Menu
2020-06-01T12:04:59-03:00
IMPACTOS DA COVID-19

Bancos liberam mais de R$ 900 bi em dinheiro novo e postergações, diz Febraban

“Os números mostram que, mesmo em meio a um cenário adverso decorrente da pandemia, os bancos seguiram ampliando as concessões de crédito”, avalia o presidente Isaac Sidney.

1 de junho de 2020
12:03 - atualizado às 12:04
Isaac Sidney, presidente da Febraban
Isaac Sidney, presidente da Febraban - Imagem: Beto Nociti/BCB

Os bancos liberaram R$ 914,2 bilhões entre contratações, renovações e suspensão de parcelas de empréstimos durante a pandemia do novo coronavírus, segundo balanço da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) feito entre os 1º de março e 22 de maio deste ano. O impacto econômico da covid-19 no País, contudo, deve impactar, na visão das instituições financeiras, na demanda por crédito.

De acordo com o presidente da Febraban, Isaac Sidney, o total das concessões até 22 de maio já está próximo de R$ 1 trilhão, com "redução das taxas de juros e dos spreads, mesmo com forte aumento do risco de crédito registrado no período". "Os números mostram que, mesmo em meio a um cenário adverso decorrente da pandemia, os bancos seguiram ampliando as concessões de crédito", avalia ele.

Desde o início da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, os bancos já renegociaram 9,7 milhões de contratos com operações em dia, que somam R$ 61,5 bilhões. Essas operações foram postergadas por um prazo que varia de 60 a 180 dias, dependendo da instituição financeira. A maioria é representada por pequenas empresas e pessoas físicas, em um total de R$ 33,1 bilhões.

"Isso bem revela que os bancos aqui fazem parte da solução e não do problema de crise sem precedentes", diz o presidente da Febraban.

Para Sidney, os números apontam para um crescimento importante das operações de crédito neste período após a pandemia, em especial no segmento de pessoas jurídicas, se comparadas a 2019, quando já havia elevação na concessão de crédito. Entre março e abril, as concessões de crédito a este segmento totalizou R$ 379,417 bilhões, expansão de 36,7% ante mesmo intervalo de 2019.

Na pessoa física, porém, o crédito encolheu 3,5% entre os meses de março e abril, para R$ 312,666 bilhões. A retração da demanda por novas contratações, conforme a Febraban, já era 'esperada' devido à queda da atividade econômica decorrente da estratégia de distanciamento social para combater a doença no País.

Os bancos ressaltam o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, que encolheu 1,5% em relação aos três meses anteriores, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Citam ainda estimativas de mercado que indicam que, no segundo trimestre deste ano, a queda do PIB pode ser superior a 10%, o que deve impactar 'fortemente' na demanda por crédito.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

IR 2020

Caiu na malha fina? Veja como regularizar a situação

Saiba como regularizar a sua situação junto a Receita Federal caso a sua declaração apresente informações inconsistentes e caia na malha fina do imposto de renda

Flexibilização

Prefeitura de São Paulo assina protocolo para reabrir bares e salões de beleza

A cidade está na terceira etapa do plano de flexibilização da quarentena do governo estadual, chamada de fase amarela. Com os termos firmados, os estabelecimentos poderão voltar a funcionar na segunda-feira

Recuperação

Fundos imobiliários de tijolo subiram 6% em junho; FII de shoppings ainda caem 21% no ano

Fundos imobiliários de papel, por sua vez, valorizaram, em média, só 3% no mês passado, segundo indicadores calculados pelo Banco Inter

BNDES prorroga linha de crédito para pequena e média empresa, com mais R$ 5 bilhões

Linha para capital de giro será prorrogada até 31 de dezembro, com orçamento ampliado

Crise

Risco para investir volta a nível de 2016

Estrangeiro olha com desconfiança para o Brasil, por conta da crise do coronavírus e também pela taxa de juros nas mínimas históricas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements