Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-30T11:38:10-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
olho nas cifras

Contas do governo têm déficit de R$ 25,8 bilhões em fevereiro

Resultado é pior que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um déficit de R$ 20,53 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast

30 de março de 2020
11:37 - atualizado às 11:38
Economia Teto Gastos
Imagem: Shutterstock

O caixa do Governo Central registrou um déficit primário de R$ 25,857 bilhões em fevereiro, o pior desempenho para o mês desde 2017. O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, sucede o superávit de R$ 44,124 bilhões de janeiro. Em fevereiro de 2019, o resultado havia sido negativo em R$ 18,231 bilhões.

O resultado de fevereiro veio pior que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um déficit de R$ 20,53 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast junto a 16 instituições financeiras. O dado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas, que eram de déficit de R$ 32,1 bilhões a R$ 10,5 bilhões.

O resultado de fevereiro representa queda real de 2,9% nas receitas em relação a igual mês do ano passado. O Ministério da Economia e a Receita Federal ainda não divulgaram o resultado da arrecadação de fevereiro. Já as despesas tiveram alta real de 0,5%.

No acumulado do primeiro bimestre do ano, o resultado primário é positivo em R$ 12,275 bilhões, o melhor desempenho para o período desde 2013. Em relação aos dois primeiros meses de 2019, há alta de 1,0% nas receitas e recuo de 1,5% nas despesas.

Em 12 meses, o Governo Central apresenta um déficit de R$ 90,8 bilhões - equivalente a 1,21% do PIB. A meta fiscal para este ano admitia um déficit de até R$ 124 bilhões nas contas do Governo Central, mas a aprovação pelo Congresso do decreto de calamidade pública para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus na prática autoriza o governo a descumprir essa meta em 2020. Em 2019, o rombo do governo central ficou em R$ 95,065 bilhões.

Composição

As contas do Tesouro Nacional - incluindo o Banco Central - registraram um déficit primário de R$ 7,586 bilhões em fevereiro, de acordo com dados divulgados pelo Tesouro. No primeiro bimestre do ano, o órgão tem superávit de R$ 51,942 bilhões.

Já o resultado do INSS foi um déficit de R$ 18,271 bilhões no mês passado, chegando a um rombo de R$ 33,667 bilhões acumulado em 2020.

As contas apenas do Banco Central tiveram superávit de R$ 25 milhões em fevereiro, com desempenho negativo de R$ 167 milhões nos dois primeiros meses do ano.

Teto de gastos

As despesas sujeitas ao teto de gastos subiram 2,9% em 2020 até fevereiro, na comparação com igual período de 2019, segundo o Tesouro Nacional.

Pela regra, o limite de crescimento das despesas do governo é a variação acumulada da inflação em 12 meses até junho do ano passado. Porém, como o governo não ocupou todo o limite previsto em anos anteriores, na prática há uma margem para expansão de até 5,9%.

Apesar do enquadramento prévio das despesas do governo federal ao teto, alguns poderes e órgãos começaram o ano fora dos limites individualizados - todos devem respeitar o limite de gastos. É o caso, por exemplo, do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ), da Justiça do Distrito Federal e dos Territórios e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Regra de ouro

O Tesouro Nacional revisou a projeção de insuficiência para o cumprimento da regra de ouro em 2020. O Tesouro estima uma insuficiência de R$ 354,3 bilhões para o cumprimento em 2020, que poderia cair para 92,1 bilhões com o carregamento de parte da devolução de recursos do BNDES (R$ 81 bilhões) e do superávit financeiro do Banco Central (R$ 162,6 bilhões) - além de outras fontes (R$ 18,6 bilhões) - de 2019 para este ano.

Até o mês passado, o Tesouro previa uma insuficiência de R$ 341 bilhões para o cumprimento da regra de ouro em 2020, que poderia cair para 78,8 bilhões com o uso de superávits financeiros de 2019.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Tecnologia em foco

As big techs na balança: veja como foi o trimestre de Google, Microsoft e Twitter

Três das principais big techs americanas reportaram seus balanços nesta noite; veja como se saíram Alphabet/Google, Microsoft e Twitter

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Pressão nos juros, Elon Musk mais rico e o brilho das ações das elétricas

As projeções de bancos e economistas para a alta da Selic não param de subir. É possível ver essa tendência semanalmente no boletim Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central, em relatórios de diversas casas de análise e na curva dos juros futuros — que não param de ser revisados para patamares cada vez mais […]

ACIONISTAS FELIZES

Farra dos dividendos: Santander (SANB11), Klabin (KLBN11) e Porto Seguro (PSSA3) anunciam proventos; banco espanhol vai pagar R$ 3 bilhões aos acionistas

Confira mais detalhes sobre os valores por ação, previsão para o pagamento e a data-limite para entrar na festa de cada uma das três empresas

MERCADOS HOJE

Ibovespa volta a cair mais de 2% na véspera da decisão do Copom; inflação salgada e fiscal deteriorado comandaram o dia

O mercado financeiro aguarda ansioso pelas palavras do BC, que devem pesar a recente deterioração do cenário fiscal e a elevação dos preços. O Ibovespa teve novo dia de perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies