Menu
2020-07-17T12:19:12-03:00
Estadão Conteúdo
números da crise

Economistas preveem que PIB da zona do euro sofrerá contração de 8,3% este ano

No levantamento anterior, ha três meses, a previsão era de queda de 5,5%

17 de julho de 2020
12:17 - atualizado às 12:19
Zona do Euro, União Europeia
Bandeira da União Europeia - Imagem: shutterstock

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro deverá sofrer contração de 8,3% este ano em função da crise do coronavírus, segundo pesquisa trimestral do Banco Central Europeu (BCE) com economistas. No levantamento anterior, ha três meses, a previsão era de queda de 5,5%.

Para 2021, por outro lado, a projeção de crescimento econômico do bloco subiu de 4,3% para 5,7%.

Em relação à inflação da zona do euro, economistas preveem taxa de 0,4% em 2020, a mesma da pesquisa anterior. Dados publicados mais cedo mostraram que a taxa anual de inflação do bloco ficou em 0,3% em junho.

Para o próximo ano, a expectativa agora é de que a inflação da região acelere para 1%. Antes, porém, a previsão era de taxa maior, de 1,2%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Abandonando o barco?

Ações do Banco do Brasil recuam 5% com possibilidade de saída de André Brandão

Brandão tem mostrado insatisfação com o cargo e quer deixar o comando da estatal, segundo jornal

Rumo aos R$ 6?

Dólar sobe e toca os R$ 5,60; Banco Central faz dupla atuação para tentar segurar o câmbio

Disparada da moeda americana ocorre em meio à fuga de recursos que migram para os títulos públicos americanos, cujos retornos dispararam recentemente

Não gostou

Conselheira da Petrobras critica forma da demissão de Castello Branco

Segundo ela, está havendo uma desintegração vertical e nacional da Petrobras, com a única finalidade de remunerar os acionistas, o que precisa ser mudado.

Esperança

Mundo pode crescer em 2021 mais que 5,5% previstos em janeiro, diz FMI

Kristalina Georgieva também defendeu crédito para empresas e famílias, a partir das circunstâncias de cada país, até a crise de saúde ser superada.

Necessidade econômica

Reação do mercado de trabalho na pandemia depende de condição sanitária, diz IBGE

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies