Menu
2020-07-10T16:22:05-03:00
Crise se afastando?

Barômetros globais sinalizam retomada gradual da economia mundial, diz FGV

Melhoras ainda estão condicionadas a um ‘grau elevado’ de incerteza diante da pandemia, pondera pesquisador

10 de julho de 2020
16:18 - atualizado às 16:22
pib crescimento
Imagem: Shutterstock

Após o baque provocado pela pandemia do novo coronavírus, os Barômetros Globais Coincidente e Antecedente da Economia subiram pela segunda vez consecutiva em julho, sinalizando uma retomada gradual da economia mundial, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

"Embora os números comecem a se distanciar do pior momento da crise, o cenário é ainda de grande incerteza, tanto no front econômico quanto no da saúde", ressaltou a FGV, em nota.

O Barômetro Global Coincidente subiu 22,6 pontos em julho ante junho, ao passar de 50,4 pontos para 73 pontos. Já o Barômetro Global Antecedente cresceu 23,7 pontos, de 45,7 pontos para 69,3 pontos.

O Barômetro Coincidente reflete o estado atual da atividade econômica. O Barômetro Antecedente emite um sinal cíclico cerca de seis meses à frente dos desenvolvimentos econômicos reais. Os dois indicadores são produzidos pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV) em colaboração com o Instituto Econômico Suíço KOF da ETH Zurique.

Em julho, ambos os indicadores avançaram puxados pela melhora do ambiente econômico nas três regiões pesquisadas. A região da Ásia & Pacífico e África exerceu a maior influência para a alta do indicador Coincidente, enquanto o Hemisfério Ocidental foi o que mais contribuiu para o desempenho do indicador Antecedente.

"O avanço dos barômetros globais antecedente e coincidente em julho foi disseminado entre regiões e setores, em linha com os principais indicadores relacionados ao nível de atividade econômica na grande maioria dos países. Ao menos por enquanto, o efeito da retomada dos processos produtivos e serviços nas expectativas é claramente positivo, impulsionado por uma série de medidas de estímulos adotadas pelos governos nacionais. Porém, a continuidade dessa retomada ainda está condicionada a um grau elevado de incerteza sobre um eventual recrudescimento dos efeitos da pandemia em função do próprio processo de reabertura", avaliou Paulo Picchetti, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O cálculo dos dois Barômetros inclui a seleção de variáveis, em que são usados como critério a correlação das séries com a série de referência (PIB mundial). A segunda etapa da metodologia combina as variáveis selecionadas e transformadas nos respectivos indicadores compostos.

Ambos compreendem os resultados de pesquisas de tendências econômicas realizadas em mais de 50 países. O Barômetro Coincidente inclui mais de 1.000 séries temporais diferentes, enquanto o Barômetro Antecedente possui mais de 600 séries temporais.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

covid no brasil

Covid-19: Brasil tem 97.256 óbitos e 2,02 milhões de recuperados

Atualmente, 741.180 pacientes estão em acompanhamento

Resultados que mexem o mercado

Braskem, AES Tietê, SulAmérica: os balanços que vão movimentar o mercado nesta quinta

Resultados financeiros do primeiro trimestre afetam mercado em meio à pandemia

seu dinheiro na sua noite

O fim de um ciclo?

Após um ano de cortes sucessivos, o atual ciclo de queda da taxa básica de juros, a Selic, parece ter chegado ao fim nesta quarta-feira. No início da noite, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) anunciou a redução dos juros em 0,25 ponto percentual, para 2,00% ao ano, como já era esperado […]

Novo corte

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 2,00% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central cortou a Selic mais uma vez

Mínima histórica

Banco Central reduz Selic para 2% ao ano e sinaliza fim do ciclo de cortes de juros

Essa foi a nona (e última?) redução consecutiva no atual ciclo de queda da Selic, que começou em julho do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements