Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-05-14T07:43:25-03:00
Estadão Conteúdo
crise coronavírus

‘Auxílio para as empresas não deve ser a fundo perdido’, diz presidente da Whirlpool

Executivo criticou a falta de sintonia entre as várias esferas do governo no que se refere ao combate à pandemia de covid-19

14 de maio de 2020
7:41 - atualizado às 7:43
João Carlos Brega
Brasil, São Paulo, SP, 10/05/2016. Retrato de João Carlos Brega, presidente da Whirlpool para a América Latina, empresa dona das marcas Brastemp e Consul. - Imagem: ÉRGIO CASTRO/ESTADÃO CONTEÚDO

A crise gerada pelo novo coronavírus deixou alguns setores à beira do colapso. O presidente da multinacional Whirlpool, João Carlos Brega, afirma que, apesar das dificuldades sem precedentes, o governo federal precisa ser cirúrgico ao liberar recursos.

"Todo mundo está tendo dificuldade - e há algumas situações extremas, como a das companhias aéreas", disse o executivo, durante a série de entrevistas ao vivo Economia na Quarentena, do jornal O Estado de S. Paulo.. "(Mas a liberação) não pode ser a fundo perdido, pois é o dinheiro do contribuinte, dos impostos."

O executivo também criticou a falta de sintonia entre as várias esferas do governo no que se refere ao combate à pandemia de covid-19. "A prioridade deve ser a crise sanitária, que gerou a crise econômica. Sem se resolver a crise sanitária, vai ser como vender geladeira para esquimó." A americana Whirlpool fabrica e distribui as marcas de eletrodomésticos Brastemp, Cônsul e Kitchen Aid no Brasil. A companhia está presente no País há mais de 60 anos.

Brega disse ainda que a crise deve se estender mais do que se imaginava inicialmente. Ele prevê um segundo semestre ainda marcado por período recessivo "muito forte". "O Brasil e a América Latina sentiram os efeitos do vírus mais tarde do que outras regiões do mundo. E eu pessoalmente lamento o desalinhamento entre os governantes para termos uma solução mais adequada na parte sanitária", disse.

O segmento de linha branca vem sofrendo com o fechamento das lojas físicas de eletrodomésticos, que concentram cerca de 50% da demanda. Embora as vendas online tenham crescido em março e abril e ajudado um pouco o Dia das Mães, o resultado nem de longe foi suficiente para compensar a perda de metade do movimento.

Mesmo depois que o comércio não essencial puder abrir as portas, Brega projeta um problema de demanda. Isso porque, segundo ele, o segmento de eletrodomésticos é puxado por dois fatores. "O primeiro é de reposição: se quebrou, você precisa substituir os produtos essenciais. E a segunda alavanca é a compra planejada, motivada por uma reforma ou casamento, por exemplo. Essa segunda deixou de existir. Hoje nós vivemos da reposição."

É só mais adiante, depois que a questão da pandemia estiver equalizada, que o executivo da Whirlpool vê algums movimentos positivos para o setor - entre eles, a tendência de as pessoas cozinharem mais em casa e, por isso, comprarem eletrodomésticos de mais qualidade. No Brasil, uma das demandas que teve crescimento durante a pandemia foi por máquinas de lavar louça. Brega afirma que é um campo ainda inexplorado. Hoje, segundo ele, menos de 2% dos domicílios brasileiros utilizam o aparelho.

Contratos suspensos

Embora tenha criticado a crise política e as discordâncias entre diferentes esferas de governo, o executivo elogiou a medida provisória do Ministério da Economia que flexibilizou as relações de trabalho durante o período da pandemia de coronavírus - ele classificou a decisão como "muito feliz".

"Na parte administrativa (da Whirlpool), parte dos funcionários está em home office e outra parte que está com contrato suspenso. Na manufatura, não houve suspensão, mas houve redução de jornada (e de salário). E isso descontando as pessoas do grupo de risco, que estão afastadas desde o início de março", explicou Brega.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

O melhor do Seu Dinheiro

Os melhores investimentos do mês e as notícias que foram destaque na semana

lém do ranking, tivemos o Ibovespa em queda de 2,60, e uma entrevista exclusiva com o CEO da Ânima Educação, que busca um “modelo Magalu”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies