Menu
2019-11-27T10:50:10-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Revisando as contas

Vale fará baixa contábil de US$3,2 bi em ativos de metais básicos e carvão

Vale informou que ao longo de todo o ano o setor de metais básicos vem sofrendo com as incertezas em torno da produção das operações da Nova Caledônia. Foi preciso diminuir as projeções de produção ao longo da vida útil da mina.

27 de novembro de 2019
10:41 - atualizado às 10:50
Vale
Imagem: Shutterstock

A Vale informou ao mercado na noite desta terça-feira (26) que irá realizar impairments de aproximadamente US$ 3,2 bilhões. Segundo a companhia, o processo está alinhado ao seu processo de planejamento estratégico anual e reavaliação de suas perspectivas de negócios.

O processo de impairment, na realidade, se trata de uma baixa contábil. É a reavaliação do valor real de ativos que excedem o valor recuperável. Quando um ativo possuí um valor contábil maior que o valor recuperável, dizemos que houve uma desvalorização.

No caso da Vale, os ativos reavalidos são do segmento de metais básicos e carvão. O resultado da baixa deve refletir no resultado da companhia do próximo trimestre, com uma baixa de US$ 1,6 bi frente aos US$ 3 bi esperado até o fim do processo em 2020, mas sem impacto direto no fluxo de caixa, já que os casos serão tratados como itens excepcionais.

A companhia informou que ao longo de todo o ano o setor de metais básicos vem sofrendo com as incertezas em torno da produção, processamento e confiabilidade das operações da Nova Caledônia. Foi preciso diminuir as projeções de produção ao longo da vida util da mina.

A revisão dos ativos da Nova Caledônia devem ser concluídos até fevereiro de 2020, mas novos ajustes e impairments adicionais não são descartados ainda em 2019.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies