Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-08T12:31:28-03:00
Estadão Conteúdo
projeções em meio à pandemia

Fitch revisa projeção de queda do PIB global em 2020, de 4,6% para 4,4%

De acordo com a agência de classificação de risco, o ritmo de reabertura econômica começa a desacelerar em todo o mundo.

8 de setembro de 2020
12:30 - atualizado às 12:31
crise recessão mundo
Imagem: Shutterstock

Alegando recuperação econômica mais rápida do que o esperado, a Fitch revisou para cima sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) global em 2020, de queda de 4,6% para contração de 4,4%.

"A China já recuperou seu nível de PIB anterior à pandemia e as vendas no varejo de EUA, França e Reino Unido agora ultrapassam os níveis de fevereiro", lembra a agência de classificação de risco, em comunicado emitido nesta terça-feira, 8.

Por outro lado, a instituição não acredita em uma "recuperação em V" da economia global. "Choques no desemprego estão à frente na Europa, as empresas estão cortando investimentos e o distanciamento social continua a restringir diretamente os gastos do setor privado", disse Brian Coulton, economista-chefe da Fitch.

De acordo com a agência de classificação de risco, o ritmo de reabertura econômica começa a desacelerar em todo o mundo.

"Com o coronavírus ainda não contido, distanciamento social e restrições ainda vão arrastar mais a atividade global", acrescenta Coulton.

EUA

A Fitch revisou, por sua vez, para cima sua projeção para o PIB dos Estados Unidos em 2020, de queda de 5,6% para contração de 4,6%.

Os EUA devem levar 18 meses, contando a partir do ponto mais baixo de atividade, registrado em abril, para retomar o nível do PIB do quatro trimestre de 2019, segundo cálculos da agência de classificação de risco. Isso porque o setor de transporte e lazer - que corresponde a 10% do PIB americano - ainda não passou pela recuperação vista na indústria e comércio varejista no país.

Zona do Euro

A Fitch ainda revisou para cima sua projeção para o PIB da zona do euro em 2020, de queda de 9% para contração de 8%. Além disso, reduziu sua estimativa para o tombo na atividade do Reino Unido, de -11,5% para -9%.

A zona do euro deve levar 30 meses, contando a partir do ponto mais baixo de atividade, registrado em abril, para retomar o nível do PIB do quarto trimestre de 2019, segundo cálculos da agência de classificação de risco.

"Esperamos que o desemprego aumente significativamente no segundo semestre na zona do euro e no Reino Unido, à medida que os subsídios ao emprego são reduzidos", aponta a Fitch, em nota.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Podcast Mesa Pra Quatro

De corretor de investimentos a árbitro e comentarista de futebol: conheça a trajetória de Arnaldo Cézar Coelho

O ex-árbitro e ex-comentarista de futebol é o convidado do podcast Mesa Pra Quatro. Ele conta como sua mãe influenciou a investir em imóveis e fala sobre a sua trajetória no mercado financeiro, um lado que poucos conhecem – confira agora

nome limpo na praça

Boa Vista (BOAS3): Itaú BBA inicia cobertura com ‘compra’ e potencial de alta de 27%

Preço-alvo para 2022 foi estabelecido em R$ 15,50, apoiado na tese de crescimento da companhia e do mercado de serviço de informações de crédito

de olho na inovação

Bitcoin é ineficiente como moeda e bom apenas para especulação, diz ‘Papa’ do valuation

Damodaran disse que a importância que tem sido dada ao bitcoin é desproporcional em relação ao seu papel na economia e minimizou a adoção da criptomoeda por El Salvador

entrevista

Para economista-chefe do Santander Brasil, flexibilização do teto de gastos já é uma realidade

É preciso entender a dinâmica do momento para não entrar em escaladas “otimistas” ou “pessimistas”, diz Ana Paula Vescovi

pós-fusão

Ações da Hering (HGTX3) deixam de ser negociadas na B3 a partir desta segunda (20)

Transferência de papéis faz parte do acordo de fusão entre as companhias; Soma comprou a Hering em abril

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies