Menu
2020-07-28T09:49:47-03:00
Estadão Conteúdo
Meio ambiente em pauta

Setor agro discute com Mourão e ministra desenvolvimento sustentável da Amazônia

Mourão defendeu a melhoria da infraestrutura com a utilização maior das hidrovias para escoamento da produção de grãos vinda do Centro-Oeste e a melhoria dos portos da Região Norte

28 de julho de 2020
9:49
hamilton-mourao
Hamilton Mourão - Imagem: Shutterstock

Em videoconferência realizada na tarde desta segunda-feira, 27, com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, entidades do Conselho do Agro, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e 27 federações estaduais de agricultura debateram uma "agenda positiva e conjunta" com o Conselho da Amazônia - presidido por Mourão - para ajudar a promover o desenvolvimento sustentável da região, aliando crescimento e preservação ambiental.

De acordo com nota da CNA divulgada, discutiu-se como o setor agropecuário pode contribuir para o desenvolvimento sustentável da Amazônia e a imagem do Brasil no cenário internacional. Para o presidente da CNA, João Martins, três pontos são fundamentais para levar a estratégia à frente: regularização fundiária, logística e infraestrutura e assistência técnica e gerencial. "Esses seriam os vetores de transformação da Amazônia. A CNA entende que todos nós somos responsáveis por essa transformação e se alinha ao esforço do Conselho da Amazônia e se dispõe a participar da construção de uma agenda positiva", disse Martins.

Ainda segundo a nota da CNA, Mourão destacou que o governo tem quatro objetivos fundamentais: integridade do território, do patrimônio, democracia e paz social. Também expôs as ações do Executivo para implantar medidas estruturantes para a região, entre elas a regularização fundiária. "Se não dermos títulos de terra, os produtores não terão acesso a financiamentos nem assistência técnica", alertou.

Mourão defendeu, também, a melhoria da infraestrutura com a utilização maior das hidrovias para escoamento da produção de grãos vinda do Centro-Oeste e a melhoria dos portos da Região Norte, além de maior integração tecnológica e energética e da reforma administrativa a fim de dispor de mais pessoas para as ações voltadas para a região.

Já Tereza Cristina relatou que seu ministério tem participado ativamente do Conselho da Amazônia para discutir ações integradas e afirmou que o Brasil "dará as respostas necessárias ao mundo e a todos que têm interesse na Amazônia". Também reforçou a importância da Assistência Técnica e Gerencial, principalmente para os pequenos produtores.

Também participante da videoconferência, o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas, propôs a participação das cooperativas financeiras como mais um agente de distribuição de recursos de fontes como o Fundo Constitucional de Financiamento da Região Norte (FNO) para alavancar o cooperativismo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

medida anticrise

Governo vai prorrogar novamente corte de jornada e salário

Programa foi anunciado em abril como medida para evitar um aumento ainda maior do desemprego diante da pandemia do novo coronavírus

defesas na corte

STF julga ação sobre venda de refinarias da Petrobras; veja o que já foi dito

Corte analisa um pedido de autoria do Senado Federal que alega que o governo federal estaria desmembrando a empresa para vender ativos; julgamento acontece nesta quinta

atenção, acionista

Hypera paga R$ 185,4 milhões em juros sobre capital próprio

Segundo a empresa, serão de R$0,29290 por ação ordinária, com retenção de imposto de renda na fonte; veja condições

PANDEMIA NO PAÍS

Brasil registra 1.031 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

O último registro acima de mil mortes pela covid-19 havia ocorrido em 15 de setembro

privatizações

‘Paulo Guedes está desequilibrado’, diz Maia após acusação

Ministro falou que há boatos de que o deputado fez um acordo com a esquerda para não pautar as privatizações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements