A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-01-31T13:33:40-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
TEMPORADA DE BALANÇOS

Te cuida, Itaú? Santander atinge rentabilidade de 21,1% no quarto trimestre

Unidade brasileira do banco espanhol, comandada por Sérgio Rial, registrou lucro de R$ 12,4 bilhões em 2018, uma alta de 24,6% e novamente acima das expectativas do mercado

30 de janeiro de 2019
7:53 - atualizado às 13:33
Bancos Santander e Itaú: guerra na rentabilidade
Bancos Santander e Itaú: guerra na rentabilidade - Imagem: Montagem Andrei Morais / Estadão Conteúdo / Shutterstock

O Santander Brasil inaugurou na manhã de hoje a temporada de balanços dos grandes bancos mostrando a que veio. A instituição comandada por Sérgio Rial registrou lucro líquido de R$ 12,4 bilhões no ano passado, o que representa um aumento de 24,6% em relação a 2017.

O resultado do banco no ano ficou novamente acima das expectativas do mercado. A projeção média dos analistas apontava para um lucro de R$ 12,146 bilhões, de acordo com dados da Bloomberg.

Mas o que chamou a atenção mesmo foram os números do quarto trimestre. Com um lucro de R$ 3,4 bilhões, o Santander obteve uma rentabilidade de 21,1%. Trata-se de um feito e tanto se pensarmos que a taxa básica de juros (Selic) está em 6,5% ao ano.

Esse número também coloca o banco na briga com o Itaú Unibanco pelo posto de mais rentável do país entre os gigantes do varejo. No terceiro trimestre, o Itaú registrou retorno de 21,3%.

No ano como um todo, a rentabilidade do Santander ficou em 19,9%, um avanço de 3 pontos percentuais na comparação com 2017.

Agora é esperar para ver o que demais bancos vão "aprontar" em seus balanços. O Bradesco divulga os resultados amanhã (31), e o Itaú na próxima segunda-feira (4).

As operações no Brasil representaram 26% do lucro do Grupo Santander no mundo. Foi mais uma vez a unidade que mais contribuiu para o resultado da matriz.

Crédito e margem

Enquanto os principais concorrentes ainda mantinham as torneiras do crédito fechadas, o Santander largou na frente. Isso explica a arrancada nos números do banco desde que Rial assumiu o comando, há três anos.

A carteira de financiamentos do banco atingiu R$ 305,2 bilhões, alta de 12% em relação a dezembro passado. É mais que o dobro que o crescimento do sistema financeiro, que ficou em 5,5% em 2018, de acordo com dados do Banco Central.

A margem financeira do banco, que inclui os resultados com crédito e tesouraria, aumentou 12,5% no ano passado, para R$ 42 bilhões.

Lucro sobe, ações caem

Então os investidores estão comemorando os números comprando as ações do Santander na bolsa, certo? Errado. As units (recibos de ações) do banco eram negociados em forte queda de quase 5% no início da tarde de hoje.

Apesar do lucro e da rentabilidade brilharem, outros números chamaram a atenção pelo lado negativo, segundo analistas.

Um deles foi o índice de inadimplência, que fechou 2018 em 3,1%. Trata-se de um aumento de 0,2 ponto percentual no trimestre, mas uma redução em relação aos 3,2% de 12 meses atrás.

As despesas com provisões para calotes também aumentaram e atingiram R$ 10,9 bilhões. O banco atribuiu os maiores gastos ao crescimento dos ativos.

Tarifas e despesas

As receitas com tarifas também ajudaram a engordar o lucro do Santander. Em 2018, elas somaram R$ 17,3 bilhões, um crescimento de 10,6%. Já as despesas cresceram 5,3% no ano, para R$ 20,2 bilhões - ou seja, acima da inflação.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

LEVANTANDO DINHEIRO

Petrobras (PETR4) quer tomar até R$ 3 bilhões em dívida no mercado

19 de agosto de 2022 - 10:05

Segundo a Petrobras (PETR4), dinheiro será usado para reforçar o caixa e financiar operações de rotina da companhia

MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Ibovespa segue em queda e acompanha o exterior; dólar sobe

19 de agosto de 2022 - 9:05

RESUMO DO DIA: O dia começa com a agenda esvaziada e sem grandes destaques; as bolsas operam sem direção definida nesta sexta-feira (19). Os investidores ainda se preocupam com a inflação da Europa. No Brasil, a atenção divide-se entre o cenário eleitoral e os temores em relação aos próximos passos do Federal Reserve (Fed). Os […]

SEM PIEDADE COM O MERCADO

Tragédia em criptomoedas: HUSD, stablecoin da Huobi, perde paridade com dólar e bitcoin (BTC) começa o dia em queda de 8% e encosta nos US$ 21 mil

19 de agosto de 2022 - 8:36

Dados do Cryptorank mostram que foram liquidados mais de US$ 552 milhões em moedas digitais nas últimas 24 horas nas principais exchanges do mundo

CENTRAL DAS ELEIÇÕES

Eleições 2022: Bolsonaro diz que zerou imposto para whey protein, mas pode não ser bem assim

19 de agosto de 2022 - 8:35

Acompanhe a cobertura ao vivo das eleições 2022 com as principais notícias sobre os principais candidatos à Presidência e nos Estados

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Swing trade na B3: Oportunidade de lucro de mais de 8% com ações do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3); confira a recomendação

19 de agosto de 2022 - 8:22

Identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant – compra dos papéis do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3).

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies