Menu
2020-05-14T13:45:40-03:00
produção industrial

Veículos e alimentação puxam queda na indústria de SP; petróleo segura RJ

IBGE informou que o tombo de 9,1% na produção industrial na passagem de fevereiro para março foi verificado em todos os 15 locais pesquisados

14 de maio de 2020
13:45
Honda carros veículos
Imagem: Shutterstock

A queda na produção industrial de São Paulo em março, de 5,4% ante fevereiro, foi puxada pelas indústrias automotiva e de alimentos e bebidas, informou Bernardo Monteiro, analista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já a indústria do Rio teve desempenho relativamente positivo, por causa do setor de petróleo e gás.

O IBGE informou que o tombo de 9,1% na produção industrial na passagem de fevereiro para março foi verificado em todos os 15 locais pesquisados, conforme a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional.

A queda de produção na indústria paulista, assim como ocorreu na média nacional, cujos dados foram divulgados na semana passada, foi a maior desde maio de 2018, quando a greve dos caminhoneiros paralisou a atividade. Naquela ocasião, a indústria de São Paulo perdeu 12,4% ante abril de 2018.

Individualmente, a indústria paulista responde por 34% da produção nacional. "14 das 18 atividades da indústria paulista obtiveram resultados negativos", afirmou Monteiro.

Além de São Paulo, o desempenho dos parques industriais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, com quedas recordes de 20,1% e 17,9%, respectivamente, puxaram o tombo na indústria nacional. Na indústria gaúcha, a produção de veículos e na cadeia de couro e calçados puxaram o desempenho negativo. No caso catarinense, o destaque negativo ficou com a indústria têxtil e de vestuário.

O desempenho da indústria do Rio, que responde por 10,5% da produção nacional, logo após a indústria mineira, com 11%, chamou atenção positivamente. A queda ante fevereiro foi de apenas 1,3% e, ante março de 2019, houve avanço de 9,4% na indústria fluminense, em movimento puxado pelo setor de petróleo e gás.

"A queda no Rio não foi tão acentuada (na passagem de fevereiro para março) porque temos setores que vêm influenciando positivamente, por causa de sua estratégia de produção", afirmou Monteiro.

O desempenho positivo foi verificado tanto na extração de petróleo quanto na produção de derivados, como combustíveis e insumos petroquímicos. O setor de petróleo e gás também segurou a indústria da Bahia, cuja produção encolheu 5,0% na passagem de fevereiro para março, mas avançou 5,8% em relação a março de 2019.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Casamento à vista?

Linx e Stone negociam fusão; ações disparam

Os papéis da Linx (LINX3) dispararam mais de 30% na B3 após o anúncio, feito por meio de um fato relevante encaminhado na hora do almoço; os papéis da Stone, listados na Nasdaq, também subiam forte

financial journey

Como sair agora da renda fixa?

Dara Chapman vai contar só para você como diversificar seus investimentos agora

resultado positivo

Rentabilidade de 4,90% do FGTS em 2019 supera inflação, poupança e dólar

O valor será repartido de forma proporcional aos saldos de cada conta do FGTS e o depósito ocorrerá até o dia 31 de agosto

saque liberado

Conselho do FGTS aprova distribuição de R$ 7,5 bi de lucro aos trabalhadores

O montante equivale a 66,23% do resultado global do FGTS em 2019, que foi superavitário em R$ 11,324 bilhões

expandindo horizontes

Azul lança nova empresa de aviação regional e quer chegar a 200 cidades

A cerimônia de lançamento foi em Jundiaí e contou com a presença de profissionais e executivos da empresa e representantes do governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements