Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-05-11T20:24:18-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

O medo do futuro e o dólar a caminho dos R$ 6

11 de maio de 2020
20:24
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Caro leitor,

Não sei se tem acontecido com você, mas toda vez que eu converso com a minha mãe ou os meus amigos por chamada de vídeo, uma parte do papo é sempre dedicado a desabafar sobre os nossos temores em relação ao futuro pós-pandemia.

O que será de nós? O que vai mudar? O que permanecerá? Quais serão as consequências na vida social, na economia, nas nossas vidas profissionais?

A falta de visibilidade acerca de tudo isso causa tanta angústia que quase todo mundo com quem eu tenho conversado - eu incluída - tem focado em viver um dia de cada vez e evitado fazer planos ou grandes reflexões sobre o futuro.

Pois bem, é assim que também estão se comportando os investidores diante do contínuo avanço do coronavírus no mundo. Por um lado, muitos países parecem já ter saído da fase mais crítica, mas a Inglaterra e os Estados Unidos ainda preocupam. Já o Brasil está caminhando para se tornar um novo epicentro da doença no mundo.

O pessimismo tomou conta do pregão de hoje, depois que novos casos de coronavírus foram registrados em Wuhan, na China, o que eleva os temores quanto a uma segunda onda da pandemia na região. Se assim for, é bem possível que todo o mundo, na sequência, passe por uma segunda onda, o que significa que esta crise ainda não estaria perto de acabar.

Por aqui, o mercado continua a monitorar a crise política e suas possíveis consequências fiscais. Com isso, a bolsa fechou hoje em baixa, e o dólar terminou o dia em alta, mais uma vez.

A moeda americana parece realmente estar no caminho para os R$ 6, tendo fechado novamente acima de R$ 5,80. A dificuldade de projetar o futuro para o Brasil e o mundo pesa contra a nossa moeda. O Victor Aguiar conta todos os detalhes do pregão de hoje na nossa cobertura de mercados.

Mais um vexame para a conta

A ação com a maior queda do Ibovespa nesta segunda-feira, porém, nada tem a ver com coronavírus ou cenário político. Com um tombo de mais de 80% desde o início de fevereiro, os papéis do IRB recuaram, só hoje, quase 15%, depois que a companhia anunciou a participação em mais um vexame. A resseguradora será fiscalizada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), regulador do mercado de seguros. A razão é simples: os ativos garantidores das suas provisões técnicas estão abaixo do mínimo regulatório. O Vinícius Pinheiro te conta tudo.

O evento do ano para o bitcoin

Está previsto para agora à noite o evento mais aguardado do ano no mercado cripto: o halving. O fenômeno consiste no corte pela metade da remuneração em bitcoins pela mineração da criptomoeda, o que, na prática, reduz a oferta de novos bitcoins no mercado. Os últimos halvings, ocorridos em 2012 e 2016, pressionaram a cotação da criptomoeda para cima. Mas será que essa alta deve acontecer novamente? O atual momento econômico favorece ou prejudica o bitcoin? Eu vou conversar sobre estas e outras questões com o André Franco, nosso colunista especializado em criptomoedas, numa transmissão ao vivo que vai ocorrer nesta terça, 12 de maio, a partir das 13 horas. Você poderá acompanhar a live e enviar as suas perguntas por aqui.

Neblina de incertezas

O fundo Verde, do lendário gestor Luis Stuhlberger, teve um abril de alívio após um primeiro trimestre difícil. A maior parte dos ganhos veio de ações americanas, mas houve uma redução de posição em bolsa nos EUA no fim do mês. O que me chamou atenção mesmo, entretanto, foi o quadro que a gestora traçou para o cenário local: demonstrando cautela, disse que uma “neblina de incertezas” envolve o mercado brasileiro. Saiba o porquê.

O fundo do poço pode ser mais embaixo

Está claro que a economia brasileira sofrerá um tombo histórico em 2020, com a pandemia do coronavírus. A questão é o tamanho do tombo: o Itaú, por exemplo, já está mais pessimista sobre essa recessão, com a projeção de queda no PIB passando de 2,5% para 4,5%. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) estipula uma retração similar no seu cenário base, de 4,2%. Mas o pior cenário projetado pela entidade é ainda mais assustador.

Converse menos, faça mais

Em suas falas recentes, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já foi do céu ao inferno. Por um lado, disse que a economia brasileira ainda vai “surpreender o mundo” e falou até em uma possível “recuperação em V” da atual crise. Por outro, também falou em “colapso” econômico e na possibilidade de o país “ficar parecido com a Venezuela”. Mas, afinal, qual vai ser? Na sua coluna de hoje, Felipe Miranda reflete sobre a discrepância entre as falas e as ações da equipe econômica do governo, que, na opinião dele, está perdendo o controle das políticas monetária e fiscal. Vale muito a pena conferir!

Nova bomba fiscal

Em meio à crise do coronavírus, prefeitos poderão adiar a contribuição para os regimes de previdência social dos seus servidores. A possibilidade gerada por uma decisão do Senado, pode se tornar uma nova bomba fiscal de R$ 18,5 bilhões na forma de uma herança maldita para os próximos governos municipais. Saiba mais sobre o que pode acontecer.

Um grande abraço e ótima noite!

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Exclusivo SD Premium

O erro de Michael Jordan – ­ e uma carteira de fundos imobiliários com um clique

O que me parece fazer mais sentido agora é buscar uma boa dose de diversificação e, na atual conjuntura, um belo fundo de fundos imobiliários (famosos FoFs) é uma opção bastante adequada

Sextou com o Ruy

Davi vs Golias: as vantagens de ser um pequeno investidor

Você, investidor comum, possui uma enorme vantagem contra os fundos de investimento bilionários na hora de encontrar as melhores oportunidades de investimento em ações

Dados atualizados

Brasil tem 26.764 mil mortes por coronavírus; casos superam 438 mil

Nas últimas 24 horas, segundo o levantamento do portal G1, houve 1.156 novas mortes causadas pelo coronavírus

ajuste tarifário

Arsesp reduz em 12,1% tarifas de gás natural para clientes industriais da Comgás

O principal fator que provocou a queda das tarifas de gás foi a diminuição dos custos da molécula e do transporte, atrelados ao preço do petróleo e à variação da taxa de câmbio

seu dinheiro na sua noite

O Brasil visto da Antártida

Por esses dias, talvez você tenha lido por aí que cientistas de um projeto financiado pela NASA teriam descoberto indícios de um universo paralelo na Antártida onde o tempo passaria ao contrário. Apesar de ser um ótimo título “caça-clique”, infelizmente (ou felizmente) não é bem isso. Não ousarei entrar em detalhes aqui sobre a física […]

Politica monetária

BC só considera “imprimir dinheiro” se esgotar ferramentas contra a crise

Roberto Campos Neto disse só pretende abrir “caixa de ferramentas” do Banco Central quando não puder atuar mais via corte da taxa básica de juros (Selic)

Presidente da Câmara

Projeto de lei das fake news pode cumprir papel muito importante, diz Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) defendeu, nesta quinta-feira, 28, a tramitação célere do projeto de lei das fake news no Congresso, que, na visão dele, pode “cumprir um papel muito importante” para o País

Tensão em Brasília

Mourão diz que golpe está ‘fora de cogitação’, mas reconhece ‘estresse’

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, afirmou que uma eventual ruptura democrática está “fora de cogitação” e que “não existe espaço no mundo para ações dessa natureza”

Habilitação de maquininhas

Uso do auxílio em maquininhas começa com Cielo e GetNet; Rede é no dia 8

A Cielo informou que habilitou 1,5 milhão de maquininhas em todo o Brasil para aceitarem pagamentos dos beneficiários do auxílio emergencial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu