🔴 FONTE DE RENDA EXTRA COM APENAS 1 CLIQUE – CONHEÇA AQUI

Estadão Conteúdo
Limite saudável

Para Arminio Fraga, qualquer economia menor do que a proposta por Bolsonaro sobre a Previdência é preocupante

Em declarações sobre o projeto apresentado hoje, o ex-presidente do BC destacou como positiva a economia prevista para os cofres públicos

Estadão Conteúdo
20 de fevereiro de 2019
17:49 - atualizado às 17:57
Arminio Fraga
Fraga evitou comentar detalhes da proposta e disse ser difícil calcular o risco de a PEC da reforma não ser aprovada - Imagem: Eduardo Campos

Embora destaque como positivo o fato de a economia prevista para os cofres públicos com a reforma da Previdência proposta pelo governo Jair Bolsonaro ter vindo acima do que vinha sendo "sinalizado", o ex-presidente do Banco Central (BC) Arminio Fraga ressaltou que não há espaço para reduzir o impacto fiscal das mudanças.

Mais cedo, ao apresentar publicamente a proposta de emenda constitucional (PEC) entregue ao Congresso Nacional nesta quarta-feira, o Ministério da Economia informou que o impacto fiscal das mudanças nas regras produzirá uma economia aos cofres públicos de R$ 1,072 trilhão em dez anos. O valor sobe para R$ 1,164 trilhão no mesmo período quando se considera também o efeito de R$ 92,3 bilhões pelas mudanças para a aposentadoria dos militares, propostas em separado.

"Qualquer coisa que caia abaixo do que foi apresentado já me deixaria bem preocupado. Como eu acho que o necessário seria mais do que o que foi proposto, acho que ideal seria subir (a economia)", afirmou Fraga a jornalistas, após proferir uma aula magna no curso de relações internacionais do FGV Educação Executiva, na Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio.

O ex-presidente do BC evitou comentar detalhes da proposta e disse ser difícil calcular o risco de a PEC da reforma não ser aprovada por causa de problemas na articulação política do governo no Congresso. Para Fraga, embora a questão da viabilidade de aprovação da reforma seja "crucial" e assuste investidores do mercado financeiro, o problema não é novo, "está aí há algum tempo".

Questionado se o risco de faltar articulação política aumentou ou diminuiu recentemente, Fraga destacou o apoio do presidente Jair Bolsonaro à proposta apresentada nesta quarta-feira.

"Vi antes de sair do escritório, mais cedo, que o presidente da República se posicionou com muita clareza com relação à importância da reforma. Isso foi um passo essencial. Ele tinha que abraçar essa reforma como dele. Até onde vi, isso foi feito", disse o ex-presidente do BC.

Nesta quarta-feira, Bolsonaro foi ao Congresso entregar a PEC desenhada pela equipe econômica. Na ocasião, o presidente afirmou que é "importantíssimo" os parlamentares fazerem alterações para "aperfeiçoar o projeto". Bolsonaro também admitiu que o texto enfrentará dificuldades e fez um "mea culpa" ao dizer que errou ao se posicionar contra mudanças na aposentadoria quando era deputado federal.

Sobre as reações contrárias à reforma que vem sendo registradas ao longo desta quarta-feira, Fraga disse que é "impossível se fazer um ajuste dessa magnitude sem cortar alguma coisa praticamente de todo mundo". Mesmo assim, os trabalhadores deveriam ser convencidos de que é melhor fazer sacrifícios agora para garantir a sustentabilidade dos pagamentos no futuro.

"É fundamental não nos esquecermos que essas promessas, do jeito que as coisas andam, não vão ser cumpridas. As promessas de aposentadoria, com o quadro fiscal que temos, não serão cumpridas", disse o ex-presidente do BC.

Compartilhe

mercado de capitais

Clima na bolsa é quente até demais, diz Armínio Fraga

7 de dezembro de 2020 - 19:28

Para o ex-presidente do BC, “um pouco de diversificação e cautela já vale a pena ter em mente”; ele disse que investidor brasileiro vai passar por período de aprendizado

em evento online

‘Obscurantismo’ do governo pesa mais para estrangeiro do que política fiscal e monetária, dizem Persio e Arminio

19 de agosto de 2020 - 13:13

Em evento online do Santander, ex-presidentes do BC criticam posição do Executivo, defende ao menos a estabilização da dívida e falam do risco da alta de juros

ex-presidente do bc

Arminio Fraga diz haver espaço para ‘pequeno’ aumento da carga tributária

27 de julho de 2020 - 16:31

“Eu penso que, eventualmente, há espaço para pequeno aumento de carga tributária, eliminando distorções de regimes”, disse o ex-presidente do Banco Central

ex-bc

Brasil já passa por depressão econômica, diz Arminio Fraga

8 de junho de 2020 - 14:13

De acordo com o ex-presidente do BC e sócio da Gávea Investimentos, o governo também deve ficar atento à sua capacidade de aumentar os gastos em decorrência da pandemia

Sinais econômicos

Arminio Fraga: “não é justo governar só para os que estão na economia formal”

27 de dezembro de 2019 - 13:52

Ex-presidente do Banco Central diz que é preciso atenção ao aumento do trabalho informal e garantir que ele não seja um vetor de aumento da desigualdade

De olho na economia

Armínio Fraga vê ‘obscurantismo’ e ambiente ‘envenenado’ como entraves à economia

18 de outubro de 2019 - 20:50

Fraga destacou que o Brasil nunca investiu tão pouco na sua história e que para destravar o investimento será preciso dar mais clareza em áreas que vão além da econômica, como “temas de natureza distributiva”

Gestoras

Gávea Investimentos mostra ceticismo com sucesso da agenda de reformas

10 de setembro de 2019 - 18:56

Gestora do ex-BC Arminio Fraga avalia os casos de México, Índia, Indonésia e Argentina nos quais as reformas se mostraram insuficientes ou retumbantes fracassos

Próximos passos

‘Reforma Tributária será mais difícil que a da Previdência’

25 de julho de 2019 - 10:11

Em entrevista, o ex-presidente do Banco Central, Arminio Fraga, afirmou que a nova etapa reformista, com a mudança no sistema tributário, deve ser mais fifícil de ser aprovada do que as regras previdenciárias

O melhor do Seu Dinheiro

Tamanho não é documento

4 de março de 2019 - 10:50

Como investir em small caps, o encontro de Bolsonaro e Trump e o alerta de Arminio Fraga sobre a Previdência

Entrevista

Reforma da Previdência deve passar, mas meio desidratada, diz Arminio Fraga

3 de março de 2019 - 16:10

Crise fiscal é a “grande espada sobre nossos pescoços”, avalia o ex-presidente do Banco Central, que não vê espaço para o impacto da reforma ficar abaixo do cerca de R$ 1 trilhão (em 10 anos)

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar