezembro de 2020, a serem deduzidos do resultado acumulado de 2020 e imputados aos dividendos mínimos obrigatórios do mesmo exercício.

Os dividendos correspondem a R$0,04916 por ação e serão creditados aos acionistas com base na posição acionária de 26 de março , sem incidência de correção monetária.

"Essa deliberação foi tomada no âmbito da nova política de dividendo em vigor, que prevê uma meta de distribuição de dividendos em periodicidade trimestral, conforme proposta do conselho de administração", disse a empresa.

Entenda

As diferenças entre dividendos e JCP são contábeis e tributárias. O pagamento de JCP também é uma forma de distribuir lucros, mas em vez de terem um benefício tributário para os acionistas, como ocorre com os dividendos, os Juros sobre Capital Próprio beneficiam a empresa.

É que o provento é considerado uma despesa financeira, contribuindo para reduzir a base tributária da companhia, que paga menos imposto.

Em razão disso, os Juros sobre Capital Próprio não são isentos de IR para os acionistas. Eles são tributados na fonte a uma alíquota de 15%.

A companhia só faz o pagamento de JCP quanto lhe é interessante. Além disso, o valor do provento está limitado ao valor da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) aplicada sobre o capital social da empresa. A TJLP é determinada pelo governo federal.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: impasse dos precatórios deve pressionar bolsa hoje antes dos dados do varejo nos EUA

Além disso, no radar ficam o risco fiscal antes da eleição de 2022 e os dados da economia dos Estados Unidos, com destaque para os pedidos de auxílio-desemprego

NA B3

Ações do setor de saúde foram as que menos sofreram em agosto

Levantamento da Teva Índices mostra que os papéis do comércio e da construção foram os mais castigados no mês passado

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies