Menu
2021-06-08T08:15:26-03:00
Estadão Conteúdo
Uso racional de energia

Crise hídrica: Abradee deve realizar campanha sobre uso racional de energia

A ideia é tentar reduzir o consumo no segundo semestre do ano, quando a crise irá se aprofundar, o impacto econômico que uma eventual redução de consumo teria para as distribuidoras ainda não foi calculado

8 de junho de 2021
7:34 - atualizado às 8:15
Eletrobras
Usina hidrelétrica de Itaipu. - Imagem: Alexandre Marchetti/ItaipuBinacional

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) deve realizar este ano uma campanha para o uso racional de energia, a exemplo do que já ocorreu em crises energéticas anteriores, informou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) o presidente da entidade, Marcos Madureira.

As conversas já começaram com o Ministério de Minas e Energia (MME) e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e a decisão será tomada nos próximos dias.

A ideia é tentar reduzir o consumo no segundo semestre do ano, quando a crise irá se aprofundar.

"Nesse momento estamos conversando com MME e Aneel sobre as formas que nós podemos atuar, uma forma mais educativa, é o que estamos discutindo", antecipou.

Ele observou que, até o momento, o governo tem cuidado da crise hídrica do ponto de vista da oferta, mas a questão da demanda também está na agenda, como o deslocamento do consumo de grandes consumidores do horário de pico, quando o insumo é mais caro.

Para atingir os pequenos consumidores, além da bandeira tarifária, é possível que seja feita uma campanha aos moldes de 2017.

"Da parte de consumo, que afeta mais diretamente as distribuidoras, até esse momento a gente teve apenas algumas interações. A gente está começando a discutir a possibilidade de fazer uma maior divulgação dessa questão do uso racional de energia, sempre importante, mas se faz ainda mais importante em um momento como esse", explica Madureira.

O impacto econômico que uma eventual redução de consumo teria para as distribuidoras ainda não foi calculado, mas, de acordo com o executivo, o principal é garantir o abastecimento.

O Operador Nacional do Sistema (ONS) vem alertando que a pior crise hídrica dos últimos 91 anos no País pode afetar o abastecimento no segundo semestre, apesar de afastar o risco de racionamento, o que é questionado por especialistas.

Os principais reservatórios das usinas hidrelétricas estão com níveis baixos de armazenamento de água, e, para poupá-los, mais usinas térmicas estão sendo despachadas, o que encarece a operação.

Em junho do ano passado, os reservatórios das hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste estavam 55% cheios, contra 32% este ano.

Segundo o ONS, pelo menos oito hidrelétricas chegarão com reservatórios vazios ao final do período seco (outubro/novembro).

Madureira destaca que a situação do Brasil este ano é melhor do que nas crises hídricas passadas, devido à maior diversidade de fontes, mas a redução da demanda ajudaria a atravessar o período seco com um pouco mais de segurança.

"A fonte fundamental continua sendo a hidroeletricidade, e quando você tem um problema como o que está ocorrendo, isso traz preocupação, o que a gente tem visto até o momento são ações voltadas a verificar a questão da oferta, e ajustes que tem que ser feitos também da parte de consumo", observa.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies