Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-23T09:10:51-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
PREÇOS EM ALTA

Economistas voltam a revisar para cima projeção para inflação em 2020

Segundo o Boletim Focus, mediana das estimativas indica uma alta de 3,45% do IPCA neste ano, 15ª semana de aumento

23 de novembro de 2020
9:10
inflação-real
Notas de real - Imagem: Ufuk Zivana/Shutterstock

Os economistas do mercado financeiro não param de reajustar para cima as perspectivas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), principal indicador de inflação do País.

Segundo o Boletim Focus do Banco Central, que reúne as projeções dos economistas do mercado financeiro, a mediana das estimativas mostra uma alta de 3,45% do IPCA neste ano.

Esta foi a 15ª semana seguida de revisão positiva. Na semana passada, o relatório mostrava que os economistas esperavam um avanço de 3,25% do índice. Há quatro semanas, a mediana indicava um aumento de 2,99%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2020 foi de 3,14% para 3,39%. Para 2021, porém, a estimativa do Top 5 passou de 3,36% para 3,31%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 2,91% e 3,27%, respectivamente.

Economistas afirmam que a inflação no País está sendo bastante pressionada pela alta dos preços dos alimentos, puxados por fatores como a alta das cotações das commodities no mercado internacional e o câmbio, que favorece as exportações.

No começo do mês, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que a pandemia também contribuiu para elevar os preços, uma vez que os brasileiros substituíram gastos com serviços por mais alimentação em casa.

As expectativas para o IPCA de 2021 também foram elevadas, passando de 3,22% para 3,40%. Há quatro semanas, a projeção era de alta de 3,10%.

Mesmo com a inflação em alta, os economistas não mudaram a projeção para a taxa básica de juros (Selic) em 2020, que permanece em 2,00% ao ano por 21 semanas seguidas. A mediana para 2021, por sua vez, subiu de 2,75% para 3,00% ao ano.

Economia melhorando

Ao mesmo tempo em que elevaram novamente as expectativas para inflação, os economistas ouvidos pelo BC melhoraram as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, ainda que indiquem contração da atividade.

A mediana aponta para uma queda de 4,55% da economia brasileira em 2020, menos que o recuo de 4,66% divulgado na edição passada do relatório e de 4,81% há quatro semanas.

Para 2021, a expectativa passou de 3,31% para 3,40%. Ainda assim, está levemente abaixo do que quatro semanas atrás (3,42%).

A economia vem apresentando sinais de melhora no segundo semestre. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), divulgado no dia 13 pelo Banco Central e considerado uma espécie de prévia do PIB, subiu 1,29% entre agosto e setembro, quinto avanço mensal consecutivo pela série ajustada sazonalmente.

Câmbio e contas públicas

Pela segunda semana consecutiva, os economistas reduziram a projeção para a taxa de câmbio entre real e dólar em 2020, de R$ 5,41 para R$ 5,38. A mediana das projeções para 2021 permaneceu em R$ 5,20.

A estimativa para a dívida líquida do setor público, como proporção do PIB, permaneceu em 67%. Já para o déficit primário, também como proporção do PIB, foi de 12% para11,80%.

O resultado primário considera o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Levando em conta os juros, a estimativa foi de 15,56% para 15,51%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos

DINHEIRO NO FIM DO ANO

Yduqs (YDUQ3) pagará R$ 141 milhões em dividendos; confira o valor por ação

A empresa do setor de educação pagará cerca de R$ 0,40 por ação ordinária e o dinheiro cairá na conta dos acionistas em 7 de dezembro

OMICRON

5 fatos sobre a nova variante do covid que derrubou os mercados nesta sexta

O anúncio de que uma nova variante do coronavírus surgiu na África do Sul fez com que os mercados internacionais desabassem; veja o que sabemos até agora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies