Menu
2019-07-04T19:27:17-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Novidades à vista

A caminho: XP espera lançar banco até o fim deste ano

Segundo sócio-diretor de canais e distribuição da empresa, a XP está preparada internamente e operacionalmente para começar o rodar o banco, mas é preciso esperar processos internos do Banco Central para que o processo seja concluído

4 de julho de 2019
19:15 - atualizado às 19:27
XP Investimentos Dinheiro
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A maior corretora independente do Brasil parece estar cada vez mais próxima de virar um banco. Em evento para agentes autônomos e investidores, o sócio-diretor de canais e distribuição da XP, Gabriel Leal, disse hoje (4) que a corretora espera lançá-lo entre o fim do terceiro trimestre e início do quarto.

Segundo ele, a XP está preparada internamente e operacionalmente para começar o rodar o banco, mas é preciso esperar procedimentos internos do Banco Central para que o processo seja concluído.

"Existe uma auditoria pré-operacional feita pelo Banco Central que valida os processos e por conta disso, acabamos atrasando. A expectativa anterior era que isso estivesse pronto já no fim desse semestre", destacou Leal.

A corretora recebeu no fim do ano passado uma autorização do Banco Central para virar banco.

Prateleira mais cheia

E a ideia é oferecer cada vez mais serviços. Segundo o CEO da corretora, Guilherme Benchimol, após começar a rodar o banco, o objetivo é oferecer em seguida o serviço de banco de câmbio e depois, a opção de abrir uma conta-corrente.

Ao ser questionado sobre a concorrência de outros bancos digitais como Inter ou fintechs como o Nubank, Benchimol disse que a XP já sai na frente porque está no topo da pirâmide e conseguiu convencer o cliente a confiar nela.

Para ele, mesmo que o número de competidores seja grande, a XP não vê competição porque 95% dos recursos ainda estão nos grandes bancos.

“Daqui cinco anos, a maior parte da poupança dos brasileiros estará fora dos bancos. Aí a competição vai ser entre os independentes, como no mercado americano", afirma Benchimol.

Outro ponto que deve vir forte é o crédito. De acordo com o CEO, a expectativa é oferecer o menor crédito do mercado, que seria cerca de 80% mais barato do que a média do mercado.

Abertura de capital

Ao ser perguntado sobre a abertura de capital (IPO) da corretora, o CEO da empresa disse que pensa na possibilidade e que a governança é bastante significativa na empresa.

"Queremos que o nosso modelo voe no longo prazo. Conseguimos imaginar o nosso modelo atingindo a América Latina e os Estados Unidos, mas, no momento, não temos data para fazer uma abertura de capital", encerrou Benchimol.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

executivo de carreira

Vice-presidente do BB, Walter Malieni, morre aos 50 anos

Executivo de carreira do BB, com mais de 35 anos de casa, Malieni completaria 51 anos em novembro

números da covid

Covid-19: Brasil tem 2,96 milhões de casos e 99,5 mil mortes

Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.079 óbitos, segundo o balanço diário do Ministério da Saúde divulgado hoje (7)

Reserva de R$ 1,3 bi para gastos

Iguatemi vai recomprar até 1,3 milhão de ações

Quantidade representa 1,5% dos papéis em circulação da companhia. Ações acumulam queda de mais de 30% no acumulado de 2020

seu dinheiro na sua noite

Uma conversa sobre investimentos para o meu pai

O primeiro salário que recebi na vida foi em julho de 1994, mês inaugural do Plano Real. Foi com esse dinheiro que saí pelas lojas do bairro do Gonzaga, em Santos, em busca de um presente para dar no Dia dos Pais. Desde então, esse sempre foi um problema para mim, porque meu pai não […]

Preferência

Oi fecha acordo de exclusividade com Vivo, Claro e Tim para venda de operação móvel, diz jornal

Após fim da exclusividade da Highline, que desistiu de fazer nova oferta, teles brasileiras passam à frente, com oferta de R$ 16,5 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements