Menu
2020-08-21T12:25:45-03:00
Estadão Conteúdo
Reforma tributária

Seria mais fácil enviar tributação sobre folha primeiro, diz assessora do ministro da Economia

A alternativa em estudo pela equipe econômica é a criação de um novo impostos sobre transações financeiras para compensar a desoneração

21 de agosto de 2020
12:25
Vanessa Rahal Canado
Vanessa Rahal Canado - Imagem: Reprodução/CCiF

A assessora especial do ministro da Economia Vanessa Canado avaliou nesta sexta-feira (21) que seria mais fácil enviar ao Congresso Nacional primeiro uma proposta de revisão da tributação sobre a folha de salários do que a proposta de mudanças na tributação sobre a renda.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, levou pessoalmente ao Congresso Nacional no mês passado a primeira fase da proposta de reforma tributária do governo, que altera a cobrança sobre o consumo com a criação da Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS), com alíquota de 12%. O novo tributo substituirá o PIS e a Cofins.

"O debate sobre a tributação do consumo já estava mais avançado, mas a discussão sobre a tributação da renda não está tão maduro. O desenho para reduzir tributação de pessoas jurídicas e cobrar em dividendos é complexo. Começaremos a discussão do zero, ao invés do IVA, que estava adiantado", afirmou, em videoconferência organizada pelo Jota.

Por isso, a economista acredita ser mais factível o envio antes ao Congresso de uma proposta de desoneração da folha de salários. A alternativa em estudo pela equipe econômica é a criação de um novo impostos sobre transações financeiras para compensar a desoneração. O ministro Paulo Guedes insiste que essa proposta não significa recriar a extinta CPMF.

"A discussão sobre tributação da folha é mais simples. A questão definir de onde vem o dinheiro. Seria mais fácil enviar fase da folha primeiro, mas é uma decisão política", avaliou Vanessa, que defende a criação do novo tributo sobre pagamentos. "Aumentar a tributação da renda e do consumo não é suficiente para compensar folha, é necessário criar uma nova base de tributação. Mas o envio de uma proposta de tributo sobre pagamentos digitais será uma decisão do ministro", completou.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

negócio em foco

BofA vê negócio entre Linx e Totvs com sinergias de R$ 3,8 bi

Acionistas da Linx receberiam diretamente 40% do valor das sinergias da fusão com Totvs, diz banco

seu dinheiro na sua noite

Vitória do Ibovespa (no segundo tempo)

“O time no segundo tempo ganhou de 2 a 1.” Foi assim que Fernando Diniz, o técnico do São Paulo, reagiu depois da derrota por 4 a 2 para a LDU no meio da semana e que praticamente eliminou a equipe da Libertadores. Diniz preferiu ignorar os 3 a 0 que o time levou na […]

Que modorra!

Bolsa passa por correção, mas zera perdas na reta final do pregão; dólar retoma alta

Principal índice de ações da B3 passou por correção e ignorou durante a maior parte do dia o impulso do setor de tecnologia à bolsa de Nova York

setor público

Reforma administrativa economiza R$ 400 bi até 2034, aponta estudo

Mesmo restringido a reforma apenas a novos servidores, o setor público poderia economizar pelo menos R$ 24,1 bilhões em 2024 com a aprovação das mudanças no seu RH, liberando o governo para investir mais em saúde, educação e segurança pública, segundo centro de estudos

retomada em pauta

Recuperação está longe de concluída, diz presidente do Fed do Kansas

Esther George fez a declaração durante discurso sobre os bancos comunitários, no qual enfatizou o papel destes para dar estabilidade na crise e apoiar a recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements