Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-20T07:48:42-03:00
Estadão Conteúdo
novo investimento

Startup Olist, de e-commerce, levanta aporte de R$ 310 milhões

Segundo Tiago Dalvi, CEO da startup, a busca por um novo investimento foi causada pela aceleração do comércio eletrônico durante o período da pandemia do novo coronavírus.

20 de novembro de 2020
7:48
e-commerce
e-commerce - Imagem: Shutterstock

Especializada em e-commerce, a startup curitibana Olist anunciou nesta quinta, 18, que recebeu uma nova rodada de aportes de R$ 310 milhões. O cheque foi liderado pelo grupo japonês SoftBank, que já havia participado de uma rodada de R$ 190 milhões na empresa em 2019.

Segundo Tiago Dalvi, CEO da startup, a busca por um novo investimento foi causada pela aceleração do comércio eletrônico durante o período da pandemia do novo coronavírus. "A quarentena nos fez avançar a estratégia em um ano e meio. Por isso, precisamos nos capitalizar", diz.

Fundada em 2015 por Dalvi, a Olist é conhecida por ajudar lojas físicas a terem uma presença online, colocando seus produtos à venda em sites como MercadoLivre, Amazon e Submarino pelo sistema de marketplace.

Além disso, a empresa também lançou um pouco antes da quarentena um novo serviço, o Olist Shops, que permite a qualquer vendedor criar sua própria loja online de forma fácil. Uma terceira vertical, o Olist Envios, garante que a logística por trás das vendas funcione. Somados, os três serviços tem hoje 90 mil clientes - o triplo do que a startup possuía em junho deste ano.

"Estamos crescendo em três dígitos e queremos manter esse ritmo pelos próximos três anos", afirma Dalvi, que atende clientes em 165 países diferentes - a maior parte dos clientes de fora usa só a solução do Shops, voltada a iniciantes no mundo digital. Além do SoftBank, participaram da rodada fundos como o Península, de Abilio Diniz e o Valor Capital Group, além do investidor americano Kevin Efrusy, conhecido por ter participado do fundo Accel Partners e ter feito cheques em empresas como Gympass e Kovi.

Junto ao aporte, a Olist também revelou a compra da Clickspace, especializada em soluções de comércio via canais sociais. O valor da operação não foi revelado. "Estamos interessados em fusões e aquisições, em temas como e-commerce, finanças e logística", afirma Dalvi. Segundo ele, mais uma aquisição deve ser anunciada até o final de 2020.

Além de ir às compras, a Olist também deve aproveitar os recursos do aporte para expandir seu time: hoje, a empresa tem 480 funcionários. Até o final de 2021, deve contratar entre 200 e 250 pessoas, com foco em tecnologia. "Hoje, o time de tecnologia é 40% da Olist, mas a meta é que seja a maioria muito em breve", diz o empreendedor.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies