Menu
2020-02-20T11:50:03-03:00
Impostos bombam

Arrecadação de impostos é recorde para janeiro e soma R$ 175 bilhões, diz Receita

De acordo com a Receita Federal, a alta tem relação com o crescimento de 16,45% na arrecadação do IRPJ/CSLL e de arrecadação atípicas de R$ 2,8 bilhões, além do aumento da arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Física

20 de fevereiro de 2020
11:44 - atualizado às 11:50
dinheiro impostos real
Imagem: Shutterstock

O governo começou 2020 com recorde na arrecadação de tributos federais. Em janeiro, a arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 174,991 bilhões, um aumento real (já descontada a inflação) de 4,69% na comparação com o primeiro mês de 2019. O valor arrecadado no ano passado foi o melhor da história para o mês, de acordo com a Receita Federal.

Nem o mais otimista dos analistas do mercado financeiro previu uma arrecadação tão forte no primeiro mês de 2020.

O resultado de janeiro superou o teto das expectativas de 23 instituições ouvidas pelo Projeções Broadcast. O intervalo ia de R$ 122,440 bilhões a R$ 174,700 bilhões, com mediana de R$ 167,500 bilhões.

Fatores

De acordo com a Receita Federal, a alta tem relação com o crescimento de 16,45% na arrecadação do IRPJ/CSLL e de arrecadação atípicas de R$ 2,8 bilhões, além do aumento da arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Física relacionado ao ganho de capital e ganhos líquidos de operações em bolsa.

Desonerações

As desonerações concedidas pelo governo resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 8,212 bilhões em janeiro de 2020, valor maior do que no mesmo mês de 2019, quando ficou em R$ 7,872 bilhões.

Só a desoneração da folha de pagamentos custou aos cofres federais R$ 860 milhões em janeiro.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Foi ruim mas foi bom

Guedes defende acordo e diz que agora Orçamento ficará “exequível”

O presidente Jair Bolsonaro tem até amanhã para sancionar o Orçamento de 2021, que foi aprovado com despesas obrigatórias subestimadas para acomodar uma quantidade maior de emendas parlamentares

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies