Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-27T19:59:49-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Otimista na bolsa, pessimista no dólar

27 de abril de 2020
19:59
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Caro leitor,

Depois de uma semana daquelas, a bolsa mostrou hoje sinais de alívio. Se as tensões em Brasília vinham deixando os investidores preocupados, também veio da política o principal fator que levou o Ibovespa a subir quase 4% nesta segunda-feira.

Com o pedido de demissão de Sérgio Moro do Ministério da Justiça e um certo “sumiço” de Paulo Guedes, o mercado temia que o próximo a desembarcar do governo Bolsonaro fosse justamente o ministro da Economia.

Mas hoje o presidente sinalizou que está com Guedes e não abre, ao dizer que ele é o homem que decide a economia no Brasil, aparecendo ao seu lado. É claro que o histórico mostra que não dá para inscrever na pedra tudo que Bolsonaro fala.

Então, ainda que os investidores tenham se mostrado otimistas na bolsa, no câmbio o “pé atrás” continuou bem evidente. O dólar permaneceu lá em cima e só não subiu mais porque o Banco Central resolveu atuar.

No noticiário corporativo, destacaram-se hoje as ações da Embraer, que tiveram a maior queda do Ibovespa depois que a Boeing desfez o acordo para formar uma joint venture com a brasileira. O Victor Aguiar conta tudo que aconteceu hoje nos mercados nesta matéria.

E fica aqui um convite: amanhã, dia 28 de abril, às 13h, eu estarei ao vivo novamente com o advogado tributarista Samir Choaib respondendo às dúvidas sobre imposto de renda dos assinantes do nosso Guia Definitivo do Imposto de Renda.

A live será aberta para todos os internautas, mas apenas quem adquiriu o curso poderá mandar perguntas. Se você tem interesse, saiba como assiná-lo neste link.

Depois de ser deixada no altar

A separação entre Embraer e Boeing aconteceu há pouco, mas já podemos antecipar os próximos capítulos. Especialistas esperam que o litígio entre as empresas, que terá como palco a Justiça de Nova York, seja longo e desfavorável à brasileira. A Embraer, no entanto, espera que o retorno do setor aéreo nos Estados Unidos após a pandemia ocorra logo, o que lhe ajudaria a retomar o fôlego. Hoje, o presidente Jair Bolsonaro também se pronunciou sobre o negócio desfeito, e disse que existe a possibilidade de a Embraer negociar com outra empresa.

Afago público

A Embraer não foi o único tema econômico que Bolsonaro tratou hoje. O chefe do Executivo também quis deixar claro o seu apoio ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a fim de fortalecer um dos pilares do seu combalido governo. Após a demissão de Sérgio Moro do Ministério da Justiça na última sexta, a possibilidade de uma saída de Guedes estressou os mercados, que se animaram hoje com o afago público do presidente.

Sacrifícios para a prosperidade

Guedes, por sua vez, reforçou o seu discurso de responsabilidade fiscal e divisão dos custos da crise. Chamou para a cobrança os servidores públicos e lhes pediu um sacrifício. “Não peçam aumento por um ano e meio, contribuam com o Brasil”, disse. O ministro também manifestou otimismo com a saída do Brasil da crise econômica, como mostra esta matéria.

Empréstimo de mão de obra

O governo prepara uma Medida Provisória para permitir a cessão de trabalhadores de uma empresa a outra enquanto vigorar o estado de calamidade pública em razão do coronavírus. A intenção é atender os segmentos que estão precisando de mão de obra, preservando renda e empregos.

Rombo para entrar na história

O déficit fiscal de 2020 deverá ganhar o seu lugar na história. A projeção do mercado é de que os gastos do governo ultrapassem as receitas em 6,20% do PIB, o maior rombo desde o início da série histórica do Banco Central, iniciada em 2001. A causa, é claro, são as despesas relacionadas ao combate às consequências econômicas da pandemia de coronavírus. Confira esta e outras estimativas pessimistas para a economia brasileira nesta matéria.

Na mira do Ministério Público

Bolsonaro virou alvo do Ministério Público Federal, que investiga suposta interferência do presidente no Exército. Os procedimentos apuram se a revogação, por parte de Bolsonaro, de três portarias referentes ao monitoramento de armas, constitui uma violação à Constituição. A acusação é sustentada por procuradora “linha-dura”, como o Estadão conta.

A incerteza, essa companheira

Em meio a uma crise de dimensão histórica incomparável, quem pode dizer que sabe o que está à frente? Além de uma pandemia mundial para a qual a ciência ainda não encontrou soluções e uma crise econômica sem precedentes, agora nós, brasileiros, nos deparamos também com uma crise política severa, diante da perda do ministro que representava o pilar ético e moral do governo. O que vai acontecer na política? Como vamos sair da crise econômica? Vamos retomar as reformas? E quando a nossa vida em sociedade vai voltar ao normal - se é que o “normal” não mudou definitivamente? Talvez o melhor seja fazer como algumas das mentes mais brilhantes dos nossos tempos e admitir: “Não sei”. Na sua coluna de hoje, Felipe Miranda fala sobre como lidar com essa incerteza.

Um grande abraço e uma ótima noite para você!

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Crise hídrica

Ministro de Minas e Energia descarta racionamento e diz trabalhar para evitar apagão

Com níveis alarmantes nas usinas hidrelétricas, até mesmo a volta do horário de verão é considerada por alguns membros do governo e indústria

Negócio da China?

SEC confirma pausa em IPOs de empresas chinesas; agência reguladora dos EUA fará novas orientações sobre riscos

Em meio à ofensiva regulatória de Pequim, a SEC busca novas orientações ao mercado sobre os riscos envolvidos em comprar ações de companhias do país asiático

Passo à frente

Rumo ao “outro patamar”: EQI, que trocou a XP pelo BTG, recebe autorização para abrir corretora

Depois de ser pivô de disputa entre os bancos, escritório de agentes autônomos dá um passo decisivo para ter “vida própria” no mercado

Estreia forte

Ações da ClearSale estreiam na bolsa com disparada de 20% após IPO

No 40º IPO na B3 no ano, empresa de soluções antifraude movimentou pouco mais de R$ 1 bilhão

Deu ruim, Jeff Bezos

Quando o bom não é suficiente: Amazon despenca e afunda o Nasdaq após trimestre frustrante

As ações da Amazon têm a maior queda desde março do ano passado, afetadas pela perspectiva de desaceleração no crescimento das receitas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies