🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
retomada econômica

Serviços crescem 2,6% em julho ante junho, mas caem 12% na comparação anual

Em 12 meses, os serviços acumulam queda de 4,5%, segundo o IBGE. A receita bruta nominal do setor de serviços subiu 1,4% em julho ante junho

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
11 de setembro de 2020
10:56
Imagem: Shutterstock

O volume de serviços prestados subiu 2,6% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços divulgados nesta sexta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No mês anterior, o resultado do indicador foi revisto de uma alta de 5% para um avanço de 5,2%. Na comparação com julho do ano anterior, houve redução de 11,9% no volume de serviços prestados, já descontado o efeito da inflação.

A taxa acumulada no ano foi de redução de 8,9%. Em 12 meses, os serviços acumulam queda de 4,5%, segundo o IBGE. A receita bruta nominal do setor de serviços subiu 1,4% em julho ante junho. Na comparação com julho de 2019, houve recuo de 12,8% na receita nominal.

Perdas no ano

“O avanço de 2,6% não foi suficiente para eliminar as perdas observadas entre fevereiro e maio. Vale destacar que o efeito da pandemia propriamente dito ocorreu entre março e maio. O resultado negativo de fevereiro ainda não era decorrente das medidas de isolamento social e sim uma acomodação do setor de serviços frente ao avanço do final de 2019. As perdas da pandemia entre março e maio somam 19,8%”, explica o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo.

Ele esclarece que, diferentemente da indústria e do comércio que vêm apresentando uma recuperação mais rápida, o setor de serviços devido à heterogeneidade ou ao peso de 70% que representa na economia – no caso das atividades investigadas na pesquisa, cerca de 30% do PIB – tem apresentado uma recuperação mais lenta, sobretudo nas atividades que envolvem atendimento presencial.

Setor de informação e comunicação

A expansão do volume de serviços verificou-se em quatro das cinco atividades analisadas, com destaque para os avanços em serviços de informação e comunicação (2,2%) e de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,3%).

O primeiro acumula um ganho de 6,3% nos últimos dois meses, mas ainda sem eliminar as perdas de 9,2% observadas nos cinco primeiros meses do ano. Já transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio cresceu 14,4% entre maio e julho depois de recuar 25,2% no período março-abril.

Os demais avanços vieram dos serviços profissionais, administrativos e complementares (2,0%), acumulando ganho de 4,0% nos últimos dois meses depois de recuar 17,4% entre fevereiro e maio; e de outros serviços (3,0%), que recupera parte da perda acumulada entre março e maio (-11,8%) ao avançar 10,5% no período junho-julho de 2020. O único resultado negativo em julho de 2020 foi em serviços prestados às famílias (-3,9%), depois de crescer 12,2% entre maio e junho.

“O setor de tecnologia da informação é o mais dinâmico e resiliente entre as atividades de serviços; mesmo nos momentos de crise, como a greve dos caminhoneiros, a crise de 2016/2017 e a de 2008, o setor tem mostrado capacidade de se recuperar muito rápido. Em relação à pandemia, não está entre os setores mais impactados como aqueles que dependem de atendimento presencial, a exemplo dos serviços prestados às famílias por hotéis e restaurantes. O avanço do setor foi puxado pelas atividades de portais, provedores de conteúdo e ferramentas de busca na internet, que têm receitas de publicidade; e também pelos aplicativos e plataformas de videoconferência, que tiveram um ganho adicional durante a pandemia”, analisa Lobo.

Já na alta de 2,3% na atividade de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, o destaque é transporte rodoviário de carga, devido às demandas de logística. “Seja para atender os setores industrial ou de comércio para o transporte de mercadorias ou o de agronegócio, no transporte de grãos, o transporte rodoviário é o principal modal de deslocamento de produtos pelo país”, acrescenta o gerente da pesquisa.

Compartilhe

LOTERIAS

4 apostas dividem prêmio milionário da Lotofácil, Mega-Sena decepciona e +Milionária nem precisa dizer

26 de maio de 2024 - 9:09

Lotofácil justifica mais uma vez a fama de loteria menos difícil da Caixa; prêmio da Mega-Sena salta para R$ 75 milhões

DESANCORADO

As más notícias de Campos Neto: temores fiscais, juros nos EUA e a própria credibilidade do BC dificultam combate à inflação

25 de maio de 2024 - 12:59

Comentários feitos por Campos Neto na tarde de sexta-feira fizeram o dólar e os juros projetados subirem

LOTERIAS

A teimosia compensa! Apostador do RJ insiste nos números e fatura sozinho a Lotofácil

25 de maio de 2024 - 8:12

Lotofácil continua fazendo jus à fama de loteria menos difícil da Caixa, mas não foi a única a distribuir um prêmio milionário ontem; Mega-Sena acumulada corre hoje

DADOS DA RECEITA

Imposto de Renda: pessoas físicas doam R$ 35 milhões do IR para fundos do Rio Grande do Sul; veja como contribuir

24 de maio de 2024 - 19:43

Em meio à tragédia climática de sua história, o estado foi o maior beneficiado desse tipo de direcionamento do IR

ALÔ, COLECIONADORES

Banco Central libera 4 mil moedas comemorativas dos 200 anos da primeira Constituição brasileira

24 de maio de 2024 - 12:26

A moeda de comemoração à Constituição de 1824 terá recurso de cor pela primeira vez em uma peça de prata no Brasil e pode ser adquirida a partir desta sexta-feira (24)

LOTERIAS

Mega-Sena decepciona de novo, mas Lotofácil faz um novo milionário no interior de SP

24 de maio de 2024 - 5:54

Lotofácil continua fazendo jus à fama de loteria menos difícil da Caixa; prêmio da Mega-Sena já está em R$ 47 milhões

APÓS FALA DE HADDAD

Inflação acima da meta não assusta — mas um outro desafio macroeconômico se impõe sobre o Brasil, diz André Esteves, do BTG Pactual

23 de maio de 2024 - 19:26

O economista avalia que o mercado “não precisa perder o sono”, mas sim manter a disciplina em relação ao sistema de metas de inflação

LEVANTAMENTO

Motoristas e entregadores de aplicativo ganham menos e trabalham mais, aponta Ipea

23 de maio de 2024 - 17:10

Entre 2012 e 2015, os motoristas tinham rendimento médio mensal de R$ 3.100. Em 2022, o valor auferido era inferior a R$ 2.400, uma queda de 22,5%

FAÇA SUAS APOSTAS

Em quanto tempo a inteligência artificial vai ultrapassar a humana? Elon Musk fala em 2 anos, mas CEO de big tech chinesa vê evolução lenta da IA

23 de maio de 2024 - 15:00

Enquanto CEOs norte-americanos avaliam que a Inteligência Artificial irá ultrapassar a humana em breve, bilionário chinês projeta mais de 10 anos para o feito acontecer

O MERCADO TAMBÉM ERRA

CEO do JP Morgan não descarta pouso forçado da economia dos EUA, mas alerta para uma possibilidade ainda pior

23 de maio de 2024 - 11:11

Jamie Dimon, o CEO do JP Morgan, não descarta a possibilidade de os juros voltarem a subir antes de o Fed iniciar um ciclo de cortes

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar