Menu
2020-04-13T09:16:45-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
focus

Mercado prevê queda de quase 2% do PIB em 2020

Estimativa anterior era de recuou de 1,18%; publicação semanal do BC também reviu a projeção para inflação medida pelo IPCA, de 2,72% para 2,52%

13 de abril de 2020
8:34 - atualizado às 9:16
recessão pib brasil
Imagem: Shutterstock

O mercado financeiro espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil caia 1,96% em 2020 e a inflação medida pelo IPCA termine o ano a 2,52%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central, desta segunda-feira (13).

A projeção para a economia brasileira na versão mais recente do boletim é mais pessimista que os dados compilados na semana passada, que apontavam uma retração de 1,18% neste ano. Há um mês o mercado esperava um avanço de 1,68% do PIB.

Uma semana atrás, o Focus também apontou que a inflação seria de 2,72% em 2020. Há um mês, a estimativa era de 3,10%.

No último dia 9, o IBGE revelou que o IPCA avançou 3,30% nos últimos 12 meses, com desaceleração de 0,07% em março, depois de registrar alta de 0,25% em fevereiro.

A maior contribuição negativa para o mês foi do grupo dos transportes e a maior alta foi para alimentação, diante da política de isolamento social imposta pela pandemia do novo coronavírus.

É por conta da doença que instituições financeira em todo o mundo continuamente revisam as projeções para a economia de todos os países - a variação das expectativa é quanto ao tamanho da queda do PIB.

No domingo (12), o Banco Mundial divulgou relatório prevendo que a economia brasileira encolha 5% neste ano - um dos piores desempenhos entre os grandes países latinos.

Se confirmada a projeção, será a maior recessão que o país enfrentará em 120 anos. Segundo estatísticas históricas do IBGE, não há registro de uma queda tão grande da atividade desde 1901.

O maior tombo na economia ocorreu em 1990, quando houve retração de 4,35%, com o Plano Collor I e o confisco do dinheiro dos brasileiros. A segunda maior queda registrada foi em 1981, quando o PIB caiu 4,25% na esteira da crise da dívida externa brasileira.

Dólar e Selic

O Focus também reviu a taxa de câmbio, de R$ 4,50 para R$ 4,60. A projeção para a Selic foi mantida em 3,25%. O dólar terminou o pregão de sexta-feira (10) a R$ 5,09.

Hoje, a taxa básica de juros está em 3,75%, mas a expectativa de parte do mercado é que, com a inflação comportada e a perspectiva de recessão, o Banco Central tenham espaço para reduzir mais uma vez a Selic.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Guidance

Helbor divulga prévias operacionais do quarto trimestre e previsão de lançamentos para 2021

Construtora viu queda no número de lançamento e nas vendas, tanto no trimestre quanto no ano de 2020

novo nome

Banco Inter reforça área de investimentos com contratação de ex-Santander

Felipe Bottino, ex Pi Investimentos, assume Inter Invest com a missão de aumentar o número de pessoas físicas que aplicam com a plataforma

guerra dos frangos

KFC denuncia IMC por descumprimento de contrato e ações caem mais de 6%

Operadora de restaurantes negociava repactuação de contrato de master franquia para rever metas e prazos para abertura de lojas

Recuperação

Brincadeira de gente grande: Goldman Sachs e Bank Of America divulgam resultados do 4T20

Grandes empresas, como o Goldman Sachs e o Bank Of America, anunciaram os seus resultados do quarto trimestre de 2020 e eles são bastante animadores.

Prévia operacional

Cyrela tem crescimento de vendas e lançamentos em 2020, e analistas gostam dos números

Lançamentos totalizaram R$ 2,873 bilhões, enquanto vendas líquidas somaram R$ 1,860 bilhão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies