Menu
2021-02-09T17:29:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Agora é oficial

Gestora Hashdex e Nasdaq lançam o primeiro ETF de criptomoedas do mundo

Fundo que acompanha índice de criptomoedas criado pela gestora brasileira junto à bolsa americana começa a ser negociado na bolsa de valores de Bermudas

9 de fevereiro de 2021
12:01 - atualizado às 17:29
Criptomoedas bitcoin
Imagem: Shutterstock

Finalmente ele chegou. A gestora brasileira Hashdex acaba de lançar oficialmente, em parceria com a bolsa americana Nasdaq, o primeiro ETF de criptomoedas do mundo, o Hashdex Nasdaq Crypto Index.

O fundo de índice será negociado na Bolsa de Valores de Bermudas (Bermuda Stock Exchange - BSX), país que possui uma regulamentação avançada para o mercado de ativos digitais, segundo a Hashdex. A listagem do ETF já estava aprovada desde setembro de 2020.

Como todo ETF (sigla para Exchange Traded Fund), o Hashdex Nasdaq Crypto Index replica o retorno de um índice de mercado. No caso, do Nasdaq Crypto Index (NCI), indicador desenvolvido pela Nasdaq em parceria com a Hashdex.

Segundo a gestora de criptomoedas, o índice foi projetado para representar o mercado de criptoativos, selecionando moedas digitais por meio de "rígidos critérios de elegibilidade".

"O NCI passará por um processo de rebalanceamento a cada três meses, a fim de manter uma representação atual deste mercado", disse a Hashdex em nota à imprensa. O indicador será mantido pelo agente de cálculo da Nasdaq, CF Benchmarks.

Em nota, Stephen Koshansky, chefe de produtos e pesquisa de ativos digitais da Nasdaq, disse que a bolsa americana "trabalhou de perto com a Hashdex para criar critérios para o índice, que são objetivos na seleção de ativos para representar o mercado de criptomoedas. Eles serão filtrados e examinados por bolsas e provedores de custódia confiáveis".

Para a gestora brasileira, o ETF chega como uma solução segura e regulada para investidores institucionais ganharem exposição ao mercado de criptomoedas, o que deve acelerar a entrada desses investidores no segmento.

A entrada massiva de investidores institucionais no mercado de criptomoedas é vista como o principal fator que deve impulsionar esses ativos nos próximos anos.

Investidores brasileiros poderão investir no ETF por meio de três fundos que a Hashdex distribui no país. Eles oferecem 20%, 40% ou 100% de exposição ao ETF, podendo ser encontrados em plataformas de investimento como Ativa, BTG Pactual, Easynvest, Genial, Guide, Modalmais, Mycap, Necton, Órama, Rico, Terra, Warren, Vitreo e XP.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

fraco

B2W registra desempenho abaixo do esperado no 4º tri, mas sinaliza para bom 1º tri

Crescimento de 38,2% do GMV nos últimos três meses de 2020 fica abaixo das projeções dos analistas e do apresentado por seus concorrentes

Seleção da bolsa

As ações favoritas para o mês de março, segundo 13 corretoras

Com o cenário de incertezas ainda em alta, o mercado opta mais uma vez para papéis que podem atuar como porto seguro. Confira as principais recomendações dos analistaws

Sextou com o Ruy

A rentabilidade do vizinho é maior que a sua? Tome cuidado com os ganhos dos “traders perfeitos”

A inveja é, sem dúvida alguma, uma das piores inimigas de um investidor – isso se não for a pior. E quando estamos em um bull market (mercado em alta) parece que temos que lidar o tempo todo com ela

Vêm proventos por aí

B3 anuncia quase R$ 2 bi em dividendos, além de recompra e desdobramento de ações

Conselho de administração da companhia aprovou pagamento de dividendos do quarto trimestre e dividendos extraordinários referentes a 2020

Cenário pandêmico

B3 lucra R$ 4,2 bilhões em 2020, alta de 53%, com volatilidade dos mercados, ofertas de ações e juros baixos no Brasil

Cenário pandêmico acabou beneficiando os resultados da companhia, resultando em volatilidade e juros baixos que impulsionaram investidores e empresas a recorrerem ao mercado de capitais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies