Menu
2020-03-16T19:59:43-03:00
Estadão Conteúdo
DE OLHO NO PIB

Medidas fiscais contra coronavírus serão, em média, 1% do PIB, segundo Eurogrupo

No documento, o Eurogrupo ressalta que o choque econômico do coronavírus terá “impacto orçamentário substancial”, mas que quedas nas receitas e aumento de benefícios não afetarão as regras fiscais do grupo

16 de março de 2020
19:59
Touros e Ursos CAPA – PIB
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Eurogrupo, que abarca os ministros de Finanças dos países da zona do euro, afirmou nesta segunda-feira que as medidas fiscais do grupo contra os impactos econômicos do surto de coronavírus serão, em média, de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) da região em 2020. "Países europeus proverão liquidez de, ao menos, 10% do PIB", acrescentaram os líderes, em comunicado divulgado após uma teleconferência.

No documento, o Eurogrupo ressalta que o choque econômico do coronavírus terá "impacto orçamentário substancial", mas que quedas nas receitas e aumento de benefícios não afetarão as regras fiscais do grupo.

Segundo os ministros, países europeus vão prover liquidez a empresas afetadas pelo coronavírus, sobretudo às pequenas e médias. "Mobilizamos 8 bilhões de euros para empréstimos a 100 mil empresas", diz o comunicado.

Os líderes acrescentaram que há esforços para que os empréstimos subam a 20 bilhões de euros para 150 mil empresas. Além disso, o Eurogrupo também fornecerá apoio a trabalhadores, para evitar perda de renda e emprego.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

análise dos balanços

Juntos, Santander, Itaú e Bradesco têm salto no lucro, mas saúde financeira não tranquiliza mercado

Um contraste fica visível na comparação entre Santander e Itaú, principalmente: o comportamento da margem financeira das operações com clientes

Desmatamento em foco

Varejistas europeus ameaçam boicote a produtos do Brasil por risco à Amazônia

O movimento foi visto como “precipitação” por empresários brasileiros que acompanham dois projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o tema

CÉU DE BRIGADEIRO

No pós-Copom, Ibovespa tem tudo para amanhecer com céu azul e sol brilhante

Com o Banco Central fora da cena principal, bolsa brasileira tem tudo para acompanhar o apetite por risco no exterior

Troca de presidência

Carlos Brito vai deixar o comando da AB InBev em 1º de julho

O substituto de Brito no comando da AB InBev também é brasileiro: o engenheiro catarinense Michel Dukeris, que ingressou na AmBev em 1996

primeiro trimestre

TIM anuncia alta de 57,9% do lucro e venda de controle da FiberCo

Receita líquida somou R$ 4,340 bilhões, ligeira alta de 3% sobre igual período do ano anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies