⚽️ Brasil enfrenta a Coreia do Sul na próxima fase; confira os dias dos próximos jogos

Cotações por TradingView
2021-03-12T18:22:38-03:00
Estadão Conteúdo
Para 16 anos

CNI quer dobrar prazo para redução de incentivos tributários previsto em PEC

De acordo com a confederação, a redução geral de benefícios tributários “de maneira genérica” como prevista na PEC é “negativa para o setor produtivo”.

12 de março de 2021
18:22
Robson Andrade
Presidente da CNI, Robson Andrade - Imagem: Antônio Cruz/Agência Brasil

Apesar de considerar positiva a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) emergencial, aprovada pela Câmara dos Deputados, a Confederação Nacional da Indústria defendeu a ampliação do prazo para redução de benefícios tributários dos oito anos previstos na PEC para 16 anos.

Leia também:

De acordo com a confederação, a redução geral de benefícios tributários "de maneira genérica" como prevista na PEC é "negativa para o setor produtivo".

"Diante desse quadro, a CNI defende a busca por soluções que permitam a manutenção de tais mecanismos de melhoria da competitividade da indústria nacional, principalmente aqueles voltados à inovação e tecnologia, por meio da Lei do Bem e da Lei de Informática", disse o presidente da entidade, Robson Andrade, em nota.

Pelo texto aprovado pelo Congresso Nacional, o governo tem que apresentar um plano para reduzir, em oito anos, de 4% para 2% do PIB subsídios, isenções e desonerações tributárias. Ficaram de fora benefícios como como Simples Nacional, a Zona Franca de Manaus e produtos da cesta básica.

Para a CNI, a alteração é "abrupta" e impactará negativamente em decisões de investimento de longo prazo. "O setor produtivo é contra uma nova prorrogação do prazo de pagamento dos precatórios, a quinta em quatro anos. Na avaliação da CNI, esta nova postergação reforça a insegurança e imprevisibilidade da restituição de créditos da Fazenda Pública, o que não é saudável para a imagem do país para os investidores", completa o texto. .

A entidade, no entanto, comemorou a aprovação do controle de gastos públicos em todas as esferas de governo, que disse ser "pilar para o país superar a crise econômica, retomar o crescimento e gerar emprego".

A entidade destaca que, em um cenário de retração de 4,1% do PIB e nível de desemprego elevado, medidas como a PEC, que sinalizam ao mercado o esforço do país em controlar os gastos públicos, são essenciais para o Brasil atrair investimentos e retomar a trajetória de crescimento.

"A prorrogação do auxílio emergencial é muito importante, mas é fundamental também que se aponte para a recuperação do equilíbrio fiscal a médio e longo prazos. O controle das despesas e a contenção do endividamento público são requisitos fundamentais para a confiança dos investidores e para o crescimento econômico sem inflação. A racionalização dos gastos públicos deve ser feita de maneira criteriosa, mas firme", completa Andrade.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

ACUMULOU

Mega-Sena: ninguém acerta e prêmio sobe para R$ 115 milhões; saiba como ter mais chances de acertar as seis dezenas

4 de dezembro de 2022 - 9:23

Segundo a Caixa, o próximo sorteio acontece na quarta-feira, dia 7 de dezembro, e quem vencer pode levar uma bolada para casa

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: IPCA de novembro e última reunião do Copom em 2022 são destaques da semana

4 de dezembro de 2022 - 8:11

A agenda econômica estará cheia no Brasil, com a reunião do Copom e dados de inflação; lá fora, destaque para o PIB da zona do euro

DE OLHO NAS REDES

Perdeu, Globo? A Copa do Mundo revelou um adversário de peso à emissora; descubra detalhes

4 de dezembro de 2022 - 7:00

Com a transmissão do jogo no Brasil na Copa do Mundo, este streamer fez história e venceu até Elon Musk – é ameaça para a Globo?

MELHOR OU PIOR

O passarinho de Musk vai voar? Twitter vai usar automação para filtrar conteúdo danoso, diz agência

3 de dezembro de 2022 - 16:51

Segundo a agência Reuters, a plataforma está restringindo de forma mais agressiva hashtags e resultados de pesquisa propensos a abuso em áreas que incluem exploração infantil, independente de potenciais usos “benignos” dos termos

A FONTE VAI SECAR?

A revanche de Putin: Rússia diz que vai deixar países sem petróleo se teto de preços for mantido

3 de dezembro de 2022 - 15:36

Os europeus fixaram na sexta-feira (02) o limite para o barril russo em US$ 60 e indicaram que esse valor será revisado regularmente, mantendo-se pelo menos 5% abaixo do preço médio de mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies