Menu
2020-06-06T16:46:38-03:00
Atrasou demais

Conselho diz que não há tempo hábil para privatizar Cedae

Um estudo aponta que a Cedae, a companhia de água e esgoto do Rio de Janeiro, deverá parar nas mãos do governo federal por falta de tempo para conclusão do processo de privatização

6 de junho de 2020
16:46
Cedae
Imagem: Facebook / Cedae

A Companhia de Água e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae) poderá parar nas mãos do governo federal para privatização. Relatório do Conselho de Supervisão do regime de recuperação fiscal do Estado do Rio, divulgado nesta sexta-feira, 5, aponta que não há tempo hábil para concretizar a privatização da estatal até novembro de forma a gerar recurso para pagamento do empréstimo feito pelo governo do Estado junto ao banco BNP Paribas.

Se não pagar o empréstimo, a Cedae será federalizada. O Rio é o único estado que aderiu o Regime de Recuperação Fiscal e recebeu socorro financeiro da União. Em troca, uma das exigências foi a venda da estatal para equilibrar as finanças do Estado. Depois da assinatura do acordo, o Estado pegou um empréstimo de R$ 2,9 bilhões com garantia da União. Com encargos, o valor hoje do empréstimo é de R$ 4,5 bilhões.

O governo estadual terá que pagar integralmente essa quantia para a federalização não ocorrer. Com a queda da arrecadação devido à covid-19 e finanças ainda desequilibradas, o Rio dificilmente terá condições de pagar o empréstimo até dezembro e deve buscar uma solução política no Congresso para impedir a federalização, segundo apurou o Estadão.

No relatório, o Conselho de Supervisão cobrou explicações do governador do Rio, Wilson Witzel, sobre o processo de privatização da Cedae e não obteve resposta.

O empréstimo contraído no BNP Paribas foi uma antecipação da privatização da Cedae e tem seu vencimento previsto para dezembro deste ano. Caso o Estado do Rio de Janeiro não pague o empréstimo, a União, como garantidora, deverá pagá-lo. As ações da empresa estão consignadas em contragarantia do contrato. Dessa forma, ao executar a contragarantia, a Cedae seria federalizada.

O conselho de recuperação fiscal também cobrou uma compensação de R$ 600 milhões por violação às regras do regime, entre elas, aumento de despesas de pessoal.

A compensação terá que ser feita até setembro. Nesse caso, o valor terá que vir de corte de despesas ou aumento de receitas, como medidas como, por exemplo, extinção de cargos efetivos, extinção, redução de auxílios, vantagens, bônus, abonos, verbas de representação, extinção de empresas estatais dependentes, incentivos e benefícios fiscais e até aumento de impostos.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Risco elevado

Preços de ativos têm motivos para subir, mas é hora de pensar em comprar guarda-chuva em dia de sol, diz SPX

Gestora considera que riscos ainda estão elevados e manifestou dúvidas em relação à sustentabilidade do atual nível de estímulo e endividamento global

Bolsa em alta

Petrobras e Vale têm ganhos firmes e puxam a recuperação do Ibovespa; dólar cai

Dados mais fortes na China deram forças ao setor de commodities, impulsionando as ações da Vale e da Petrobras e ajudando o Ibovespa como um todo

Presidente da Câmara

Câmara deve retomar debate sobre reforma tributária na 4ª, diz Maia

O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aguardava a retomada da comissão mista, que reúne deputados e senadores, mas não foi possível, por isso, dará continuidade apenas na Câmara

Lael Brainard

Para diretora do Fed, é excepcionalmente importante admitir que ventos contrários vão durar

Nesse contexto, a diretora Lael Brainard defendeu os apoios fiscal e monetário como cruciais para sustentar o quadro econômico, no contexto atual da pandemia

Projeções para a bolsa

“Não é trivial romper a barreira dos 100 mil pontos do Ibovespa”, diz Beker, do Bank of America

David Beker, chefe de economia e estratégia do Bank of America no Brasil, falou sobre sua visão para a economia global e o comportamento do Ibovespa nos próximos meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements