Menu
2020-06-18T12:03:27-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
mudanças no setor

Ações de Oi, Vivo e TIM sobem após decreto sobre obrigações regulatórias

Medida abre uma avenida de negócios no setor; Oi deve sair na frente, pois tem a maior capilaridade do País

18 de junho de 2020
12:00 - atualizado às 12:03
Oi Telefônica Vivo Tim

As ações das teles Oi, Telefônica (dona da Vivo) e TIM sobem em bloco nesta quinta-feira (18), após a publicação em Diário Oficial na noite de ontem do decreto que regulamenta a lei das teles (13.879/19). Por volta das 12h, o desempenho dos papéis era o seguinte:

  • Oi (OIBR4): R$ 1,42 (+5,12%)
  • Telefônica (VIVT4): R$ 50,84 (+2,42%)
  • TIM (TIMP3): R$ 14,83 (+1,37%)

Segundo o decreto, as operadoras de telefonia fixa que quiserem migrar do regime de concessão para o de autorização poderão contratar um terceiro para oferecer o serviço nos locais onde não quiserem estar presentes.

A migração de regimes é voluntária, porém bastante almejada por Telefônica, Oi e Embratel (do grupo Claro). A mudança permitirá a troca de obrigações regulatórias assumidas na concessão de 1997 e consideradas obsoletas hoje em dia, como manutenção de orelhões, por investimentos na expansão da banda larga em regiões carentes de acesso.

O artigo 7º do decreto prevê que a operadora que optar pela migração "poderá contratar com terceiro a construção e a operação da infraestrutura para atendimento aos compromissos de investimento".

Oi sai na frente

A medida abre uma avenida de negócios no setor. Nesse aspecto, a Oi sai na frente, pois tem a maior capilaridade do País, com 388 mil quilômetros de rede de fibra ótica, cobertura de 2,3 mil cidades e 6 milhões de residências habilitadas.

Aliás, o decreto coincide com o anúncio do novo plano de negócios da Oi feito nesta semana, que prevê a constituição de uma subsidiária voltada ao fornecimento de infraestrutura para outras operadoras.

Além da Oi, os provedores regionais de banda larga também poderão tirar uma grande vantagem do decreto ao atender as teles em zonas onde elas dificilmente terão condições de alcançar. De acordo com o decreto, o mínimo de 50% das metas deverá ser cumprido nas regiões Norte e Nordeste - as mais carentes no acesso à internet rápida.

Prazos

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) terá seis meses para regulamentar os termos para que as operadoras de telefonia fixa possam migrar do regime de concessão para autorização. O prazo passa a contar a partir da publicação do decreto.

Já a conclusão do processo inteiro deve demorar bem mais que isso. Conforme apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a migração deve atrasar e ficar apenas para 2023. Isso porque houve uma demora da agência reguladora em definir o saldo dos bens reversíveis para a mudança de regime.

Os bens reversíveis são aqueles ativos considerados públicos, mas que ficam em posse das operadoras para prestação do serviço de telefonia durante o período de concessão. O inventário abrange desde redes, equipamentos até imóveis. A avaliação e cálculo do valor será feito por uma empresa especializada e levará um ano, segundo a Anatel.

Na mudança de regime, as operadoras poderão ficar em definitivo com os bens reversíveis em troca dos investimentos em banda larga.

Por sua vez, as empresas alegam que uma boa parte dos ativos se deteriorou desde o início da concessão ou caiu em desuso pela troca de tecnologias, o que levaria seu valor a zero.

Na prática, isso se traduziria na necessidade de menos investimentos por elas numa eventual mudança de regime. Mas isso será questionado e examinado com lupa pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

*Com informações de Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Prévia operacional

Com avanço em vendas e lançamentos em 2020, Mitre divulga prévias operacionais fortes

Houve crescimento nos números da construtora tanto no trimestre quanto no ano. BTG Pactual considerou resultados “excepcionais”

ambições

Prestes a colocar mais R$ 2,5 bi no caixa, BTG prepara aquisições na área digital

Banco deve fazer novas aquisições para fortalecer plataforma e viabilizar crescimento orgânico de área digital, diz fonte

Prévia operacional

Vendas da Even totalizam R$ 402 milhões no 4º trimestre, queda de 33% na comparação anual

Lançamentos totalizaram R$ 482 milhões no período, 40% a menos que no quarto trimestre de 2019, mas geração de caixa foi robusta; Melnick também viu queda de vendas e lançamentos no ano e no trimestre

Mercados hoje

Bolsa cai mais de 1% com incerteza sobre pacote de Biden e segunda onda da covid-19

Existe uma certa desconfiança de que o plano encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas

números promissores

Aura Minerals projeta crescimento de até 42% da produção em 2021

Desempenho neste ano deve ser puxado por mina em Honduras, que deve ser manter como principal fonte de minério

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies