Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
Dados da Bolsa por TradingView
2020-05-11T20:24:18-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

O medo do futuro e o dólar a caminho dos R$ 6

11 de maio de 2020
20:24
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Caro leitor,

Não sei se tem acontecido com você, mas toda vez que eu converso com a minha mãe ou os meus amigos por chamada de vídeo, uma parte do papo é sempre dedicado a desabafar sobre os nossos temores em relação ao futuro pós-pandemia.

O que será de nós? O que vai mudar? O que permanecerá? Quais serão as consequências na vida social, na economia, nas nossas vidas profissionais?

A falta de visibilidade acerca de tudo isso causa tanta angústia que quase todo mundo com quem eu tenho conversado - eu incluída - tem focado em viver um dia de cada vez e evitado fazer planos ou grandes reflexões sobre o futuro.

Pois bem, é assim que também estão se comportando os investidores diante do contínuo avanço do coronavírus no mundo. Por um lado, muitos países parecem já ter saído da fase mais crítica, mas a Inglaterra e os Estados Unidos ainda preocupam. Já o Brasil está caminhando para se tornar um novo epicentro da doença no mundo.

O pessimismo tomou conta do pregão de hoje, depois que novos casos de coronavírus foram registrados em Wuhan, na China, o que eleva os temores quanto a uma segunda onda da pandemia na região. Se assim for, é bem possível que todo o mundo, na sequência, passe por uma segunda onda, o que significa que esta crise ainda não estaria perto de acabar.

Por aqui, o mercado continua a monitorar a crise política e suas possíveis consequências fiscais. Com isso, a bolsa fechou hoje em baixa, e o dólar terminou o dia em alta, mais uma vez.

A moeda americana parece realmente estar no caminho para os R$ 6, tendo fechado novamente acima de R$ 5,80. A dificuldade de projetar o futuro para o Brasil e o mundo pesa contra a nossa moeda. O Victor Aguiar conta todos os detalhes do pregão de hoje na nossa cobertura de mercados.

Mais um vexame para a conta

A ação com a maior queda do Ibovespa nesta segunda-feira, porém, nada tem a ver com coronavírus ou cenário político. Com um tombo de mais de 80% desde o início de fevereiro, os papéis do IRB recuaram, só hoje, quase 15%, depois que a companhia anunciou a participação em mais um vexame. A resseguradora será fiscalizada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), regulador do mercado de seguros. A razão é simples: os ativos garantidores das suas provisões técnicas estão abaixo do mínimo regulatório. O Vinícius Pinheiro te conta tudo.

O evento do ano para o bitcoin

Está previsto para agora à noite o evento mais aguardado do ano no mercado cripto: o halving. O fenômeno consiste no corte pela metade da remuneração em bitcoins pela mineração da criptomoeda, o que, na prática, reduz a oferta de novos bitcoins no mercado. Os últimos halvings, ocorridos em 2012 e 2016, pressionaram a cotação da criptomoeda para cima. Mas será que essa alta deve acontecer novamente? O atual momento econômico favorece ou prejudica o bitcoin? Eu vou conversar sobre estas e outras questões com o André Franco, nosso colunista especializado em criptomoedas, numa transmissão ao vivo que vai ocorrer nesta terça, 12 de maio, a partir das 13 horas. Você poderá acompanhar a live e enviar as suas perguntas por aqui.

Neblina de incertezas

O fundo Verde, do lendário gestor Luis Stuhlberger, teve um abril de alívio após um primeiro trimestre difícil. A maior parte dos ganhos veio de ações americanas, mas houve uma redução de posição em bolsa nos EUA no fim do mês. O que me chamou atenção mesmo, entretanto, foi o quadro que a gestora traçou para o cenário local: demonstrando cautela, disse que uma “neblina de incertezas” envolve o mercado brasileiro. Saiba o porquê.

O fundo do poço pode ser mais embaixo

Está claro que a economia brasileira sofrerá um tombo histórico em 2020, com a pandemia do coronavírus. A questão é o tamanho do tombo: o Itaú, por exemplo, já está mais pessimista sobre essa recessão, com a projeção de queda no PIB passando de 2,5% para 4,5%. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) estipula uma retração similar no seu cenário base, de 4,2%. Mas o pior cenário projetado pela entidade é ainda mais assustador.

Converse menos, faça mais

Em suas falas recentes, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já foi do céu ao inferno. Por um lado, disse que a economia brasileira ainda vai “surpreender o mundo” e falou até em uma possível “recuperação em V” da atual crise. Por outro, também falou em “colapso” econômico e na possibilidade de o país “ficar parecido com a Venezuela”. Mas, afinal, qual vai ser? Na sua coluna de hoje, Felipe Miranda reflete sobre a discrepância entre as falas e as ações da equipe econômica do governo, que, na opinião dele, está perdendo o controle das políticas monetária e fiscal. Vale muito a pena conferir!

Nova bomba fiscal

Em meio à crise do coronavírus, prefeitos poderão adiar a contribuição para os regimes de previdência social dos seus servidores. A possibilidade gerada por uma decisão do Senado, pode se tornar uma nova bomba fiscal de R$ 18,5 bilhões na forma de uma herança maldita para os próximos governos municipais. Saiba mais sobre o que pode acontecer.

Um grande abraço e ótima noite!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Palavra do CEO

Eduardo Ragasol, da Neogrid: Como o sucesso do cliente pode ajudar no desenvolvimento do seu negócio

Conhecimento é poder. Entenda a fundo seu cliente. Utilize toda a tecnologia e informações que estão à disposição. Alinhe expectativas. E meça o desempenho dos envolvidos

Se cuida, bitcoin!

Atualização EIP-1559 concluída: confira as mudanças do Ethereum (ETH) com o ‘London Fork’

Batizada de “hard fork London”, a Proposta de Melhoria do Ethereum 1559 (EIP-1559) deve reduzir taxas e tornar a moeda deflacionária

olho lá fora

Petrobras dispara 14% em NY, após balanço e antecipação de dividendos

Por volta das 21h (horário de Brasília), PBR subia 14%; empresa reportou forte fluxo de caixa e lucro surpreendeu analistas

Sem surpresas, mas depende...

Fim do ciclo de alta da Selic? Tudo depende da manutenção do teto de gastos e da política fiscal — e as próximas semanas devem ser decisivas

Para Marcelo Fonseca,chama a atenção o posicionamento do Copom de elevar a taxa até um patamar restritivo, mas o BC está no caminho certo. O economista vê o fim do ciclo de alta no patamar dos 7,5%, mas tudo depende do destino do teto de gastos

seu dinheiro na sua noite

Ibovespa em dia de nova taxa Selic expõe tensão; veja os destaques desta quarta

O Banco Central divulgou há pouco a elevação da taxa básica de juros, a Selic, de 4,25% para 5,25%. Essa alta de 1,00 ponto percentual já vinha sendo antecipada e esperada pelo mercado financeiro, mas isso não impediu que o pregão pré-Copom desta quarta-feira fosse marcado pela cautela. E o Ibovespa que o diga. Receios sobre […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies