Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-11-07T11:57:23-03:00
O melhor do Seu Dinheiro na semana

A contagem não acabou, mas o mercado azulou

Confira as principais notícias e análises da última semana

7 de novembro de 2020
11:57
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Nesta semana, todos os olhos do mercado estiveram voltados para as eleições presidenciais americanas, finalizadas na terça, dia 3 de novembro. Mas até agora, nada de presidente eleito. A contagem ainda está rolando, mas tudo indica, por ora, que o democrata Joe Biden levou.

Amanhecemos com a notícia de que Biden ampliou a liderança na Pensilvânia, mas reduziu a vantagem no Arizona. O democrata segue à frente também na Geórgia e em Nevada.

No início do ano, as eleições nos Estados Unidos eram vistas como o principal risco aos investimentos em 2020. Ainda não tínhamos ideia de que seríamos abatidos por uma pandemia global. A possibilidade de uma vitória democrata dava calafrios nos investidores.

Mas além da nossa perspectiva, a pandemia mudou também o jogo eleitoral. Acabou prejudicando Trump, que eventualmente perdeu seu favoritismo, e fez o mercado pender para o lado dos democratas, que podem inundá-lo com ainda mais recursos. Com a economia abalada, os estímulos adicionais são mais do que bem-vindos.

Levado pelas circunstâncias, o mercado acabou azulando - em referência à cor do Partido Democrata, mas também ao desempenho das bolsas na semana. Os últimos dias foram de disparada nos principais índices de ações e recuo forte da moeda americana.

Você pode conferir o balanço da semana nesta matéria do Felipe Saturnino, que destrincha todos os porquês.

Mas nem só da disputa entre Trump e Biden viveram os investidores nesta semana. Também tivemos a indicação das ações preferidas para novembro, boas notícias no cenário doméstico e o fim de um casamento corporativo entre dois gigantes. Confira, a seguir, os principais destaques da semana:

1. As eleições e os seus investimentos

Afinal, como as eleições americanas afetam os seus investimentos? Onde pôr o seu dinheiro se Joe Biden realmente vencer? Esse foi o tema da excelente análise do nosso colunista Matheus Spier publicada no início da semana, em que ele também faz um balanço dos quatro anos de governo Trump.

Eu e o Vinícius Pinheiro também conversamos sobre isso no podcast Touros & Ursos de ontem, e a discussão dos ouvintes durante a transmissão ao vivo foi acalorada. Aproveita e aperta o play!

2. Fortaleza em meio à crise

Nesta semana também tivemos a publicação da nossa tradicional matéria da Ação do Mês, e a campeã entre as indicações das corretoras desta vez reinou absoluta. Não é de hoje que ela aparece entre as queridinhas, pois seu futuro é luminoso, mesmo com a crise do coronavírus. Conheça as principais indicações para o mês de novembro, na matéria da Jasmine Olga.

Este é um conteúdo exclusivo para os nossos leitores Premium. Se você ainda não é Premium, aqui está o link para destravar uma degustação de 30 dias sem compromisso.

3. IRB a R$ 34?

Os fóruns de internet ferveram nesta semana por causa de um relatório do Morgan Stanley com indicação de compra para as ações do IRB e preço-alvo de R$ 34, totalmente contra a maré das demais corretoras e casas de análise. A resseguradora passou por um verdadeiro inferno astral neste ano e viu suas ações despencarem mais de 80%, tendo fechado a R$ 6,55 na última sexta. Então como tal projeção é possível? Os leitores do Seu Dinheiro nos questionaram, e o Vinícius Pinheiro escreveu uma matéria, com um alerta. Vale a pena ler.

4. Avanço da agenda econômica

No noticiário econômico local, uma grata surpresa: o Senado aprovou o texto-base do projeto de autonomia do Banco Central, pauta cara à equipe econômica do governo Jair Bolsonaro. Mas o projeto ainda deve sofrer alterações na Câmara.

5. História de um casamento

A união entre Itaú e XP parece estar chegando ao fim. Nesta semana, o bancão anunciou que estuda segregar sua participação na maior corretora do país em uma nova empresa. Os dois gigantes protagonizaram, neste ano, trocas de farpas públicas, mas segundo o presidente do Itaú, Candido Bracher, o motivo da separação não tem a ver com isso. Ele explicou a questão em teleconferência com a imprensa.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

RADIO CASH

‘O Banco Central não parece estar comprometido em atingir a meta de inflação’, diz Rogério Xavier, fundador da SPX Capital

Em entrevista ao podcast RadioCash, Rogério Xavier critica o ajuste parcial da Selic e comenta a estratégia por trás dos resultados expressivos que fundos da SPX obtiveram no primeiro trimestre do ano, confira:

destravando valor

Pão de Açúcar lidera altas do Ibovespa com mercado vendo ganhos em venda de participação em e-commerce

Casino, controlador da empresa, estuda fazer oferta de ações de unidade de e-commerce, em que Pão de Açúcar detém participação de 34,17%

Mercados hoje

Ibovespa é pressionado pelo cenário político-fiscal e opera em queda; dólar sobe

Com o cenário político-fiscal pesado, o mercado brasileiro acaba sucumbindo às pressões. No exterior, inflação dos Estados Unidos é destaque

Exile on Wall Street

Meu professor polvo

Desenvolvi um hábito peculiar. Quando preciso ter algum papo difícil com alguém ou há entre mim e alguma pessoa querida algum entrevero, mínima rusga que seja, envio um vinho português chamado “Conversa” e convido para o diálogo. É um gesto carinhoso, de afeto. Mas — confesso — é também um pouco egoísta e parte de […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies