Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-05-04T13:35:17-03:00
Estadão Conteúdo
estrago na economia

Pelo menos uma instituição financeira já projeta no Focus queda de 7% do PIB

No Focus, a mediana atual das projeções de todas as instituições financeiras para o PIB em 2020 é de queda de 3,76%, mas este parâmetro vem piorando nas últimas 12 semanas

4 de maio de 2020
13:34 - atualizado às 13:35
Bandeira do Brasil em meio a tempestade
Brasil - Imagem: Shutterstock

A paralisação de boa parte da atividade econômica no Brasil, em função do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, faz as instituições financeiras traçarem cenários cada vez mais pessimistas para 2020. No Sistema de Expectativas do Banco Central, atualizado nesta segunda-feira, 4, juntamente com o Relatório de Mercado Focus, já existe pelo menos uma instituição que projeta retração de 7,01% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano.

No Focus, a mediana atual das projeções de todas as instituições financeiras para o PIB em 2020 é de queda de 3,76%, mas este parâmetro vem piorando nas últimas 12 semanas - portanto, desde o início de fevereiro, quando a avaliação era de que o surto do novo coronavírus poderia ficar restrito à China.

Após o tombo deste ano, os economistas esperam que a recuperação econômica em 2021 seja firme. O Focus indica que a mediana das projeções para o PIB no próximo ano está em 3,20% - um porcentual que, se confirmado, será o maior desde 2011, quando a economia brasileira avançou 4,0%.

No entanto, o Sistema de Expectativas revela que pelo menos uma instituição é bem mais pessimista em relação ao crescimento de 2021: a projeção é de alta de apenas 1,10% para o PIB no próximo ano. Este pessimismo, aliás, revela-se também em relação aos anos seguintes, com projeções de crescimento de 0,50% em 2022, 1,00% em 2023 e 1,00% em 2024.

Inflação e câmbio

Com a atividade econômica em forte retração neste ano, a expectativa dos economistas do mercado financeiro é de que a inflação também despenque. Pelo Focus, a mediana das projeções é de alta de 1,97% do IPCA em 2020 e de 3,30% em 2021.

O Sistema de Expectativas, no entanto, indica que pelo menos uma instituição financeira projeta inflação de apenas 0,68% em 2020 e de 2,42% em 2021.

O cenário traçado pelos economistas indica ainda que o dólar seguirá em patamares mais altos. Há um mês, a projeção para o dólar à vista no fim de 2020 era de R$ 4,50, conforme o Focus. Agora, a projeção está em R$ 5,00. O valor, porém, ainda está bem abaixo do que se verifica atualmente, com o dólar à vista na casa dos R$ 5,57. Na prática, para que a moeda americana termine, de fato, este ano em R$ 5,00 seria necessário haver uma melhora das condições econômicas. No Sistema de Expectativas, pelo menos uma instituição projeta dólar a R$ 6,00 no fim de 2020 - ou seja, acima do patamar atual.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

O melhor do Seu Dinheiro

Os melhores investimentos do mês e as notícias que foram destaque na semana

lém do ranking, tivemos o Ibovespa em queda de 2,60, e uma entrevista exclusiva com o CEO da Ânima Educação, que busca um “modelo Magalu”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies