Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-01T07:58:14-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Mirando o futuro

Vitreo lança fundos focados em smartcoins e metaverso, os dois novos queridinhos do mercado de criptomoedas

As smartcoins como a Solana (SOL) podem ser utilizadas para automatizar uma série de processos sem a figura de um “mediador”, como um cartório

1 de dezembro de 2021
7:58
uma mão entrando no metaverso
O metaverso tende a crescer em menos de 5 anos, segundo Jojo Imagem: Freepik

A todo momento o mercado de criptomoedas surge com uma novidade. No início do ano, foram os certificados digitais, os NFTs; depois, as finanças descentralizadas, as DeFis. A aposta da vez da Vitreo são as smartcoins — a nova categoria do mundo digital que tem potencial de crescer no mundo da Web 3.0 — e o metaverso.

A gestora e plataforma de investimentos acaba de criar dois novos fundos para investir em smartcoins e prepara um lançamento específico com foco em oportunidades relacionadas ao metaverso.

O CEO da Vitreo, Jojo Wachsmann, comentou o potencial desse mercado em ebulição e se mostrou entusiasmado com a transformação digital.

“É provável que esse mercado se desenvolva em menos de 5 anos. A pandemia mudou muita coisa em pouco tempo que nós achávamos normal, como as assinaturas. Elas saíram do cartório e foram para o digital num piscar de olhos”, diz.

O fundo Coin Smart lançado pela gestora nesta quarta-feira (1º) tem investimento mínimo de R$ 1.000, destinado ao público amplo, e será composto por 80% de ETFs em criptoativos, como os disponíveis na bolsa atualmente, e 20% em smartcoins, as moedas de contratos inteligentes. A taxa de administração é de 0,34% ao ano e não possui taxa de performance.

Já o Cripto Smart, focado no investidor qualificado, terá 100% de exposição às criptomoedas do tipo smartcoins, como a Solana (SOL), que disparou mais de 12.000% este ano. O investimento mínimo será de R$ 5 mil, com taxa de administração de 1,40% ao ano, mais 20% sobre o que exceder 100% do benchmark do fundo.

O que são smartcoins

Essas “moedas inteligentes” são protocolos automatizados que produzem contratos inteligentes. Apesar das palavras difíceis, a aplicação delas é relativamente simples.

Entre outras coisas, esses protocolos podem ser usados para validar transações de maneira automática. Na compra de um item como um NFT ou na negociação de um ativo descentralizado de DeFi não será preciso um “mediador”. A própria rede valida e confirma as transações daquele acordo por meio do cruzamento de dados.

Mas as smartcoins podem ser utilizadas para automatizar uma série de processos, o que, em um mundo cada vez mais dinâmico, é essencial. “É o fim dos cartórios”, diz Wachsmann

Com isso, o Coin Smart se junta ao seleto grupo de fundos em criptomoedas da Vitreo, ao lado do Cripto NFT e o Vitreo Coin NFT, lançados em outubro deste ano.

De olho no metaverso

A Vitreo também prepara o lançamento de um fundo para investir nas criptomoedas do metaverso. A palavra ganhou popularidade com a mudança do nome da empresa Facebook para Meta. O novo universo digital é uma realidade aumentada, que pode ganhar o mundo nos próximos anos. 

As criptomoedas do metaverso sobreviveram à queda do bitcoin (BTC) da última semana e chegaram a dobrar de valor em sete dias. De acordo com o maior fundo de ativos digitais do mundo, o Greyscale, Metaverso é uma oportunidade de US$ 1 trilhão

“O metaverso ainda está atrelado ao mundo dos jogos, mas com a chegada do 5G, não duvido que passe a fazer parte do dia a dia. Você começa tomando café na casa de um amigo e termina vendo um show em realidade aumentada, tudo com um óculos de realidade virtual”, comenta Wachsmann.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

SEM ESPAÇO NO ORÇAMENTO

Servidores iniciam manifestação e prometem greve para fevereiro, mas Mourão diz que não há espaço para reajustes

Na peça aprovada no Congresso em Dezembro foi incluída uma previsão de R$ 1,7 bilhão para reajustes de salários do funcionalismo, contudo, a a categoria que seria beneficiada não foi especificada

NA CORRIDA PELA MINERAÇÃO

Intel planeja entrar no lucrativo ramo de mineração de criptomoedas e competir com Nvidia, a próxima empresa de US$ 1 trilhão

A escassez de condutores e semicondutores pode atrapalhar os planos da empresa, que divulgará o novo chip em fevereiro deste ano

TECHS SOFREM

Por que a alta dos juros nos EUA derruba as ações de Locaweb (LWSA3) e Inter (BIDI11) na B3?

O movimento com as ações ligadas ao setor de tecnologia na B3 ocorre desde o início do ano. Os papéis da Locaweb, por exemplo, acumulam queda de 40% apenas nos primeiros dias de 2022

FOLLOW ON

BRF definirá dia 1º preço da ação no follow on, que pode girar cerca de R$ 8 bi

A operação pode abrir o caminho para a Marfrig assumir o controle da BRF

Fatia maior

Gestora Alaska aumenta participação na Cogna (COGN3) para mais de 15%, e ação dispara

Papel tem uma das maiores altas do Ibovespa depois que gestora de Henrique Bredda e Luiz Alves Paes de Barros informou ter adquirido mais ações na companhia de educação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies