Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-13T09:16:45-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
focus

Mercado prevê queda de quase 2% do PIB em 2020

Estimativa anterior era de recuou de 1,18%; publicação semanal do BC também reviu a projeção para inflação medida pelo IPCA, de 2,72% para 2,52%

13 de abril de 2020
8:34 - atualizado às 9:16
recessão pib brasil
Imagem: Shutterstock

O mercado financeiro espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil caia 1,96% em 2020 e a inflação medida pelo IPCA termine o ano a 2,52%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central, desta segunda-feira (13).

A projeção para a economia brasileira na versão mais recente do boletim é mais pessimista que os dados compilados na semana passada, que apontavam uma retração de 1,18% neste ano. Há um mês o mercado esperava um avanço de 1,68% do PIB.

Uma semana atrás, o Focus também apontou que a inflação seria de 2,72% em 2020. Há um mês, a estimativa era de 3,10%.

No último dia 9, o IBGE revelou que o IPCA avançou 3,30% nos últimos 12 meses, com desaceleração de 0,07% em março, depois de registrar alta de 0,25% em fevereiro.

A maior contribuição negativa para o mês foi do grupo dos transportes e a maior alta foi para alimentação, diante da política de isolamento social imposta pela pandemia do novo coronavírus.

É por conta da doença que instituições financeira em todo o mundo continuamente revisam as projeções para a economia de todos os países - a variação das expectativa é quanto ao tamanho da queda do PIB.

No domingo (12), o Banco Mundial divulgou relatório prevendo que a economia brasileira encolha 5% neste ano - um dos piores desempenhos entre os grandes países latinos.

Se confirmada a projeção, será a maior recessão que o país enfrentará em 120 anos. Segundo estatísticas históricas do IBGE, não há registro de uma queda tão grande da atividade desde 1901.

O maior tombo na economia ocorreu em 1990, quando houve retração de 4,35%, com o Plano Collor I e o confisco do dinheiro dos brasileiros. A segunda maior queda registrada foi em 1981, quando o PIB caiu 4,25% na esteira da crise da dívida externa brasileira.

Dólar e Selic

O Focus também reviu a taxa de câmbio, de R$ 4,50 para R$ 4,60. A projeção para a Selic foi mantida em 3,25%. O dólar terminou o pregão de sexta-feira (10) a R$ 5,09.

Hoje, a taxa básica de juros está em 3,75%, mas a expectativa de parte do mercado é que, com a inflação comportada e a perspectiva de recessão, o Banco Central tenham espaço para reduzir mais uma vez a Selic.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Tecnologia em foco

As big techs na balança: veja como foi o trimestre de Google, Microsoft e Twitter

Três das principais big techs americanas reportaram seus balanços nesta noite; veja como se saíram Alphabet/Google, Microsoft e Twitter

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Pressão nos juros, Elon Musk mais rico e o brilho das ações das elétricas

As projeções de bancos e economistas para a alta da Selic não param de subir. É possível ver essa tendência semanalmente no boletim Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central, em relatórios de diversas casas de análise e na curva dos juros futuros — que não param de ser revisados para patamares cada vez mais […]

ACIONISTAS FELIZES

Farra dos dividendos: Santander (SANB11), Klabin (KLBN11) e Porto Seguro (PSSA3) anunciam proventos; banco espanhol vai pagar R$ 3 bilhões aos acionistas

Confira mais detalhes sobre os valores por ação, previsão para o pagamento e a data-limite para entrar na festa de cada uma das três empresas

MERCADOS HOJE

Ibovespa volta a cair mais de 2% na véspera da decisão do Copom; inflação salgada e fiscal deteriorado comandaram o dia

O mercado financeiro aguarda ansioso pelas palavras do BC, que devem pesar a recente deterioração do cenário fiscal e a elevação dos preços. O Ibovespa teve novo dia de perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies