Menu
2020-12-08T17:37:23-03:00
Estadão Conteúdo
Turbulência

Retomada perde fôlego no setor aéreo em outubro e mercado internacional patina, diz Iata

Segundo Brian Pearce, economista-chefe da associação, a demanda do mercado doméstico global fechou outubro deste ano com queda de cerca de 40% na comparação ao registrado em igual mês de 2020.

8 de dezembro de 2020
17:00 - atualizado às 17:37
Avião
Imagem: Shutterstock

O mercado aéreo global perdeu a forte tendência de retomada e começou a andar de lado em outubro, deixando em alerta a equipe da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata). Segundo Brian Pearce, economista-chefe da associação, a demanda do mercado doméstico global fechou outubro deste ano com queda de cerca de 40% na comparação ao registrado em igual mês de 2020.

Leia também:

A retomada, entretanto, desacelerou-se. De agosto para setembro, o porcentual migrou de 50,7% de queda na comparação anual para 43,3% de queda. "Ainda estamos no túnel para sairmos da crise e temos um caminho para percorrer", disse Pearce, durante coletiva com jornalistas na manhã desta terça-feira.

No lado internacional, o mercado segue complexo e a demanda está 88% abaixo do registrado em outubro de 2019. Em setembro, a queda havia sido de 88,8%, mostrando estabilidade. "Estamos pelo terceiro mês seguido com o mercado internacional parado", disse Pearce.

O cenário melhor para o mercado doméstico também se reflete na taxa de ocupação das aeronaves, que estão acima de 70%, favorecendo mercados como a China. No internacional, a ocupação ficou abaixo de 43%, segundo Pearce. Ele reforçou a ocupação de outubro representou uma piora ante o que foi registrado no mês anterior.

"A maioria dos mercados internacionais continua fraco. Há uma recuperação que estamos vendo na América do Norte e Central. Infelizmente é um mercado relativamente pequeno e não tem tanto impacto sobre a indústria total", disse o economista, destacando que alguns países da região não estão impondo quarentena, o que incentiva as viagens.

A maior dúvida agora é quando as sinalizações para a vacina surtirão efeito sobre a intenção de voar. "Vemos hoje que o anúncio de que vamos ter vacinas disponíveis trouxe um pequeno crescimento na busca por passagens, mas nada comparável com o que tínhamos antes", disse.

A curva de reservas para viagens dentro da Europa entre 15 de dezembro e 10 de janeiro está 80% abaixo do que era um ano antes. Segundo ele, o efeito das vacinas tende a chegar mais forte ao setor apenas no segundo semestre de 2021. "Enquanto isso vai ser um inverno (no hemisfério norte) muito difícil para as aéreas. Vamos precisar de ajuda dos governos para estimular o mercado", defendeu.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

pandemia

Brasil registra 1.340 mortes por covid-19 em 24h

Resultado ficou atrás apenas do dia 7 de janeiro, quando foram confirmadas 1.524 novos falecimentos

seu dinheiro na sua noite

Tudo caiu – até o forward guidance

Os mercados domésticos ficaram hoje divididos sob a influência de acontecimentos distintos, o que resultou em um comportamento geral incomum: tudo caiu. O Ibovespa perdeu o patamar dos 120 mil pontos e fechou em queda, na contramão das bolsas americanas, animadas pela posse do novo presidente Joe Biden e a nova fornada de estímulos fiscais […]

Análise

Sem o “forward guidance”, Banco Central arranca bola de ferro dos pés

Decisão do BC de abrir mão do compromisso de não mexer com os juros foi acertada, mas a adoção do instrumento mais ajudou ou atrapalhou a economia?

sem "efeito Biden"

Vacinação e risco fiscal derrubam o Ibovespa em dia de festa em NY; dólar também recua

Euforia dos mercados internacionais com o “efeito Biden” foi barrada pelas incertezas domésticas e fez a bolsa brasileira ir na contramão de NY

taxa básica

BC mantém Selic em 2% ao ano, mas retira o ‘forward guidance’

Bolsa pode ter realização de lucros nesta quinta com derrubada de prescrição, diz especialista; decisão de hoje acontece em meio à alta dos preços das commodities e à valorização do dólar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies