Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-17T18:46:08-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
em meio à pandemia

Vendas de imóveis sobem 23,7% no terceiro trimestre, na comparação anual; volume de lançamentos cai

Presidente da Cbic destacou que setor vai precisar “repor” o estoque no próximo ano com construções

17 de dezembro de 2020
14:49 - atualizado às 18:46
São Paulo centro imóveis
Centro de São Paulo - Imagem: Shutterstock

O mercado imobiliário nacional registrou alta de 23,7% no volume de vendas de moradias no terceiro trimestre, na comparação anual, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17) pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

Houve uma queda 10,5% no número de lançamentos no terceiro trimestre de 2020. Na mesma comparação, a oferta final registrou queda de 13%. Em relação ao segundo trimestre de 2020, os lançamentos registraram uma alta de 114,1%, enquanto que as vendas tiveram, na mesma comparação, aumento de 57,5%.

Já em relação aos nove meses do ano, houve crescimento de 8,4% no volume de imóveis vendidos em relação ao mesmo período de 2019. Nos lançamentos, houve uma redução de 27,9% comparando os dois anos. A oferta final caiu 13% nessa mesma relação.

Mais vendas, menos lançamentos

O presidente da Cbic, José Carlos Martins, destacou que, como em 2020 se venderam mais imóveis, porém com menos lançamentos, o setor vai precisar "repor" o estoque no próximo ano com construções.

"Como vendemos mais em 2020 que em 2019, teremos que produzir esses imóveis. Essa venda ainda não refletiu diretamente no PIB porque ele ainda vai ser construído", disse o presidente da Cbic, José Carlos Martins, sobre as perspectivas para 2021.

"Vendemos mais, porém lançamos menos, quer dizer que no próximo ano teremos que repor estoque e construir o que vendemos a mais aqui", afirmou.

PIB e desabastecimento

Depois de apresentar retração de 8,1% no 2º trimestre, a construção civil registrou crescimento de 5,6% no 3º trimestre do ano.

Foi a maior alta registrada em um trimestre pelo setor desde o início de 2014. A expectativa é de que o PIB da construção civil cresça 4% no próximo ano.

Para o próximo ano, Martins destacou a importância da manutenção da taxa de juros baixa, com a necessidade de aprovação de reformas, como a tributária, a administrativa e a nova lei de licenciamento ambiental.

Para Martins, a maior ameaça para 2021 continua sendo o problema do desabastecimento e a elevação de preços enfrentada neste ano na construção civil.

Ele destacou que os valores continuam subindo e que isso impacta diretamente nos contratos do setor. "Aí entra com todos desajustes, busca de reequilíbrio, que são custosos, novos prazos atrasam cronograma", alertou o presidente da Cbic.

A entidade destacou que de janeiro a novembro, o custo com materiais e equipamentos, dentro do INCC/FGV, registrou alta de 17,72%. Esta é a maior alta para o período da era Pós-Real.

De janeiro a maio, o custo com materiais e equipamentos, componente do INCC/FGV, aumentou 2,75%. Já de junho a novembro, a alta foi de 14,58%.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

COMPRA PROGRAMADA

‘Vale Gás’: Ultragaz cria cartão que permite ‘congelar’ o preço e parcelar a compra do gás de cozinha

O GLP é um dos derivados de petróleo afetado pela alta do dólar frente ao real e pela valorização da commodity no mercado internacional

SALTO COM FINANÇAS

Itaú (ITUB4) escala 53 posições em ranking e se torna único brasileiro entre 500 marcas globais mais valiosas; veja lista completa

Além de figurar entre as marcas mais valiosas, o Itaú conquistou uma posição na lista dos 250 principais CEOs ou “guardiões de marca”

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Volatilidade a mil com decisão de juros do Fed, reabertura do fundo da Dynamo e nova aquisição da Petz: veja o que mexeu com o mercado hoje

O bom humor nos mercados era tanto nesta quarta-feira (26) que nem parecia dia de decisão de juros pelo Federal Reserve, o banco central americano. As bolsas americanas e europeias operavam em alta, ainda em clima de recuperação das perdas do início da semana, e o Ibovespa subia mais de 1,5%, ainda puxado pela entrada […]

Por que choras, Elon Musk?

Tesla (TSLA34) entrega balanço de gala, mas escassez de insumos produtivos azeda noite da montadora de Elon Musk e ações despencam em NY

O resultado da montadora veio recheado de recordes no quarto trimestre, mas os investidores concentraram-se em outra linha do balanço

Fechamento Hoje

NY desanda após fala de Powell, mas Ibovespa ainda consegue fechar em alta de quase 1%; dólar sobe na reta final

Decisão de juros do Federal Reserve até que agradou os mercados, mas discurso duro do presidente da instituição virou o humor dos mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies