Menu
2020-01-02T17:52:02-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Bolsa e dólar hoje

Ibovespa dispara, supera os 118 mil pontos e atinge nova máxima

Bolsa começa primeiro pregão de 2020 com ações em alta; dólar também avança

2 de janeiro de 2020
10:52 - atualizado às 17:52
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa começou o 2020 com o pé direito nesta quinta-feira (2). Às 17h40, o principal índice da bolsa brasileira subia 2,30%, aos 118.351,26 pontos, nova máxima histórica. Já o dólar à vista começou o dia em queda, mas fechou em alta de 0,31%, a R$ 4,0242.

Os juros futuros, por sua vez, começaram o dia em alta, mas fecharam em baixa. O contrato de DI com vencimento em janeiro de 2021 caiu de 4,561% para 4,525%; o DI para janeiro de 2023 recuou de 5,794% para 5,78%; e o DI para janeiro de 2027 caiu de 6,763% para 6,71%.

  • Contrate o Ivan Sant’Anna: Trader com mais de 60 anos pode te ensinar a dar suas Tacadas de Mestre. Conheça o projeto aqui.

O tom para os mercados neste início de ano é positivo. No apagar das luzes de 2019, Estados Unidos e China fecharam a primeira fase do acordo que pode pôr fim à guerra comercial entre os dois países.

Além disso, o presidente americano Donald Trump já confirmou que a assinatura do acordo está marcada para 15 de janeiro. Enquanto isso, os chineses afirmaram que as negociações da segunda fase já estão engatilhadas.

As bolsas asiáticas fecharam em alta, animadas pela trégua na guerra comercial e por um estímulo pontual dado pelo governo chinês à economia do gigante asiático. Ontem, o banco central daquele país anunciou corte da taxa de reserva obrigatória dos bancos, liberando o equivalente a quase US$ 115 bilhões na economia.

Nesse cenário, as bolsas europeias também fecharam em alta e Nova York opera no azul, como já indicavam os seus índices futuros. Os índices americanos chegaram a bater novas máximas intradiárias. Por volta das 17h, o Dow Jones avançava 0,81%, o S&P 500 subia 0,53% e o Nasdaq tinha alta de 1,03%.

Empresas

As ações da B3 (B3SA3) apresentam uma das maiores altas do dia depois que a companhia anunciou uma redução de tarifas no mercado de ações, de modo a beneficiar os investidores pessoas físicas. Por volta das 17h30, os papéis subiam 5,21%.

No fim de 2019, as ações da B3 apanharam com a expectativa de ter seu monopólio quebrado no mercado brasileiro, ao fechar acordo para processar operações a bolsas de valores concorrentes.

As ações do frigorífico JBS (JBSS3) também passaram a figurar entre as maiores altas do Ibovespa impulsionadas pela notícia de um surto de gripe aviária na Polônia na última terça (31). O vírus identificado foi o H5N8, considerado altamente patogênico pelos organismos de saúde.

Doenças como esta e a peste suína na China reduzem a oferta mundial de proteína animal, abrindo espaço para as carnes brasileiras no mercado internacional, além de puxar os preços para cima.

Também favorece os papéis a possível venda da fatia que o BNDESPar detém na empresa. Por volta das 17h30, as ações subiam 5,31%.

Fora do Ibovespa - mas não por muito tempo - as ações da companhia de softwares de gestão Totvs (TOTS3) avançavam 6,66% no mesmo horário, depois de serem incluídas na próxima carteira teórica do Ibovespa.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

coronavírus no país

Covid-19: Brasil tem 1,2 mil novas mortes e 60 mil novos casos

Até o momento, 2.356.640 pessoas se recuperaram da doença

seu dinheiro na sua noite

A questão de Bolsonaro: ser ou não ser liberal

Ser ou não ser liberal. Eis a questão de Jair Bolsonaro. O presidente foi eleito com uma pauta de defesa das reformas, redução do tamanho do Estado e equilíbrio das contas públicas. O fiador desse discurso foi Paulo Guedes, que assumiu o comando da economia. O receituário foi seguido no primeiro ano de mandato, com […]

de olho nos números

Suzano, JBS, B3, Cyrela, Lojas Americanas, B2W, Hering: os balanços que vão mexer com o mercado nesta sexta

Balanços do segundo trimestre devem guiar os negócios no Ibovespa no último pregão da semana

Balanço

B3 tem lucro 28,9% maior no 2º trimestre e aumenta investimento para dar conta do volume da bolsa

A dona da bolsa brasileira registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,012 bilhão e pretende investir até R$ 425 milhões em sistemas e novos produtos para o mercado

confiança com capitalização

Para presidente da Eletrobras, saída de Mattar não prejudica privatização

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse nesta quinta-feira, 13, que a saída do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, não irá prejudicar a capitalização da empresa prevista para o ano que vem, e que confia que após debates com o Congresso Nacional, o processo seja aprovado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements