Menu
2020-01-25T14:20:05-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ACORDOS

Bolsonaro assina 15 acordos com a Índia e fala que comércio poderá superar US$ 50 bilhões até 2022

O principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), segundo o jornal Folha de S.Paulo

25 de janeiro de 2020
14:02 - atualizado às 14:20
BOLSONARO INDIA
Imagem: YouTube

O presidente Jair Bolsonaro comemorou hoje (25) pelo Twitter a assinatura de 15 acordos bilaterais entre o Brasil e a Índia. Segundo ele, as parcerias poderão fazer com que o comércio - que hoje movimenta US$ 6 bilhões por ano - ultrapasse os US$ 50 bilhões em dois anos.

Bolsonaro está em viagem oficial pela Índia e foi recebido pelo primeiro-ministro indiano, Narendra Modi. Por lá, de acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo, o presidente falou rapidamente, mas destacou que "numa viagem internacional, não tínhamos notícia de tantos acordos, e bons acordos, serem assinados".

Segundo o jornal, o principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), que o Brasil já possui com países como Emirados Árabes Unidos, México, Moçambique e Peru. Na prática, ele busca dar maior segurança jurídica e incentivar investimentos.

Foi assinado também um acordo envolvendo o tema da Previdência, conforme destacou a Folha de S.Paulo. Por meio dele, agora os executivos que trabalham expatriados poderão contar o período de tempo fora para a aposentadoria.

Outro acordo celebrado faz referência a um memorando de entendimento sobre cooperação de bioenergia. De acordo com a Folha de S.Paulo, ele tem como objetivo fazer com que a produção e o uso do etanol no mercado indiano cresçam, o que poderia ajudar a dar certo alívio para as distorções causadas por conta dos subsídios que o governo da Índia oferece ao açúcar.

Além disso, foram assinados acordos com foco em cooperação ao longo de investigações criminais, intercâmbio cultural e de material genético de gado bovino leiteiro, medicina ayurvédica e homeopatia, exploração de óleo e gás, recursos minerais, segurança cibernética, assim como uma parceria entre a Apex e a Invest-India.

O jornal ainda falou que, apesar de Bolsonaro ter dito que o comércio com o País poderá ultrapassar os US$ 50 bilhões até 2022 e ter creditado o número a Modi, a declaração oficial da visita destaca apenas uma "meta realista de US$ 15 bilhões".

Vistos

Apesar de as várias tentativas dos indianos em fazer com que Bolsonaro assinasse a isenção de vistos para cidadãos do País entrarem no Brasil, o anúncio não saiu.

A pressão era em função de declarações feitas pelo presidente brasileiro na China e na cúpula dos Brics anteriormente e que diziam que a isenção seria assinada em breve.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

pandemia no país

Brasil tem 33,5 mil novos casos de coronavírus e 836 mortes em 24 horas

O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de ontem, quando o painel do ministério marcava 137.272 falecimentos. Ainda há 2.423 mortes em investigação

seu dinheiro na sua noite

Um novo flerte do dólar a R$ 5,50

“Nunca aposte contra a América”, alertou Warren Buffett no tradicional encontro de acionistas de sua holding de investimentos em maio deste ano. O bilionário não falava especificamente da moeda dos Estados Unidos, mas toda vez que o dólar mostra sinais de força, alguém (como eu) acaba trazendo a frase à tona. Afinal, é para as […]

aquisição à vista

Stone vai lançar BDRs na bolsa brasileira e pretende usar papéis na compra da Linx

Aprovação pelos acionistas da Linx e da Stone e prévia autorização do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) estão entre as condições para finalizar a operação

Receita de volatilidade

Dólar tem forte alta com depoimento do presidente do Fed; volatilidade limita o Ibovespa

Moeda norte-americana registrou alta acentuada no início de uma série de depoimentos de Jerome Powell perante o Congresso dos EUA

recuperação econômica

Só teremos um ano cheio no turismo novamente em 2023, diz presidente da CVC

O presidente da CVC, Leonel Andrade, disse nesta terça-feira, 22, que o setor de turismo só deve voltar ao movimento pré-pandemia em 2023

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements