Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-23T13:42:46-03:00
Estadão Conteúdo
DE OLHO NAS CONTAS PÚBLICAS

Publicado sem alarde, relatório do governo prevê déficit de R$ 861 bi no Orçamento em 2020

Expectativa do Ministério da Economia para receitas em 2020 piorou em R$ 9,7 bilhões

23 de setembro de 2020
6:54 - atualizado às 13:42
Paulo Guedes
Paulo Guedes, ministro da Economia - Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

O Ministério da Economia divulgou nesta terça-feira (22) a avaliação bimestral do Orçamento com uma projeção de déficit de R$ 861 bilhões em 2020.

O anúncio, tradicionalmente feito com entrevista coletiva dos principais secretários que cuidam da área fiscal do governo, desta vez se restringiu a um documento oficial e uma nota à imprensa divulgados pela pasta às 19h25, quando a mensagem de envio do relatório já havia sido publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O envio silencioso do relatório ocorre na semana seguinte à polêmica envolvendo o Renda Brasil, como vinha sendo chamado o novo programa social do governo Jair Bolsonaro.

Em entrevista ao site “G1”, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, defendeu o congelamento de aposentadorias e mudanças no seguro-desemprego para liberar recursos para o Renda Brasil. A declaração enfureceu o presidente, que ameaçou dar "cartão vermelho" a quem propusesse algo do tipo.



Após o alerta de Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reuniu sua equipe às pressas e decretou uma espécie de "lei do silêncio" entre os integrantes da equipe econômica, para evitar novos vazamentos e, consequentemente, desgastes com o Palácio do Planalto.

O relatório bimestral é uma divulgação periódica do Ministério da Economia, que costuma ter a presença de Waldery e secretários da área de Orçamento. O último, com a participação do secretário especial de Fazenda, foi anunciado em 22 de julho.

Piora na receita

No documento divulgado ontem, a Economia informou que sua expectativa para receitas em 2020 piorou R$ 9,725 bilhões, passando a R$ 1,446 trilhão. A queda se deve a alterações na legislação tributária em função do combate à covid-19, ao resultado da arrecadação entre junho e agosto de 2020 e à revisão das estimativas de impacto do adiamento no recolhimento de tributos.

Houve ainda mudança na projeção da arrecadação de contribuições previdenciárias e de royalties de petróleo. Por outro lado, houve uma compensação parcial das perdas com a renovação antecipada de contratos de concessões da Ferrovia Norte Sul e da Ferrovia Malha Paulista.



No caso das despesas, a previsão aumentou R$ 63,6 bilhões em relação ao projetado no terceiro bimestre, passando a R$ 2,046 trilhões. O maior aumento foi de R$ 84,4 bilhões em novos créditos extraordinários para autorizar despesas relacionadas ao combate à pandemia - entre eles os R$ 67,6 bilhões que bancarão a prorrogação do auxílio emergencial até o fim do ano, no valor de R$ 300 por pessoa.

O valor de subsídios, por sua vez, caiu R$ 17,3 bilhões, principalmente com a redução de recursos destinados a subsidiar a linha de crédito para a folha de salários de trabalhadores, que registrou baixa demanda das companhias em meio à migração do apetite para outras linhas mais simplificadas e voltadas para micro e pequenas empresas.

A Economia informou ainda que espera uma despesa R$ 4,5 bilhões menor com benefícios previdenciários do INSS, o que proporcionou uma redução no déficit previsto para R$ 274,268 bilhões em 2020. A previsão de gastos com abono e seguro-desemprego ficou praticamente estável em R$ 62,98 bilhões.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Super Quarta

Saiba como ganhar dinheiro apostando na taxa básica de juros (Selic)

Entenda como apostar na alta e na queda da taxa Selic

RadioCash

Para Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central, crescimento do PIB em 2022 será praticamente zero

Em entrevista ao podcast RadioCash, o economista deu sua opinião sobre a atual política monetária do BC, a situação do câmbio e afirmou que o cenário está difícil para reformas

MERCADOS HOJE

Ibovespa e bolsas globais colocam problemas com Evergrande de lado e buscam recuperação após tombo da véspera; dólar recua

A incerteza em torno dos problemas financeiros da gigante chinesa Evergrande persistem, mas as bolsas globais buscam recuperação após as perdas da véspera. Ibovespa monitora discurso de Bolsonaro na ONU

cautela nas alturas

O que mexe com o bitcoin (BTC) hoje: cautela antes da fala de presidente da CVM americana e Evergrande pressionam mercado de criptomoedas

Além disso, a cautela pré-Fed também deve limitar os ganhos. Enquanto isso, El Salvador segue comprando BTC e já acumula US$ 30 bi em criptomoedas

Mais do mesmo

Bolsonaro faz discurso politicamente moderado na ONU, mas alfineta governadores e prefeitos e defende ‘tratamento precoce’

Presidente atribuiu inflação acelerada a medidas de isolamento social adotadas na tentativa de deter o avanço do coronavírus

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies