Menu
2020-04-14T11:30:46-03:00
Agência Brasil
crise histórica

FMI prevê queda de 5,3% da economia brasileira este ano

No relatório divulgado em janeiro, antes dos efeitos da pandemia de covid-19, a previsão era que o PIB cresceria 2,2%

14 de abril de 2020
11:30
recessão pib brasil
Imagem: Shutterstock

Devidos aos efeitos da pandemia de covid-19, o Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta queda de 5,3% da economia brasileira este ano. A previsão para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) foi publicada nesta terça-feira (14) no relatório Perspectiva Econômica Mundial (World Economic Outlook, no título em inglês).

No relatório divulgado em janeiro, antes dos efeitos da pandemia de covid-19 na economia brasileira, a previsão do FMI era que a economia brasileira cresceria 2,2% neste ano. Para 2021, a previsão é de recuperação, com crescimento do PIB em 2,9%. A estimativa anterior para o próximo ano era 2,3%.

A previsão para América Latina e Caribe é de queda de 5,2% da economia, neste ano, e crescimento de 3,4%, em 2021.

“Entre os mercados emergentes e as economias em desenvolvimento, todos os países enfrentam uma crise de saúde, um severo choque de demanda externa, um aperto dramático nas condições financeiras globais e uma queda nos preços das commodities, que terão forte impacto na atividade econômica dos exportadores de commodities”, diz o relatório.

A economia mundial deve apresentar queda de 3%, em 2020, e crescer 5,8% no próximo ano. Em janeiro, o FMI previa que a economia mundial cresceria 3,3% este ano. O FMI destaca que “foi uma revisão extraordinária em um período tão curto de tempo”.

As economias avançadas, como os Estados Unidos, a Alemanha e o Japão, entre outros, devem ter queda de 6,1% no PIB, neste ano, e crescer 4,5% em 2021.

O FMI destacou que políticas eficazes são essenciais para prevenir resultados piores. “As medidas necessárias para reduzir o contágio e proteger vidas afetarão a curto prazo a atividade econômica, mas também devem ser vistas como um investimento importante na saúde humana e econômica a longo prazo!", diz o FMI.

"A prioridade imediata é conter as consequências do surto de covid-19, especialmente aumentando as despesas com saúde para fortalecer a capacidade e os recursos do setor, adotando medidas que reduzam o contágio”.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Preocupante

Mortes por covid-19 chegam a 217,6 mil no Brasil

Número de casos da doença passam de 8,87 milhões.

Dívida

Gastos de anos anteriores pressionam Orçamento

A maior parte das emendas (R$ 11,1 bilhões) está concentrada no Ministério do Desenvolvimento Regional.

Esquenta dos mercados

Mercado amanhece cauteloso com dados sobre covid-19 e renúncia de Ferreira Jr.

Além disso, surgiram dúvidas sobre a capacidade do governo dos EUA em aprovar no Congresso norte-americano um novo pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão.

remendando a situação

Eletrobras tenta apaziguar ânimos dizendo que escolha de CEO será técnica

Saída de Wilson Ferreira Jr. está sendo vista como uma derrota para os planos de privatização da companhia elétrica

agora vai?

CSN anuncia IPO da parte de mineração. Veja a cifra bilionária que ela pode levantar

Siderúrgica divulga prospecto da operação, buscando vender um total de 720,8 milhões de ações e com faixa de preço de R$ 8,50 a R$ 11,35

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies