Menu
2020-04-17T17:23:32-03:00
Estadão Conteúdo
efeito coronavírus

ANP diz que refinarias da Petrobras tiveram forte queda; FUP vê redução para 50%

De acordo com a última informação da Petrobras, em março, as refinarias operavam com fator de capacidade de 76% no ano passado e caiu para 74% este ano

17 de abril de 2020
11:37 - atualizado às 17:23
shutterstock_1150277432
Jelgava, Letônia, 25 de setembro de 2005, estação ferroviária vista de cima com os tanques de petróleo e amônia da Russian Railways. - Imagem: Shutterstock

A queda abrupta da demanda por combustíveis causou uma forte redução no fator de utilização das refinarias da Petrobras, que agora priorizam a produção de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) para abastecer o mercado interno, além de importar o insumo, disse o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Felipe Kury.

Sem citar o tamanho da queda nas refinarias, Kury repetiu dados já confirmados pelo presidente da estatal, Roberto Castello Branco, de acentuadas quedas no consumo de Querosene de Aviação (84%), gasolina (35%) e diesel (22%), em um webinar promovido na noite de quinta-feira pela agência EPBR.

"Em função da mudança do comportamento na vida de todos, houve um grande aumento na procura de GLP, que chegou a faltar, mas na próxima semana deve ter o abastecimento normalizado", disse o executivo da agência reguladora do setor. "Temos a missão de preservar o abastecimento", lembrou.

De acordo com a última informação da Petrobras, em março, as refinarias operavam com fator de capacidade de 76% no ano passado e caiu para 74% este ano. "O que precisa é o mercado voltar a crescer, para o produtor poder escoar os estoques, que estão muito altos", informou Kury.

Protestos

A redução da produção das refinarias da Petrobras acompanha a demanda do mercado interno, mas tem provocado o protesto da Federação Única dos Petroleiros (FUP), que iniciou campanha pelas redes sociais pedindo a saída do atual presidente (#ForaCastelloBranco).

Em pequenos vídeos na porta das refinarias da companhia espalhadas pelo País, sindicalistas denunciam queda de até 50% na produção das unidades e culpam a atual política de preços da empresa, que preserva a paridade com o mercado internacional.

A FUP defende que os preços sejam reduzidos em benefício da população em meio à crise do coronavírus, além de fornecimento de combustíveis grátis ou com subsídio para ambulâncias, bombeiros, e outros veículos que estejam no combate à pandemia.

De acordo com Iran Gonçalves, presidente do Sindipetro-Ceará/Piauí, em vídeo em frente à Lubnor, uma das oito refinarias da Petrobras que serão vendidas, a estatal parou todas as plataformas de produção de petróleo no Ceará e isso afetará a economia de vários municípios que dependem dos royalties da commodity. Além disso, Gonçalves afirma que 400 trabalhadores ficarão sem emprego.

Segundo a Petrobras, todos os empregados das 62 plataformas que irão hibernar em função da crise provocada pela pandemia da covid-19 para reduzir a produção serão realocados e terão opção de aderir ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) se não concordarem com a transferência.

A redução da produção também visa reduzir o estoque de derivados, que sem demanda não tem mais onde ser acumulado, com a exportação também limitada pela falta de demanda externa.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies