2020-08-12T14:05:29-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
negócio assinado

Stone confirma acordo de fusão com a Linx em negócio de R$ 6 bilhões

Acordo avalia ação da Linx em R$ 33,76. Operação será implementada por meio da incorporação de ações, pela qual cada ação ordinária da Linx será contribuída para a Stone em troca de papéis preferenciais

11 de agosto de 2020
18:43 - atualizado às 14:05
Imagem: Montagem Andrei Morais/Divulgação/Shutterstock

A Stone confirmou que assinou um acordo definitivo de fusão com a Linx, segundo comunicado desta terça-feira (11), em um negócio de R$ 6,04 bilhões.

Mais cedo, a Linx havia informado em comunicado que estudava a possibilidade de uma combinação de negócios. A notícia fez os papéis (LINX3) dispararem 31,5% hoje na B3.

A transação será implementada por meio de uma incorporação de ações, pela qual cada ação ordinária da Linx será incorporada pela Stone em troca de uma ação preferencial Classe A recém-emitida da empresa e uma ação preferencial Classe B recém-emitida.

Imediatamente após o processo, cada ação preferencial Classe A da Stone será resgatada mediante pagamento de R$ 30,39. Enquanto isso, cada ação preferencial Classe B será resgatada por 0,0126774 ação Classe A da Stone, segundo uma relação-base de troca de ações definida.

Essa relação representa um valor total de R$ 33,7625 para cada ação da Linx, considerando o preço da ação da Stone em 7 de agosto.

O valor representa um prêmio de 41,6% sobre o preço médio ponderado por volume da ação da Linx nos 60 dias anteriores à data de referência, e 28,3% para os 30 dias anteriores à data de referência, diz a Stone.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Os termos da operação serão apresentados aos diretores da Linx em um protocolo, diz a Stone.

O documento poderá conter alternativas para combinações de tranches em dinheiro e ações Classe A da Stone — desde que se encontrem no limite total de caixa de R$ 5,4 milhões e do total de ações Classe A, de R$ 2,3 milhões.

A conclusão do negócio depende do Cade e da aprovação dos acionistas da Linx.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

DESTAQUES DO DIA

Commodities brilham e Gerdau (GGBR4), Braskem (BRKM5) e PetroRio (PRIO3) puxam recuperação do Ibovespa

Enquanto o Ibovespa sobe mais de 1%, o bom desempenho das empresas ligadas ao setor de commodities puxam a recuperação do índice

Bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin começa dezembro em alta e se mantém nos US$ 58 mil; Terra (LUNA) e Shiba Inu (SHIB) são destaques entre as altcoins

As criptomoedas deixam para trás um final de mês difícil e avançam apesar das últimas declarações da secretária do Tesouro dos EUA sobre a regulamentação de stablecoins

Conteúdo NovaDAX

NovaDAX diversifica portfólio com listagem de cinco novas moedas

Os investidores da plataforma agora tem mais opções de trade

BURACO NEGRO

Empresa de Elon Musk à beira da falência? Bilionário admite que o risco é real se a SpaceX não decolar

Em e-mail enviado aos funcionários, CEO descreve a existência de uma crise muito pior do que a imaginada no desenvolvimento dos motores Raptor

Índice em expansão

Casa cheia: Porto Seguro (PSSA3) e Positivo (POSI3) entram na primeira prévia do novo Ibovespa

As units da GetNet (GETT11) foram excluídas da carteira nessa primeira prévia; com isso, o Ibovespa começaria 2022 com 93 ativos