Menu
2020-01-20T17:21:34-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Renda variável

UBS vê céu azul para bolsa brasileira, com alta de até 15% sobre emergentes

Desempenho da bolsa deve ser impulsionado pela recuperação da economia e dos lucros das empresas, além do ciclo de reformas e da migração de recursos para o mercado de ações, segundo os analistas do banco suíço

20 de janeiro de 2020
10:51 - atualizado às 17:21
Homem olhando para o céu.
Imagem: Shutterstock

Céu de brigadeiro para a bolsa brasileira nos próximos 6 a 12 meses. A previsão é do banco suíço UBS, que vê espaço para as ações do país registrarem uma alta de 10% a 15% acima dos demais mercados emergentes em dólar no curto prazo.

As razões para o otimismo são basicamente três: a recuperação da economia brasileira, que deve levar a um crescimento maior dos lucros, o ciclo de reformas e a migração de recursos para o mercado de ações proporcionado pela queda dos juros.

"Uma potencial valorização do real (BRL) poderia proporcionar um upside adicional", escreveram os analistas do UBS, em relatório a clientes. O banco projeta um avanço de 20% no lucro das empresas listadas neste ano, puxado pelos setores financeiro, consumo, commodities e energia – os favoritos dos analistas.

O UBS projeta um crescimento de 2,5% do PIB nos próximos três anos. O desempenho deve ser impulsionado pelo crédito privado e investimentos corporativos.

"Enxergamos o Brasil como uma história única de 'início de ciclo, finalmente passando de uma economia liderada pelo Estado para outra orientada pelo mercado."

A bolsa brasileira já bateu de longe a dos demais mercados emergentes no ano passado. O índice de ações MSCI Brazil subiu 27%, contra 19% do mesmo indicador das bolsas emergentes.

Para o UBS, apesar da alta recente, a bolsa brasileira ainda não está cara. "Embora o MSCI Brazil negocie acima da média histórica, achamos que isso se justifica, dadas as taxas de juros reais nas mínimas e a perspectiva de lucros maiores", escreveram os analistas do banco suíço.

É claro que esse céu azul esperado pela bolsa pode virar. Entre os riscos, o UBS destaca o de desaceleração da economia global, pressões de queda sobre os preços das commodities e uma nova frustração com o desempenho da economia e do ritmo de aprovação das reformas.

Os analistas também apontam como fatores de preocupação que podem afetar a bolsa a onda de protestos na América Latina e uma desvalorização do real em relação ao dólar.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

DE OLHO NO NUBANK

Número de contas do Nubank cresce 485%, mas prejuízo também acelera e chega a R$ 312,7 milhões

Mas nem tudo foi ruim. De acordo com o documento apresentado pela fintech, o Nubank fechou o ano passado com 16 milhões de contas, sendo que 45 mil foram apenas contas voltadas para pessoas jurídicas (PJs)

AVERSÃO AO RISCO

‘Índice do medo’ dispara mais de 48% em meio a movimento de aversão ao risco no mundo

Seguindo na mesma direção, o ouro também apresentou alta na tarde desta segunda-feira por conta do movimento de busca por proteção

ECONOMIA

Carnaval 2020 deve movimentar R$ 8 bilhões na economia, diz CNC

Segundo a CNC, “a recuperação gradual da atividade econômica, combinada à inflação baixa” tendem a refletir na recuperação moderada dos serviços turísticos

AVIAÇÃO

Empresa americana ExpressJet Airlines compra 36 aviões da Embraer

A companhia anunciou também que vai diminuir gradualmente a sua frota de aeronaves E175 para acelerar o crescimento e se tornar uma companhia mais eficiente

PESQUISA

Avaliação do governo Bolsonaro fica estável em fevereiro, mostra pesquisa

A expectativa da população para o restante do mandato de Bolsonaro também não variou. Para 40%, a perspectiva é ótima ou boa e para outros 33% é ruim ou péssima

ECONOMIA

Bolsonaro diz que PIX do BC trará mais agilidade e menos custos ao cidadão

O PIX será disponibilizado pelas instituições financeiras a partir de 16 de novembro

Uns crescem, outros recuam

Desigual, recuperação do mercado imobiliário se concentra no Sudeste

Construtoras mantiveram a política de fechamento de postos de trabalho em 14 Estados em 2019

Incentivo à economia

China vai flexibilizar política monetária em resposta a coronavírus

Objetivo é auxiliar a economia do país a se fortalecer em meio aos impactos econômicos do surto da doença

Entrevista

Diretor do FGC: “sempre é melhor prevenir do que improvisar”

Daniel Lima defende as mudanças previstas no texto de Resolução Bancária enviado pelo governo

Seu Dinheiro na sua manhã

No radar: Coronavírus, Ambev, Via Varejo e tensão nos mercados

É Carnaval, mas o clima não é de festa nos mercados globais. O coronavírus faz a aversão ao risco disparar lá fora — a promessa é de uma sessão bem negativa no exterior. Por aqui, o noticiário corporativo aparece em destaque nesta semana. No front dos balanços, a Ambev divulga na quinta-feira (27) seus números […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements