Menu
2020-01-25T14:20:05-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ACORDOS

Bolsonaro assina 15 acordos com a Índia e fala que comércio poderá superar US$ 50 bilhões até 2022

O principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), segundo o jornal Folha de S.Paulo

25 de janeiro de 2020
14:02 - atualizado às 14:20
BOLSONARO INDIA
Imagem: YouTube

O presidente Jair Bolsonaro comemorou hoje (25) pelo Twitter a assinatura de 15 acordos bilaterais entre o Brasil e a Índia. Segundo ele, as parcerias poderão fazer com que o comércio - que hoje movimenta US$ 6 bilhões por ano - ultrapasse os US$ 50 bilhões em dois anos.

Bolsonaro está em viagem oficial pela Índia e foi recebido pelo primeiro-ministro indiano, Narendra Modi. Por lá, de acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo, o presidente falou rapidamente, mas destacou que "numa viagem internacional, não tínhamos notícia de tantos acordos, e bons acordos, serem assinados".

Segundo o jornal, o principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), que o Brasil já possui com países como Emirados Árabes Unidos, México, Moçambique e Peru. Na prática, ele busca dar maior segurança jurídica e incentivar investimentos.

Foi assinado também um acordo envolvendo o tema da Previdência, conforme destacou a Folha de S.Paulo. Por meio dele, agora os executivos que trabalham expatriados poderão contar o período de tempo fora para a aposentadoria.

Outro acordo celebrado faz referência a um memorando de entendimento sobre cooperação de bioenergia. De acordo com a Folha de S.Paulo, ele tem como objetivo fazer com que a produção e o uso do etanol no mercado indiano cresçam, o que poderia ajudar a dar certo alívio para as distorções causadas por conta dos subsídios que o governo da Índia oferece ao açúcar.

Além disso, foram assinados acordos com foco em cooperação ao longo de investigações criminais, intercâmbio cultural e de material genético de gado bovino leiteiro, medicina ayurvédica e homeopatia, exploração de óleo e gás, recursos minerais, segurança cibernética, assim como uma parceria entre a Apex e a Invest-India.

O jornal ainda falou que, apesar de Bolsonaro ter dito que o comércio com o País poderá ultrapassar os US$ 50 bilhões até 2022 e ter creditado o número a Modi, a declaração oficial da visita destaca apenas uma "meta realista de US$ 15 bilhões".

Vistos

Apesar de as várias tentativas dos indianos em fazer com que Bolsonaro assinasse a isenção de vistos para cidadãos do País entrarem no Brasil, o anúncio não saiu.

A pressão era em função de declarações feitas pelo presidente brasileiro na China e na cúpula dos Brics anteriormente e que diziam que a isenção seria assinada em breve.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

pandemia

Covid-19: número de mortes sobe para 361,8 mil no Brasil

Nas últimas 24 horas, foram registradas mais 3.459 mortes no país

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies