Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-29T17:40:43-03:00
SEXTOU COM O RUY

Big Bang, a teoria: As leis da Física e a tributação dos dividendos

As empresas são organismos vivos, que precisam se adaptar às mudanças para sobreviver, como na recente proposta de tributação de dividendos

30 de julho de 2021
6:03 - atualizado às 17:40
Imagem da série The Big Bang Theory
Imagem da série The Big Bang Theory - Imagem: Shutterstock

Eu sou formado em Física e perdi as contas de responder a seguinte pergunta: "Me explique por qual motivo você escolheu fazer Física?"

Eu sinto que na maioria das vezes as pessoas só queriam ouvir uma resposta do tipo "porque sou fã do Einstein" ou, pior, "porque eu adorava a série The Big Bang Theory".

Mas, para a decepção da maioria delas, a resposta é bem mais chata do que essas. 

O que mais me encanta na Física é a sua capacidade de descrever e antecipar comportamentos da natureza com uma precisão simplesmente incrível.

Insira uma quantidade E de energia térmica num sistema isolado e a temperatura interna atingirá T. 

Aumente a pressão para P e o volume se expandirá para V. 

Aplique uma aceleração X e você verá a velocidade alcançar Y em T segundos. 

Alterando uma variável na fórmula você consegue prever com enorme precisão o que acontecerá com o restante do sistema. Tanto faz se você está realizando o experimento no Brasil, na Europa ou nas Olimpíadas de Tóquio. Se as condições forem as mesmas, o resultado será igual em qualquer lugar.   

Não é incrível?

Infelizmente, essa é uma característica restrita às ciências naturais e que não pode ser replicada no mercado financeiro.

Onde Investir no 2o semestre de 2021

Baixe já o seu!

Conquiste a sua medalha de investidor com as nossas dicas de onde investir no segundo semestre de 2021 neste ebook gratuito.

Aumente o imposto sobre dividendos e as ações vão cair (será?)

Recentemente os investidores tiveram conhecimento da proposta de reforma tributária.

Entre as mudanças, estava um aumento de zero para 20% nos impostos sobre dividendos.

Em poucas horas pudemos observar uma série de reportagens e análises mostrando como a mudança faria as ações das grandes pagadoras de dividendos sofrerem na Bolsa, já que maiores impostos sobre dividendos implicam em menores retornos para os seus acionistas. 

"Aumente a taxa de imposto de renda e o dividendo recebido cairá tantos por cento". 

Isso até poderia ser verdade. Mas quem disse que o mercado funciona igual à Física?

Ao contrário dos sistemas de laboratório que têm um comportamento totalmente previsível, as empresas são organismos vivos, que precisam se adaptar às mudanças para conseguir sobreviver. 

O aumento na tributação sobre dividendos é ruim, e se as grandes pagadoras de dividendos permanecessem com as mesmas políticas de distribuição depois das mudanças, é bem provável que o impacto para os seus acionistas fosse realmente muito negativo. 

Mas elas podem e vão tentar utilizar todas as ferramentas possíveis para driblar essa taxação extra e continuar atraindo capital para manter suas operações. 

Organismos vivos que se adaptam para vencer, lembra?

Menos dividendos no futuro, um caminhão de dividendos agora

Se os dividendos sofrerão uma taxação pesada depois que a reforma passar, há uma alternativa bem simples e eficaz que as companhias podem adotar para amenizar o impacto para os investidores: adiantar o pagamento de dividendos. 

Em vez de distribuir o pagamento de dividendos pelos próximos cinco anos já com uma incidência de 20% de imposto, elas podem adiantar esse pagamento para antes das mudanças.

Imagine a alegria de um investidor recebendo vários anos de dividendos em apenas um — e sem imposto.

Uma companhia que já vinha pagando bons dividendos e que tem boas chances de acelerar essa distribuição no segundo semestre para evitar a taxação extra é a Vale (VALE3).

Menos dividendos no futuro, mais recompra

Uma outra maneira de utilizar o lucro para aumentar o retorno dos acionistas sem precisar pagar mais dividendos é a por meio da recompra de ações. 

Imagine uma companhia cujo capital é formado por 10 ações e que lucra R$ 10 mil por ano. 

O lucro é de R$ 1 mil por ação neste caso. 

Agora, imagine que essa companhia, em vez de distribuir o lucro na forma de dividendos, opte por recomprar metade das ações em circulação. 

O capital que era de 10 ações agora cai para 5.

E como o lucro da companhia permaneceu o mesmo, isso quer dizer que cada acionista terá direito ao dobro dos lucros de antes. 

Como o lucro por ação aumenta, a tendência é que as ações se valorizem para refletir esse aumento em sua atratividade.

Ou seja, mesmo recebendo menos dividendos, os acionistas acabam se aproveitando de outras maneiras. 

Agora, adivinha quem está com um programa de recompra de ações aberto?

Sim, ela mesma! A Vale.

Não é à toa que VALE3 está presente na série Oportunidades de Uma Vida e, além dos dividendos extras e das recompras, atualmente negocia abaixo de 3 vezes EV/Ebitda.

As oportunidades são muitas para quem está preparado

Como você pôde perceber, diferente do que acontece em um laboratório de Física, no mercado financeiro é muito mais difícil conseguir antecipar o que uma determinada mudança vai provocar no preço das ações no futuro. 

Mas, ao contrário do que possa parecer, isso não é ruim.

É justamente essa dificuldade e imprevisibilidade que permite às mentes mais preparadas se sobressair diante daquelas que só conseguem pensar nos desdobramentos de primeiro grau. 

Quanto mais conhecimento sobre o mundo financeiro tiver, mais você vai conseguir aproveitar aquelas janelas de oportunidades que se abrem e fecham rapidamente, mas que podem trazer grandes ganhos aos mais preparados.

Uma das formas de se alcançar tal objetivo é através da leitura de alguns dos melhores livros sobre o mercado: Iludidos pelo acaso (Nassim Taleb), O mais importante para o investidor (Howard Marks), Ações comuns, lucros extraordinários (Philip Fisher), A Bola de neve (Alice Schroeder) e Princípios do Estrategista (Felipe Miranda e Ricardo Mioto) vão te ajudar muito nessa jornada. 

Mas é claro que se você conseguir complementar com uma formação na área, melhor ainda. Se você gostou da ideia, saiba que a Empiricus está oferecendo um curso de MBA completo sobre o mercado financeiro.

Além de aprender tudo o que você precisa saber para se dar bem no mundo dos investimentos, você receberá a lista de livros mencionada acima e ainda vai participar de um processo seletivo para trabalhar no mercado financeiro.

Se quiser conhecer mais sobre o assunto, deixo aqui o convite

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

IPO adiado

Bluefit: nem desconto de 20% garante estreia da rede de academias na bolsa

Inicialmente estimado em R$ 600 milhões, IPO da rede de academias de baixo custo agora deverá ter o valor reduzido e envolver apenas investidores institucionais, como fundos e fundações

Tensão EUA-China

Executiva da Huawei detida no Canadá em 2018 volta à China após acordo com os EUA

Confinada à cidade de Vancouver há quase três anos, onde havia sido presa sob acusação de fraude, CFO da Huawei, Meng Wangzhou, protagonizou incidente diplomático entre Canadá, EUA e China

o melhor do seu dinheiro

Mercados na semana: O destino da Evergrande, uma análise da Vale e seis ações indicadas por analistas

A semana que termina nos mercados foi marcada pela incerteza quanto ao futuro da incorporadora chinesa Evergrande e seus desdobramentos sobre a economia global. A crise na empresa, que tem um passivo oscilando à beira da insolvência, é consequência do aperto monetário e regulatório sobre o setor promovido pelo governo chinês desde o final do […]

Estimativas

Carrefour (CRFB3) divulga projeção para Atacadão e estima R$ 100 bi em vendas em 2024

A projeção de vendas brutas da rede no exercício social que se encerrará em 31 de dezembro de 2021 é de R$ 60 bilhões

PODCAST MESA PRA QUATRO

Da Conga até o Tik Tok: Gretchen conta de sua carreira artística e como administra seu dinheiro

Aos 60 anos, Gretchen relata sobre sua independência financeira e histórias de família e de carreira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies