Menu
2020-05-05T09:43:06-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
efeito da pandemia

Produção industrial tomba 9,1% e tem pior março desde 2002

Quarentena fez com que empresas interrompessem a produção, mas período de confinamento não atingiu todo o mês

5 de maio de 2020
9:13 - atualizado às 9:43
máscara indústria coronavírus
Imagem: shutterstock

A produção industrial caiu 9,1% em março, em comparação com o fevereiro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (5). O resultado é o pior para o mês desde 2002.

A queda no mês foi de 3,8% em relação ao mesmo período de 2019, ainda conforme o instituto. O setor industrial acumula baixa de 1,7% no ano e de 1% em 12 meses.

Segundo o gerente da pesquisa do IBGE, André Macedo, o resultado foi impactado pelas paralisações em plantas industriais por causa do isolamento social exigido para combater o novo coronavírus.

“O impacto da pandemia é evidente quando se compara com o mês de fevereiro: a taxa é fortemente negativa e representa a queda mais intensa desde maio de 2018, quando houve a greve dos caminhoneiros”, diz.

A redução de 9,1% na passagem de fevereiro para março foi também a mais acentuada desde maio de 2018 (-11%) e levou o patamar de produção a retornar a nível próximo ao de agosto de 2003.

A quarentena fez com que empresas interrompessem a produção, com férias coletivas ou paralisação de atividades. Mas o período de confinamento não atingiu todo o mês de março e variou de acordo com cada unidade da federação.

O impacto do isolamento social também atingiu os setores de formas diferentes. A atividade que teve o maior impacto negativo foi a de veículos automotores, reboques e carrocerias (-28%), diz o instituto.

"O principal produto afetado foi o de automóveis, mas o segmento de caminhões também apresenta perdas, assim como o de autopeças", diz Macedo.

Os dados divulgados pelo IBGE nesta terça ajudam a dimensionar o impacto da crise do coronavírus sobre a economia. O mercado financeiro já espera uma retração de 3,76% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo o Focus, do Banco Central.

A publicação aponta que a inflação medida pelo IPCA deve ter um avanço de 1,97% em 2020. O IBGE informou uma desaceleração de 0,07% do indicador em março, por causa do isolamento social.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Leilão do 5G

Decisão sobre 5G deve ficar para começo de 2021, diz embaixador brasileiro

Após pressões dos EUA contra a companhia chinesa Huawei no leilão do 5G, Nestor Forster afirma que decisão ‘não será tomada em Washington, mas em Brasília’

QUE CRISE?

Weg surpreende mais uma vez o mercado, com alta de 54% do lucro no 3º trimestre

Resultado vem muito acima das expectativas, diante da retomada da demanda por equipamentos

Esquenta dos mercados

Ibovespa tem pregão crucial depois de recuperar a marca dos 100 mil pontos

Investidores temem que riscos internos e externos limitem recuperação a um ‘bear market rally’

AINDA EM DIFICULDADES

IRB Brasil fecha agosto com prejuízo de R$ 65,4 milhões

Excluindo os efeitos de negócios descontinuados, a companhia apresentou lucro de R$ 73,8 milhões

EM ALTA

Petrobras: Produção média em 2020 deve superar expectativas

Crescimento da produção de petróleo e gás natural acima do esperado não tem resultado em estoques excessivos, diz companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies