Menu
Rodolfo Amstalden
Exile on Wall Street
Rodolfo Amstalden
Sócio-fundador da Empiricus e autor do Programa de Riqueza Permanente
2021-04-22T15:09:52-03:00
Exile on Wall Street

Você daria 5 estrelas para os ativos da sua carteira?

22 de abril de 2021
10:55 - atualizado às 15:09
Hand,Giving,A,Five,Star,Rating

Imagino que você já foi convidado a dar notas para aplicativos, filmes, músicas, livros, restaurantes e até mesmo relatórios da Empiricus.

Ao nos depararmos com a média dessas notas, acessamos diretamente aquilo que os romanos antigos chamavam de "sabedoria das massas".

Por meio de um feedback loop social, tal sabedoria permite reduzir dramaticamente os custos da busca por sucesso.

Você e sua família não precisam mais testar diversos pontos da amostra para descobrir qual é a melhor escolha. Basta comparar as notas médias no Google, na App Store, na Amazon ou onde quer que seja.

Não tenho dúvidas de que a tecnologia ajuda muito nesse sentido, evitando a hospedagem em pousadas com banheiro coletivo sem janela.

Contudo, a tecnologia nunca vem isenta de falhas. Ao utilizarmos novas ferramentas, precisamos reconhecer seus defeitos.

À medida que os primeiros estudos estatísticos (sérios) começam a sair, notamos um forte viés de extremos na atribuição digital de notas.

Na Amazon, por exemplo, as avaliações de clientes giram em torno de 4,2 sobre um máximo de 5,0. No Uber, 90% das viagens recebem 5 estrelas.

Qualquer que seja a plataforma em questão, o gráfico de dispersão das notas vem tipicamente em forma de "J": algumas notas 1 do lado esquerdo, um vazio no meio e muitas notas 4 ou 5 do lado direito — sugerindo erros sistemáticos.

Isso significa que as avaliações que encontramos espalhadas pela internet não funcionam, na prática, como preditoras eficazes do sucesso de um bem ou serviço.

Percebendo a lacuna, a Netflix preferiu abandonar o sistema de cinco estrelas, substituindo-o por uma medida simples — e mais confiável — de dedão para cima ou para baixo.

Quão grave é esse problema de mensuração?

Grave o bastante para imaginarmos correlações positivas onde são negativas, ou vice-versa.

Tomando o exemplo de receitas de bilheteria nos cinemas, as estrelas são incapazes de registrar uma resposta crescente entre ratings melhores e receitas menores. 

Ao contrário, a resposta é decrescente, sugerindo que algumas notas péssimas e muitas notas ótimas são dadas a esmo.

Com algoritmos capazes de capturar a emoção da linguagem usada de forma espontânea em redes sociais, conseguimos devolver racionalidade à correlação em pauta.

Aplicável a diversos contextos, esse tipo de estudo me levou a pensar nas notas que damos para os ativos listados em Bolsa (targets? múltiplos?), e em como elas funcionam como um mapa errado.

Felizmente, há também um mapa certo, implícito na análise qualitativa, que dá muito mais trabalho de fazer.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Desceu redondo

Na Ambev, a venda de cerveja garantiu o happy hour no primeiro trimestre

A Ambev reportou forte crescimento na receita líquida e no lucro no primeiro trimestre, impulsionada pelas vendas de cerveja no Brasil

cardápio dos balanços

Balanços de Copel, Braskem, Azul e outros mexem com o mercado nesta quinta; veja os destaques

Só no Ibovespa, foram ao menos cinco companhias que revelaram os resultados do primeiro trimestre entre esta quarta e quinta; desempenho mexe com os papéis das companhias

Exile on Wall Street

Investir de maneira inteligente ajuda (mas não garante) retorno

Quero voltar aqui rapidamente ao Day One de terça, quando o Felipe citou o Soros em sua melhor forma, o arquétipo do investidor autocrítico: “Toda posição tem uma ou mais vulnerabilidades.” “Se você acha sua exposição perfeita, cuidado; você apenas não entendeu direito.”  “Sempre existe algo escondido ali, alguma armadilha não percebida a priori. Suas chances de […]

Dentro do balanço

Mercado Livre adere ao bitcoin e coloca R$ 40 milhões da criptomoeda em caixa

O documento foi publicado na página da SEC, a CVM americana, porque a empresa de entregas é listada na Nasdaq

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies