Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-14T18:21:46-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Disparada

No embalo do recorde do bitcoin, ações da Coinbase chegam a disparar mais de 70% na estreia na Nasdaq

O CEO da empresa, Brian Armstrong, comentou mais cedo sobre a abertura de capital da Coinbase ao portal CNBC

14 de abril de 2021
14:40 - atualizado às 18:21
Logo da exchange Coinbase em tela de celular ao lado do símbolo do bitcoin

As negociações com as ações da plataforma de negociação de criptomoedas Coinbase (COIN) começaram a pleno vapor na bolsa americana Nasdaq. Após a abertura, no começo desta tarde, os papéis chegaram a disparar 71,82%, cotados a US$ 429,54 na máxima do dia.

O preço superou - e muito - a estimativa feita pela Bloomberg, que apontava um preço por ação da ordem de US$ 340 nos primeiros negócios com o papel.

Mais tarde, a alta desacelerou, e as ações fecharam com ganho de "apenas" 31,31%, a US$ 328,28. Hoje foi o primeiro dia de negociação das ações da exchange, que abriu o capital avaliada em US$ 65 bilhões, oito vezes mais do que na sua primeira etapa de captação privada em 2018, quando seu valor era estimado em US$ 8 bilhões. A ação saiu precificada a US$ 250.

A empresa conta com uma projeção inicial de lucro entre US$ 730 milhões e US$ 800 milhões. Além disso, é esperada uma receita de US$ 1,8 bilhão, de acordo com o The Economist.

'Uma tonelada de valor', diz CEO

Em entrevista à CNBC nesta quarta-feira (14), o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, espera que o modelo de negócios da empresa cresça “exponencialmente”.

Os braços de cartão de débito, gestão de fundos institucionais e o sistema Coinbase Earn, onde o cliente pode “aprender e ganhar” criptomoedas, devem corresponder a 50% da receita da empresa em “cinco ou dez anos”, segundo ele. 

Com a abertura de capital hoje, Armstrong disse mais cedo que vê a listagem da empresa de criptomoedas como um "momento marcante" para o espaço dos criptoativos. “Está criando uma tonelada de valor no mundo”, disse ele.

E a Coinbase não pretende ficar atrelada apenas ao Bitcoin, apesar de ele ser a principal criptomoeda do mercado. Armstrong afirma que a empresa irá adicionar 100 novos criptoativos e abrindo espaço para mais no futuro. 

Bitcoin nas alturas

Antes da abertura da bolsa, por volta das 11h no Brasil, o preço do Bitcoin bateu recordes pelo segundo dia seguido, saltando para quase US$ 65 mil, na semana seguinte após o valor de mercado da criptomoeda conseguir manter seu valor de US$ 1 trilhão por sete dias seguidos. 

Essa “estabilização” do Bitcoin se deve às grandes instituições financeiras que passaram a apostar no projeto. Por pressão dos clientes, Goldman Sachs, JPMorgan e Morgan Stanley passaram a se expor e oferecer criptoativos como alternativa de diversificação de investimentos. 

Além disso, o uso de Bitcoins no dia a dia também tem fortalecido a alta dos preços. O Paypal e a Visa passaram a usar a criptomoeda, tanto para processar pagamentos, quanto para compras do dia a dia. Mesmo que experimentais, os projetos passam o mesmo recado: o Bitcoin é confiável e vale muito.

Movimentando o mundo cripto

Para Fabio Moura, do escritório especializado em blockchain e cripto AMX Law, o recado que a Coinbase passa para os investidores é claro: ser um exemplo de boas práticas. "Eles não são a maior exchange do mundo, mas a Coinbase buscou ser um exemplo de compliance regulatório, licenças adequadas e transparência de governança. É o exemplo de 'bom aluno' ao mercado", afirma ele.

Isso pode atrair outras empresas do setor a abrirem capital como forma de arrecadar recursos. Por exemplo, as movimentações e rumores sobre o Mercado Bitcoin buscar bancos para realizar seu IPO é um desses casos.

Quando procurada, a corretora preferiu não comentar o assunto, mas fontes do mercado apontaram que, se a Coinbase experimentar uma grande valorização, o apetite pelo Mercado Bitcoin poderá ser ainda maior.

O CEO da Binance, Changpeng Zhao, uma das principais concorrentes da Coinbase, parabenizou Brian Armstrong pela entrada do mundo cripto em um mercado tão tradicional quanto a bolsa norte-americana.

E continua: "Nós não pensamos em IPO, pelo menos no curto prazo, porque nosso modelo de negócios tem crescido de maneira orgânica e sustentável". Para Zhao, a abertura de capital implica em algumas mudanças nas diretrizes da companhia. "Cada empresa tem uma abordagem e um modelo de negócios diferentes", conclui ele.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Os investidores agora viraram virologistas: os impactos da Ômicron sobre os mercados

Ainda não sabemos o bastante para decidir se esta é uma oportunidade de compra, mas parecemos estar mais preparados como sociedade para enfrentar o problema

VAREJO DECEPCIONADO?

Black Friday supera prévias, mas vendas do fim de semana ainda ainda perdem para os números registrados em 2019

Segundo índice calculado pela Cielo, as vendas cresceram 6,9% em relação ao ano passado, mas foram 3,8% inferiores ao período pré-pandemia

Adeus ano velho

Ano novo, impostos novos! Reforma do IR fica para 2022, confirma presidente do Senado

O governo Bolsonaro pressionava pela aprovação da proposta para financiar o Auxílio Brasil, mas não conseguiu apoio na Casa

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Bitcoin e bolsa se recuperam após susto com nova variante, Azul e Latam sobem o tom e outros destaques do dia

Pouco se sabe ainda sobre a nova variante do coronavírus detectada na África do Sul, mas o que veio à público até agora é muito melhor do que o mercado financeiro precificou na última sexta-feira (26). Sem o pânico visto na semana passada, o Ibovespa encontrou forças para abrir a semana em alta.  Um estudo […]

Fechamento do dia

Mercado supera susto com ômicron, e bolsas globais engatam recuperação; Ibovespa sobe com menos força, de olho na PEC dos precatórios

Pesando os desafios fiscais brasileiros, o Ibovespa fechou longe das máximas, mas se recuperou parcialmente do tombo de sexta-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies