Menu
2020-11-20T07:48:42-03:00
Estadão Conteúdo
novo investimento

Startup Olist, de e-commerce, levanta aporte de R$ 310 milhões

Segundo Tiago Dalvi, CEO da startup, a busca por um novo investimento foi causada pela aceleração do comércio eletrônico durante o período da pandemia do novo coronavírus.

20 de novembro de 2020
7:48
e-commerce
e-commerce - Imagem: Shutterstock

Especializada em e-commerce, a startup curitibana Olist anunciou nesta quinta, 18, que recebeu uma nova rodada de aportes de R$ 310 milhões. O cheque foi liderado pelo grupo japonês SoftBank, que já havia participado de uma rodada de R$ 190 milhões na empresa em 2019.

Segundo Tiago Dalvi, CEO da startup, a busca por um novo investimento foi causada pela aceleração do comércio eletrônico durante o período da pandemia do novo coronavírus. "A quarentena nos fez avançar a estratégia em um ano e meio. Por isso, precisamos nos capitalizar", diz.

Fundada em 2015 por Dalvi, a Olist é conhecida por ajudar lojas físicas a terem uma presença online, colocando seus produtos à venda em sites como MercadoLivre, Amazon e Submarino pelo sistema de marketplace.

Além disso, a empresa também lançou um pouco antes da quarentena um novo serviço, o Olist Shops, que permite a qualquer vendedor criar sua própria loja online de forma fácil. Uma terceira vertical, o Olist Envios, garante que a logística por trás das vendas funcione. Somados, os três serviços tem hoje 90 mil clientes - o triplo do que a startup possuía em junho deste ano.

"Estamos crescendo em três dígitos e queremos manter esse ritmo pelos próximos três anos", afirma Dalvi, que atende clientes em 165 países diferentes - a maior parte dos clientes de fora usa só a solução do Shops, voltada a iniciantes no mundo digital. Além do SoftBank, participaram da rodada fundos como o Península, de Abilio Diniz e o Valor Capital Group, além do investidor americano Kevin Efrusy, conhecido por ter participado do fundo Accel Partners e ter feito cheques em empresas como Gympass e Kovi.

Junto ao aporte, a Olist também revelou a compra da Clickspace, especializada em soluções de comércio via canais sociais. O valor da operação não foi revelado. "Estamos interessados em fusões e aquisições, em temas como e-commerce, finanças e logística", afirma Dalvi. Segundo ele, mais uma aquisição deve ser anunciada até o final de 2020.

Além de ir às compras, a Olist também deve aproveitar os recursos do aporte para expandir seu time: hoje, a empresa tem 480 funcionários. Até o final de 2021, deve contratar entre 200 e 250 pessoas, com foco em tecnologia. "Hoje, o time de tecnologia é 40% da Olist, mas a meta é que seja a maioria muito em breve", diz o empreendedor.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Entrevista

‘Desemprego alto e déficit público nos deixam cautelosos’, diz presidente da Whirlpool

CEO da fabricante das marcas Consul e Brastemp diz estar cauteloso para investir em produção e em relação à sustentabilidade da demanda, por conta de desemprego e da situação fiscal

Mercadores da noite

Bolsa, dólar e juros subindo: qual dos três está mentindo?

Quando a Bolsa, o dólar e as taxas de juros estão subindo ao mesmo tempo, um dos três está mentindo – qual deles será e o que fazer?

Infraestrutura

Novo marco legal para ferrovias vai a votação no Senado na próxima semana

Legislação promete organizar regras do setor e permitir novos formatos para a atração de investimentos privados

Telecomunicações

Operadoras cobram transparência do governo na definição da tecnologia 5G

Teles se dizem preocupadas com as “incertezas” relativas ao processo, depois de governo sinalizar banimento da chinesa Huawei

Recorde

Estrangeiros põem R$ 30 bilhões na bolsa brasileira em novembro

Trata-se de recorde de entrada de recursos estrangeiros em um mês, impulsionado pela migração de recursos para bolsas emergentes; movimento por aqui, porém, pode ser passageiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies