Menu
O melhor do Seu Dinheiro
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-16T09:43:05-03:00
O melhor do Seu Dinheiro

Investimento em cripto é assim: pouco a perder, muito a ganhar

16 de abril de 2021
9:42 - atualizado às 9:43
Creative,Background,,Online,Casino,,In,A,Man’s,Hand,A,Smartphone

De uns tempos para cá, eu comecei a reconsiderar a minha postura em relação à loteria. Antes de me dedicar para valer à cobertura de finanças, não entendia para que as pessoas perdiam tempo na fila da lotérica para tentar a sorte na Mega-Sena.

Afinal, a probabilidade de ganhar com apenas uma aposta de seis números é de 1 para 50.063.860. O cálculo é da própria Caixa. Então, para que gastar dinheiro com isso?

As coisas começaram a mudar quando comecei a fazer o MBA de Finanças e Análise de Ações promovido pela Empiricus com a Estácio. Em uma aula sobre composição de carteira, dei de cara com o conceito de antifragilidade, e isso virou meu mundo de cabeça para baixo.

Resumidamente, antifragilidade é um termo desenvolvido por um dos gurus do mercado financeiro, Nassim Nicholas Taleb, e diz respeito a situações nas quais investidores se aproveitam de um risco limitado de perdas somado a um enorme potencial de retorno.

No caso da loteria, a aposta mínima, de seis números, custa R$ 4,50 e pode render milhões ao acertador dos seis números sorteados, e milhares para quem acertar quatro ou cinco números. E se você não ganhar, tudo bem, a perda é baixa, comparado ao tanto que você pode ganhar.

Não é apenas na lotérica em que você encontra enorme assimetria entre pouco risco e muito retorno. No mercado financeiro, temos as famosas opções com característica antifrágil de retorno, quando utilizadas corretamente. E ao contrário da Mega Sena, se o investimento vingar e der muito certo, não há limites para o seu lucro.

Os analistas estão sempre à caça dos ativos antifrágeis, e nos últimos tempos as criptomoedas estão cada vez mais se encaixando nesta categoria. O Ruy Hungria fala um pouco mais sobre esse tema e como você tem muito a ganhar e pouco a perder com moedas digitais.

Já eu vou lá na lotérica fazer a minha fezinha. Vai que...

O que você precisa saber hoje

SEU DINHEIRO CONVIDA

Em mais um artigo da série com empresas que abriram capital recentemente na B3, o CEO da Aura Minerals, Rodrigo Barbosa, fala sobre a importância de se ter ouro no portfólio como forma de proteção, especialmente na atual conjuntura, em que crescem os riscos de aceleração da inflação nos EUA e perda de valor do dólar.

MERCADOS

O Ibovespa conseguiu emplacar ontem o quarto dia consecutivo de alta, sustentando o recém-conquistado patamar dos 120 mil pontos, graças ao cenário externo favorável, que compensa as trapalhadas vindas de Brasília. O principal índice da B3 fechou em alta de 0,34%, aos 120.700 pontos, e o dólar caiu 0,75%, a R$ 5,63.

O que mexe com os mercados hoje? O Ibovespa segue vencendo (ou simplesmente ignorando) o caótico cenário doméstico, enquanto o exterior deve refletir positivamente os dados do PIB chinês e a temporada de balanços nos EUA.

EMPRESAS

Depois de uma tentativa frustrada há três anos, a Blau Farmacêutica conseguiu emplacar seu IPO, mas para isso teve que reduzir em 10% o piso da faixa indicativa e retirar a oferta secundária (de venda de posição de acionistas), diante da maior volatilidade do mercado.

A formação da nova administração do Banco do Brasil continua provocando polêmica. Dessa vez, o comitê responsável por avaliar indicações para cargos executivos retirou de pauta a análise da indicação da secretária-geral de administração da Advocacia-Geral da União para o conselho de administração. Entenda os motivos dessa decisão.

BR Distribuidora, Telefônica Brasil e Wiz anunciaram ontem o pagamento de proventos aos seus acionistas, incluindo dividendos e juros sobre capital próprio. Confira as condições para receber os valores.

ECONOMIA

A disputa política visando as eleições de 2022 esquentou de vez com a decisão do STF de manter a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Maior parceiro comercial do Brasil, a China divulgou dados econômicos robustos para o primeiro trimestre, ainda que um pouco abaixo do esperado. Veja como foi o desempenho do grande dragão vermelho no período.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua manhã". Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Tecnologia em foco

As big techs na balança: veja como foi o trimestre de Google, Microsoft e Twitter

Três das principais big techs americanas reportaram seus balanços nesta noite; veja como se saíram Alphabet/Google, Microsoft e Twitter

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Pressão nos juros, Elon Musk mais rico e o brilho das ações das elétricas

As projeções de bancos e economistas para a alta da Selic não param de subir. É possível ver essa tendência semanalmente no boletim Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central, em relatórios de diversas casas de análise e na curva dos juros futuros — que não param de ser revisados para patamares cada vez mais […]

ACIONISTAS FELIZES

Farra dos dividendos: Santander (SANB11), Klabin (KLBN11) e Porto Seguro (PSSA3) anunciam proventos; banco espanhol vai pagar R$ 3 bilhões aos acionistas

Confira mais detalhes sobre os valores por ação, previsão para o pagamento e a data-limite para entrar na festa de cada uma das três empresas

MERCADOS HOJE

Ibovespa volta a cair mais de 2% na véspera da decisão do Copom; inflação salgada e fiscal deteriorado comandaram o dia

O mercado financeiro aguarda ansioso pelas palavras do BC, que devem pesar a recente deterioração do cenário fiscal e a elevação dos preços. O Ibovespa teve novo dia de perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies